quinta-feira, 23 de março de 2017

Estadual 2017: Flamengo 3 x 0 Bangu

Com a vitória por 3 x 0 o Flamengo garantiu presença na semifinal do Estadual com a vantagem do empate, mesmo que não ganhe a Taça Rio.

Isto porque, o brilhante regulamento soma os pontos dos dois turnos, e o Rubro Negro lidera com tranquilidade. O primeiro ou segundo lugar geral não importa, pois na final não tem vantagem, apenas na semifinal.


Para obter a classificação o time da Gávea enfrentou um adversário com três zagueiros e seis homens completamente postados na defesa. E foi um sacrifício pro Flamengo encontrar o caminho do gol.

Foram inacreditáveis 79% de posse de bola. Inicialmente, com movimentação de Mancuello, o Rubro Negro tentava algumas triangulações pra chegar na área. O argentino deu alguns chutes, mas depois sumiu e foi a vez do Paquetá tentar arrumar algo de diferente do que circular a bola, aproveitar a ultrapassagem do lateral e erguer na área. Foram três bons passes do jovem armador.

Houve sim alguma tentativa de troca de passes mais intensas, mas a marcação ganhava todas. O resultado disso foram os 47 cruzamentos, 18 escanteios, 568 passes corretos e 29 finalizações. Quase um treino ataque x defesa.


Logo no começo da segundo etapa o único momento de perigoso do Bangu veio por meio do isolado Loco Abreu. Por sorte Bruno Luiz furou dentro da pequena área. Uma falha em um contexto semelhante ao jogo contra o Universidad Católica: o Flamengo pressiona a partida inteira, perde chances e leva um gol na única jogada do adversário.

Depois Zé Ricardo tirou Paquetá e Mancuello e colocou Damião e Berrío. A tentativa ficou clara: abrir o jogo com o colombiano e ter dois atacantes dentro da área, já que Vizeu saía muito e perdeu algumas boas chances.

O Flamengo era repetitivo e previsível, à espera de uma cabeçada certa de seus atacantes. Berrío novamente entrou muito bem e fez boa dupla com Pará.

Porém, por curiosidade, o gol saiu em um chute e não em cruzamento. René acertou um belo petardo de fora da área, indefensável e aliviou a torcida.

O Bangu abriu as pernas e o segundo gol saiu em ótima assistência do Pará e cabeçada do Damião.

Já o terceiro gol veio em uma jogada que torço para que sirva de modelo de que cruzamento não precisa ser apenas por cima, pode ser por baixo, para alguém que chegue de trás. Mateus Sávio fez o terceiro.

quarta-feira, 22 de março de 2017

NBB 2016/2017: Basquete Cearense 81 x 94 Flamengo


O Flamengo deu mais um passo para garantir o primeiro lugar da fase de classificação do NBB, ao derrotar fora de casa o Basquete Cearense por 94 x 81.

No primeiro turno, o Rubro Negro perdeu a invencibilidade no campeonato ao ser derrotado justamente pela equipe cearense por 94 x 88 na prorrogação. Na partida onde o técnico Alberto Bial protagonizou cenas bizarras, subindo a arquibancada para discutir com torcedor.

Cinco jogadores terminaram com dois dígitos na pontuação. Marquinhos foi o cestinha com 17 pontos e Marcelinho terminou com 16 pontos.

Na armação Fischer e Ramon anotaram juntos 23 pontos. E no garrafão, o americano Rollins fez um belo jogo e terminou com 16 pontos e oito rebotes.

O Basquete Cearense iniciou o jogo na frente: 16 x 13, porém o Flamengo terminou melhor o primeiro período e venceu por 21 x 18.

Logo no começo do segundo quarto, após assistência de Fischer, o armador Pedrinho matou de três e ampliou: 24 x 18 e abriu sua maior frente: 34 x 22, fechando o primeiro tempo em 47 x 30. No segundo tempo o Flamengo administrou com tranquilidade para fechar com larga vantagem.

Restam três jogos para terminar a fase final: Vitória (f), Minas (c) e Brasília (c).
Mogi enfrenta: Pinheiros (c), Bauru (f) e Franca (f).
Brasília enfrenta: Franca (c) hoje, Bauru (c), Basquete Cearense (f), Flamengo (f)


terça-feira, 21 de março de 2017

O bom futebol da seleção sub-17. E a tentativa do Flamengo em segurar Vinicius Jr


Vinicius Jr volta da seleção sub-17 com o título do Sul-Americano, artilheiro e melhor jogador da competição. O jovem de 16 anos fez sete gols em oito jogos e ainda distribuiu três assistências.

