domingo, 21 de abril de 2013

O Flamengo e a MP para reestruturar as dívidas dos clubes


O deputado Otávio Leite é considerado o intermediário do Flamengo em Brasília. Na semana passada o presidente Eduardo Bandeira de Melo acompanhado de Flávio Godinho, vice de relações externas, e Delair Dumbrosck, presidente do Conselho Deliberativo, estiveram na Câmara e também conseguiram uma audiência com o Ministro do Esporte Aldo Rebello.

Nesta semana a comitiva Rubro Negra desembarca outra vez em Brasília, dessa vez no Senado Federal, para angariar apoio à MP que reestrutura as dívidas dos clubes.

O blog entrou em contato e conversou com o deputado Otávio Leite para ter as primeiras impressões sobre o assunto, confira:


1) O dinheiro já está na conta, o que falta para os clubes do Conselho Nacional de Clubes Formadores de Atletas Olímpicos receberem a verba? Como será feita essa divisão? 

Isso significa que avançamos! A CEF está cumprindo a Lei. Já são R$ 74 milhões depositados na CBC. Estimando-se outros R$ 50 milhões neste ano. O desafio é estabelecer a partilha justa e transparente. A regulamentação saiu. Estão definindo critérios.

Temos que acompanhar de perto. Até por possuirmos uma legitimidade especial para reivindicar - afinal essa Lei é produto da postura de vanguarda do Flamengo (membro do Confao) ao tempo do Marcio Braga, quando apresentei o projeto de lei inicial que deu origem à luta. Ele e o Delair foram diversas vezes a Brasília.


2) O senhor é a favor da doação da prefeitura de terrenos para os clubes do Rio construírem seus CTs e, como o Flamengo já tem seu local, receber R$ 5 milhões? Não teria que ter uma contrapartida social? 

Sim, mediante contrapartida, a começar pela oferta de espaço para a rede de ensino. Não obstante, eu estenderia para os pequenos clubes. Até criaria novos pequenos clubes. Mais oportunidade para base. Tem muita área publica ociosa .


3) A nova gestão com muito esforço conseguiu suas Certidões Negativas de Débito. Como tem sido o reflexo dessa nova diretoria em Brasília e no meio político/empresarial? 

Fui com o nosso Bandeira de Mello, com o Godinho e o Delair percorrer os corredores do Congresso. Mostrar a cara e prestar contas. Eu disse na auditoria pública da Comissão de Esporte, na frente do Ministro Aldo Rebelo: "o Flamengo teve a coragem de cortar na carne. Sacrificar o campeonato carioca para construir o futuro". Vários deputados quiseram ouvir o Bandeira, "como conseguistes", perguntavam. A reposta: "Ué, paguei R$ 40 milhões em dívidas. Mas será preciso muito mais. O Flamengo é instituição da república!"


4) Seria justo para o Flamengo, por exemplo, que estrangulou suas receitas para fazer um acordo a longo prazo? 

Diante da ausências de saídas essa passou a ser uma opção. A compreensão da torcida é um pedagógico sinal de maturidade do futebol. Vejo assim, embora sei que a paixão atropela a razão. Temos que ganhar em campo sempre!


5) Qual sua opinião sobre a MP que garante o clube o pagamento de um valor - 10% da dívida e o resto seria anistiada em contrapartida aos investimentos nos esportes olímpicos. 

Estamos articulando firme. Um grupo de deputados, de vários partidos e estados, plural, com diálogo direto com o Mininistro dos Esportes. É uma vergonha o pais financiar bilhões em estádios e nada fazer para que os clubes saiam do atoleiro. Grandes e pequenos. Essa é uma oportunidade estratégica. Mas tudo tem que ter clareza, sacrifícios e responsabilidades criminais para gestores inescrupulosos.


6) O senhor é favorável ao rebaixamento de clubes inadimplentes e a responsabilidade civil e até criminal do dirigente esportivo?

Totalmente a favor. Precisamos implantar um novo modelo de gestão. Com deveres claros e puníveis. Como qualquer infração, merece punição exemplar. Está na hora de mexer na CBF pra valer, mas isso é uma outra história.

2 comentários:

Paulomarcus Ferreira disse...

O flamengo deve correr atras dos incentivos fiscais que tem de fato e agora de direito .
Agora a concessão de uso dos terrenos para os clubes do Rio me parece que foi desprorcional . QUal o valor destes terrenos ? Pela localização , tamanho e considerando o altíssimo valor do metro quadrado no Rio os terrenos cedidos aos adversários devem valer entre vinte a trinta milhões , e flamengo pelo fato de ter o seu terreno recebera apenas cinco milhões!!!!!!!! Nao êh de hoje que o estado e o município prejudicam o Mengao , foi negado a contrucao do estádio da Gávea , do shopping etc...Na época do Engenhao , o César Maia criou uma situação que possibilitou so ao botafogo se candidatar a admistrar o estádio . Esta má hora de dar um basta nesta situação , como todos os políticos são farinha do mesmo saco , devemos pensar nisso na hora de votar .
Esta MP êh um absurdo ,uma pouca vergonha . No programa bola da vez tinha que ver o kall, presidente dos galinhas , devendendo a MP . Êh imoral clubes que tem receitas de centenas de milhões e pagam salários estratosfericos aos jogadores nao arquem com suas obrigações e acharem justo que o povo,pague a conta.
SRn

Marcelo disse...

Na minha opinião, a questão central é a responsabilidade civil e criminal dos dirigentes de clubes. Quando eles realmente começarem a sentir no bolso e serem punidos penalmente, pensarão mil vezes em utilizar o dinheiro dos clubes de forma irresponsável, inclusive quanto ao não pagamento de impostos e direitos trabalhistas.
Mas acho que isso não deveria ter nada a ver com eventual perdão de dívidas fiscais. Que história é essa de "contrapartida"?? Não tem nada a ver uma coisa com a outra! Deve-se simplesmente colocar em prática a legislação já existente, ou, pelo menos, criar-se uma legislação específica para dirigentes de clubes. As dívidas já contraídas é outro assunto. E tenho opinião semelhante ao colega, é bem questionável esse perdão. O povo, mais uma vez, vai pagar a conta.

Com relação aos terrenos, acho que a comparação não deve ser bem essa. Afinal, salvo engano, o estado não está doando os terrenos, é apenas uma cessão de uso. Os três clubes beneficiados não passaram a ser donos dos imóveis.