O atacante Lincoln terminou com cinco gols.

A qualidade do Vinicius Jr já era conhecida, mas impressionou o bom desempenho do Lincoln, que não fez uma boa Copa São Paulo sub-20, porém, com adversários da sua idade, revelou ser um atacante com ótimas características.

Ele não é o atacante clássico fixo dentro da pequena área, pelo contrário: foram várias as vezes em que voltava, puxando os zagueiros e dava assistência para quem entrava.

A seleção sub-17 é uma geração de grandes talentos, Alanzinho, Paulinho, Vitão, e muito bem treinada. O padrão de jogo era sempre o mesmo toda partida: muito toque de bola, saída em velocidade, triangulações, toques envolventes que desmontavam a defesa adversária. Ao contrária da sonolenta sub-20.

Da Gávea, além da dupla, fizeram parte da seleção o Wesley e Patrick.

Em agosto de 2016 Vinicius Jr assinou por três anos. Ou seja, o clube da Gávea "tem" o garoto até os 19 anos com multa de R$ 102 milhões. Sua saída é certa, a questão é saber quando isso acontecerá e como o Flamengo vai prorrogar essa ida. O que devem fazer é encerrar esse contrato em agosto e assinar por mais três anos, assim, tentando segurá-lo até os 20 anos.

Infelizmente o Vinicius não foi inscrito no Estadual. Mas é bom lembrar que ele não teve férias, pois engatou a Copa São Paulo em janeiro e foi pra seleção logo na sequência. Vai ser inscrito pro Brasileiro e, se tudo der certo, para a segunda fase da Libertadores. Entretanto, é bom lembrar que em outubro tem o Mundial da categoria.

quinta-feira, 16 de março de 2017

Libertadores 2017: Universidad Católica 1 x 0 Flamengo


O Flamengo perdeu uma ótima oportunidade de ficar em situação favorável no grupo, ao ser derrotado pelo Universidad Católica por 1 x 0 com gol, jogando no Chile.

Essa é a derrota que mais machuca: o time domina completamente o jogo, mete bolas na trave, perde oportunidades, porém, em rara chance, o adversário faz o gol e garante os três pontos.

E o pior: o Rubro Negro terá que esperar até o 12 de abril para o decisivo jogo contra o Atlético Paranaense, em casa, pela terceira rodada.

Esse é Flamengo tradicional jogando uma Copa Libertadores. Mesmo com jogadores mais experientes, um elenco mais forte, ainda falta aquele espírito copeiro, de decisão. E ainda teve jogador experiente caindo na catimba adversária: Guerrero, Diego, que fez uma falta desnecessária e o Berrío, atual campeão da competição, que foi expulso. E o pior: se o árbitro colocar na súmula que foi agressão, a punição será de três jogos. Na Conmebol, a pena é automática.

Após essas considerações, é preciso dizer que o Flamengo não foi covarde e que Zé Ricardo não foi defensivo com seus "três volantes". É incrível como repetem os mesmos clichês e muita gente caí nesse papo.

Sem Mancuello, parecia que a única dúvida seria entre Berrío ou Gabriel. Pelo segundo tempo contra o San Lorenzo, os quatro gols e o bom futebol, a opção pelo colombiano era plenamente factível.

Mas não foi isso que o Zé Ricardo pensou. A escolha pelo Márcio Araújo à frente dos zagueiros, com a linha de quatro à frente tendo Arão, Rômulo, Diego e Éverton foi surpreendente. Porém, dentro de jogo, se mostrou perfeitamente aceitável.

O time dominou completamente a primeira etapa, com posse de bola e total controle do meio de campo. Apesar de não ter jogadores em velocidade, o Flamengo chegou várias vezes ao ataque e poderia ter saído com 2 x 0 tranquilamente.

É curioso: reclamam tanto que o treinador não tem repertório, quando ele monta um esquema específico para um jogo, surpreende o treinador adversário (Mario Salas revelou que esperava o Bérrio de titular) e joga bem, contra todos os prognósticos, inclusive deste blog, é criticado.

A crítica, a meu ver, precisa ser centrada nos erros de finalização, especialmente do Guerrero. Ele que vinha com boa margem, com média de quase um gol por jogo, entretanto, depois do pênalti perdido contra o San Lorenzo voltou a ficar irritado com a marcação adversária. O peruano teve seis oportunidades, sendo quatro dentro da área e não conseguiu o gol. Por infelicidade também não fez outro gol de falta.


Ainda teve a clara chance do Arão no primeiro tempo e a cobrança de falta do Diego na trave. Inacreditável!

No segundo tempo o Zé Ricardo deve ter ficado com o dilema: tento ganhar o jogo ou fica na minha situação confortável levando um ponto na bagagem. Resolveu partir para ganhar, tirando um volante e colocando o Bérrio. A partir daí a equipe chilena passou a ficar mais tempo em seu campo de ataque e o Flamengo se posicionando para o contra-ataque.

Bérrio, que já utilizou sua presença física para desequilibrar o adversário, dessa vez foi a vítima e não conseguiu bloquear a subida do Santiago Silva. Depois do gol o Flamengo desmoronou.

Há problemas a serem corrigidos e muitas críticas justas que o Zé merece ouvir, mas dizer que o time foi covarde, que não honrou a tradição do clube é absurdo. É preciso relembrar: o Rubro Negro foi eliminado nas duas últimas Libertadores na fase de grupos e o histórico de vexames é frequente. Não é porque ele não utilizou o jogador que a maioria queria que está errado, ainda mais porque sua ideia deu certa dentro de campo. E isso é mais importante do que conceitos pré-formados.

Um dos pontos que precisa ser questionado é a saída de bola, que está à cargo do Rafael Vaz. Seja com qualquer volante, é sempre dele essa função. É óbvio que tem algo de errado aí.

Na partida de ontem, Vaz errou oito dos nove lançamentos que tentou. Novamente entregou o ouro pro adversário. Se jogar de forma discreta e consciente de suas limitações, como o Réver é, tem tudo pra ter boas atuações. O duro é jogador médio se achando o craque.

Não tem nada perdido. Como escrevi após a goleada contra o San Lorenzo: cada jogo é uma história. Contra os argentinos foi uma noite brilhante. Contra os chilenos o Flamengo teve tudo pra fazer seis pontos no grupo e encaminhar a classificação, agora terão dois jogos decisivos contra o CAP.

quarta-feira, 15 de março de 2017

A análise de dois jornalistas chilenos à respeito da partida de hoje

O blog entrou em contato com dois jornalistas chilenos para analisarem o jogo de hoje entre Flamengo x Universidad Católica.

Entrevistamos  Bruno Sampieri, (@BSampieri), periodista da Radio La Clave  e Álvaro Burgos (@alvaroburgos), da Frecuencia Cruzada.

Confira:

O Universidad Católica vinha de quatro derrotas seguidas no campeonato chileno. Mas conseguiu uma boa vitória na última rodada por 4 x 1, após empatar na estreia da Libertadores depois de está perdendo por 2 x 0. Como chega a equipe chilena pra esse jogo contra o Flamengo?

Bruno Sampieri: Llega bien, a pesar de esa racha cuatro derrotas al hilo, el empate agónico ante Paranaense, sumado al triunfo ante Antofagasta con equipo alternativo le dió un nuevo aire al plantel que se vió muy bien el fin de semana. Es un equipo que viene de ser bicampeón, por lo que tiene las armas para jugar un buen partido ante Flamengo.

Álvaro Burgos: La UC llega bien, con un alza en su juego. El equipo ha vuelto a ser el que fue el 2016 y que consiguió el Bicampeonato. Es un equipo que se conoce bien, saben de sus capacidades y está regresando a su nivel. El duelo de hoy es clave para confirmar la mejoría en su juego y funcionamiento.


A equipe perdeu seu principal jogador, o Castillo, e trouxe apenas o Santiago Silva. Como a torcida encarou essa situação?

Bruno Sampieri
: Nicolás Castillo fue goleador y máximo asistidor dos torneos seguidos, entonces reemplazar eso nunca será fácil. Santiago Silva ha ido de menos a más desde su llegada a la UC, siempre apoyado por la torcida del equipo debido a su entrega en la cancha. Para su fortuna, este fin de semana logró destaparse con dos goles.

Álvaro Burgos: Castillo es un jugador importante para el club, un jugador formado en las divisiones inferiores, hincha de Católica desde pequeño y el goleador del 2016. Él llegó de Europa, quiso aportar al equipo con éxitos deportivos y los logró, fue campeón tres veces (2 torneos nacionales y una Supercopa), cumplió y se le agradece. La llegada de Silva fue importante para el grupo de jugadores. Viene a reemplazar a Castillo pero no tiene las mismas características, es un jugador fuerte, reconocido y con mucha experiencia en Copa Libertadores, justo lo que necessita la UC.



O meia Buonanotte é o principal jogador da equipe? Quais suas características?

Bruno Sampieri:
Diego Buonanotte es una de las máximas figuras y el jugador que puede cambiar el partido de un momento a otro. Es un 10 muy ágil y rápido, capaz de disparar desde afuera como de asistir a sus compañeros con mucha facilidad.

Álvaro Burgos: Diego Buonanotte es importante en el equipo, es un jugador muy habilidoso, posee mucha experiencia, capacidad de habilitar a los delanteros y muy buen juego en pelotas detenidas. El fuerte de la UC es el juego colectivo, más allá de las figuras individuales, eso es lo que transmite el director técnico Mario Salas.


Em sua opinião, qual será a estratégia do Mario Salas para parar o Flamengo de Guerrero, Diego, Bérrio?

Bruno Sampieri:
Nada del otro mundo, sí alguna conversación especial con los jugadores del último bloque para que tengan cuidado con las grandes características individuales que tienen cada uno de los jugadores que señalas.

Álvaro Burgos: Cremos que Salas querrá dañar a Flamengo primero, quitarle el balón, jugar por las bandas buscando los duelos de Noir-Pará y Fuenzalida-Trauco. Sin duda que preocupan Berrio-Guerrero-Diego, pero el trabajo de la defensa de la UC y mediocampo buscará neutralizar el ataque de Flamengo con presión sobre Diego, Arao y Romulo para que no generen juego.


Qual a principal característica da equipe? Qual a forma de jogar do atual bicampeão chileno?

Bruno Sampieri:
Es un equipo que es muy ordenado y letal con espacios, principalmente a la hora de contragolpear. Las sociedades Espinoza-Fuenzalida y Parot-Noir generan mucho peligro por las bandas, además de las combinaciones que pueden lograr hilvanar Buonanotte y Silva.

Álvaro Burgos: Es un equipo que va al ataque siempre, que busca someter al rival en su campo , generar ataques muy profundos por las orillas y con una buena transición de defensa a ataque. El juego de la Católica ha madurado y tal como sabe atacar, hoy a aprendido replegarse y defender resultados favorables.



O caldeirão de San Carlos de Apoquindo é sempre temido pelos adversário. É a principal arma chilena nessa Libertadores?

Bruno Sampieri: Desde que llegó Mario Salas como entrenador de Universidad Católica (principios del 2015), Universidad Católica solo ha perdido 5 partidos como local, San Carlos de Apoquindo es un estadio pequeño pero donde el aliento y presión de la gente lo sienten los jugadores, están muy cercas los hinchas de ellos. Además, la temperatura en la noche podría bajar, lo que podría ser una complicación para el Mengao. Católica formará con: Cristopher Toselli en el arco; Juan Carlos Espinoza, Germán Lanaro, Benjamín Kuscevic y Alfonso Parot en defensa; César Fuentes como mediocampista de corte, Enzo Kalinski como mediocampista mixto; adelante de ellos, José Pedro Fuenzalida por derecha, Diego Buonanotte por el medio y Ricardo Noir por izquierda; solo en ofensiva, Santiago Silva.

Álvaro Burgos: Es un factor importante, los hinchas están muy cerca de la cancha, alientan todo el partido y el jugador eso lo siente. El estadio no tiene mucha capacidad, pero la presión ejercida de los hinchas a los rivales lo hace ser un reducto difícil. Otro factor importante de Católica es la experiencia en la Libertadores, la UC es un club que ha participado 24 veces en la Copa, tiene jugadores de experiencia como Toselli, Costanzo, Álvarez, Kalinski, Buonanotte, Fuenzalida, Silva, Gutierrez, es un plantel que sabe lo que está en juego y que apostó por avanzar en la Libertadores.

NBB 2016/2017: Macaé 80 x 82 Flamengo


Foi no sufoco, mas o Flamengo conseguiu derrotar o Macaé por 82 x 80 e se manter na liderança isolada do NBB.

Jogando no Juquinha, que tem sido um problema para o Rubro Negro nos últimos anos, a equipe da Gávea viu uma vantagem de 20 pontos no primeiro tempo e de 12 pontos no quarto final cair para apenas dois na metade do último período: 76 x 74.

Nos segundos finais o Macaé ainda teve a chance de empatar, entretanto, Lupa perdeu os dois lances livres faltando 37 segundos. E na última bola, Simmons errou o chute que levaria a partida para a prorrogação.

Novamente Marquinhos foi um monstro. Foram 23 pontos, chegando à média de 19,3 pontos por jogo. Shamell do Mogi é o líder com 19,9 pontos por partida.

Marcelinho anotou 13 pontos, cinco rebotes e seis assistências. Mineiro teve um ótimo jogo, terminando com 12 pontos, cinco rebotes e cinco assistências. Na armação, Ramon foi o destaque com 11 pontos e sete assistências.

Restam quatro jogos: Basquete Cearense e Vitória, ambos fora de casa. Minas e Brasília em casa.

Confira a classificação:


terça-feira, 14 de março de 2017

Libertadores: Flamengo contra o histórico ruim contra equipes chilenas. E a distância financeira que separa o Flamengo do U. Católica

As equipes chilenas se tornaram uma pedra no caminho Rubro Negro na Libertadores. São dez partidas na história, com quatro vitórias.

Contra o Universidad Católica foram quatro jogos na história da Libertadores, com apenas uma vitória.

Recentemente o Flamengo venceu a equipe do Palestino pela Sul-Americana por 1 x 0 fora de casa, mas protagonizou o vexame de ser eliminado em casa, ao perder por 2 x 1. O Palestino é, atualmente, o lanterna do campeonato chileno. Em seis jogos, são cinco derrotas e um empate.

O adversário de amanhã ocupa a 11ª colocação com duas vitórias e quatro derrotas. Iniciou o campeonato nacional com vitória, porém perdeu quatro partidas seguidas, inclusive contra o Colo Colo (eliminado da pré-Libertadores pelo Botafogo), vencendo na última rodada por 4 x 1.

O jornal El Mercúrio, do Chilen, destacou a diferença financeira entre o Flamengo e o Universidad Católica.


O jornal também fez um comparativo do valor do plantel, gasto mensal, cota de televisão, contratações realizadas no ano e número de sócios:


Por fim, o impresso destaca a fórmula para derrotar o "gigante do Rio de Janeiro", relembrando o histórico favorável contra o Rubro Negro:


segunda-feira, 13 de março de 2017

Tribunal de Contas do Rio resolve agir, após seis anos, e aponta rombo de R$ 211 milhões nas obras do Maracanã


O TCE-Rio apontou um rombo de R$ 211 milhões nas obras do Maracanã, em valores atuais, conforme divulgado pela TV Globo na noite deste domingo.

O Tribunal determinou a suspensão dos pagamentos de outros contratos com o governo do Rio que as empreiteiras envolvidas mantêm. As investigações revelaram termos aditivos suspeitos e gastos em duplicidade. Ao todo, o contrato teve 16 aditivos. O orçamento original foi elevado de R$ 700 milhões para R$ 1,2 bilhão.

Já nesta segunda-feira, o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro informou que ajuizou ação civil pública pedindo o ressarcimento ao Estado de cerca de R$ 200 milhões pelo superfaturamento nas obras do estádio do Maracanã. A ação também pede a indisponibilidade de bens dos acusados e que eles respondam por improbidade administrativa.

O próprio Tribunal de Contas do Rio é alvo de investigação pela Lava Jato. O órgão, durante seis anos, engavetou 21 dos 22 processos de investigação das obras do Maracanã. O Conselheiro José Maurício Nolasco era relator de 11  desses processos engavetados. Nolasco foi delatado por um ex-executivo da Andrade Gutierrez de ter recebido propina da empreiteira.

O TCE-Rio resolveu agir. Foi determinada a retenção do valor que será pago à empreiteira pelo repasse do consórcio. Na semana passada o órgão recomendou ao governo que anule esse contrato de concessão e faça uma nova licitação.

Foi determinado também a abertura de duas auditorias extraordinárias: uma para inspecionar os cálculos que embasaram a concessão do estádio, em 2013, e outra para monitorar a operação de transferência do estado.