sábado, 14 de novembro de 2015

NBB 2015/2016: Flamengo 102 x 70 Rio Claro


O Flamengo conquistou a segunda vitória no NBB ao derrotar a equipe de Rio Claro por 102 x 70, nesta noite de sexta-feira, na Gávea.

A partida marcou a volta do capitão Marcelinho e, em 23 minutos, anotou 12 pontos, 5 rebotes e 6 assistências.

Mas o grande nome foi o JP Batista, que chegou com a missão de substituir o campeão olímpico Herrmann e tem feito um começo de temporada excelente. Contra o Bauru foram 13 pontos, contra Franca 18 e agora, contra o Rio Claro, o ala-pivô anotou 26 pontos e pegou 5 rebotes.

Neste sentido, o garrafão foi responsável por 52 pontos, mais de 50% da pontuação. Meyinsse e Mineiro anotaram 13 pontos cada um.

Acrescenta-se que foram apenas 14 tentativas de três pontos.

Seis atletas terminaram com mais de um dígito na pontuação. Marquinhos anotou 17 pontos.


O JOGO

José Neto surpreendeu e iniciou o quinteto titular do Flamengo com Gegê de titular. A equipe Rubro Negra demorou a marcar os chutes de longa distância e viu o Rio Claro matar quatro bolas de três no quarto. Com uma sequência de 10 x 0 a equipe paulista chegou a abrir 16 x 8.

Aí não teve jeito e José Neto voltou com Rafael Luz e, com grande atuação de JP Batista, autor de 12 pontos e 100% de aproveitamento, o Rubro Negro voltou a liderar o placar: 27 x 25, porém no estouro do cronômetro, Caio matou a quarta bola de três dos paulistas e Rio Claro venceu o primeiro quarto: 28 x 27.

No segundo quarto, com três assistências de Marcelinho, o capitão colocou o Flamengo nos eixos. A marcação por zona funcionou e o ataque paulista perdeu sua melhor arma. Novamente foi no garrafão a principal estratégia de jogo. O destaque desta vez foi Meyinsse, com nove pontos. Com uma enterrada do americano a equipe da Gávea começava a impôr sua superioridade e abrir frente.

Com uma bola de três de Marcelinho o Flamengo abriu 48 x 33 e foi pro vestiário com confortáveis 54 x 38.

No terceiro quarto o time de José Neto controlou a diferença e não permitiu qualquer reação do Rio Claro.

O quarto final foi tranquilo. Os paulistas não demonstravam qualquer poder de reação e o Flamengo atropelou, metendo 30 pontos no quarto com 18 pontos de Marcelinho e Marquinhos juntos.

Dando números finais: 102 x 70.

A próxima partida será na quarta-feira contra o Liga Sorocabana e na sexta contra o Paulistano, ambas fora de casa.

39 comentários:

Antônio Neto disse...

Time tá jogando um basquete coletivo que dá gosto de ver, a quantidade de pontos e assistências entre os jogadores está muito nivelado.

Agora me chamou muita atenção a péssima atuação do Gegê, ele inexplicavelmente jogou por 23 minutos e só conseguiu fazer 2 pontos e 1 assistência (Rafa Luz fez 6 assistências e 5 pontos jogando 1 minuto a menos), e o mais impressionante é que o time ganhou por 30 pontos e ainda assim ele conseguiu apenas 2 de eficiência (Mingau teve 5 atuando por 7 minutos).

Antônio Neto disse...

E o Jp Batista talvez tenha sido a melhor contratação da temporada, é impressionante o que ele tá jogando.

Vamos torcer para que ele mantenha o nível até o final da temporada.

Bsrreto disse...

Time ganhou muito na defesa com Rafa Luz e Jason. Outro ponto que talvez não tenha sido notado: a alta eficiência do Jason nos 3 pontos que está próxima de 60%

André Amaral disse...

Pista de atletismo McDonalds....blz...rs

Ricardo disse...

André, gostaria de propor a construção de uma pista para pouso e decolagem de disco voador. rsrsrs. Pode?

Hernandes disse...

Amigos,
Basquete do Mengão é só alegrias! JP Batista muito bem! Pontuando que é uma beleza! Mineiro foi destaque contra Franca, deu um toco belíssimo! Foi considerada a melhor jogada da rodada! Marquinhos tá voando! Dá gosto de vê-lo jogar! Vai pra cima, tem iniciativa!
Marcelinho de volta, ele pontua bem, tem calma, tem excelente visão de jogo, dá ótimas assistências! Meyinsse sempre raçudo, eficiente, pontuador! Jason ajudando, sendo importante na defesa e no ataque! Rafa Luz bem na defesa, começando a pontuar! Gegê tem crédito pra chuchu!!! É só relaxar e deixar o jogo fluir junto com o grupo! Tamo contigo sempre!!!

Parabéns José Neto, grupo por mais essa vitória maiúscula!!!!

Hernandes disse...

ôôô, o Olivinha voltou, toda nação adorou, e o Mengo tudo ganhou!!!!
ôôôôôô...

Olivinha, volta logo!!! 100% !!! Obrigadú!!!

Barreto disse...

Há muitos rubro-negros que consideram as atuações do JP do NBB8 como uma grata surpresa, o que não é o meu caso, poisesperava a sua dominância por aqui em função do que já conhecia sobre o atleta. Os meus comentários neste blog, desde a sua a sua contratação, sempre indicaram esta expectativa.Considero o melhor pivô atuando no Brasil, com um jogo muito eficiente de costas para a cesta , na marcação, e no chute tanto de curta quanto de média distância.Jerome é também, para o nível de disputa aqui no Brasil, outro pivô de alto nível e bem mais rápido e atlético do que o JP, mas se considerarmos o conjunto de valências para a posição, considero JP ainda superior e com mais visão de quadra. Outro jogador, cuja contratação sempre reputei como excelente para o nosso nível é o Jason Robinson que, aos poucos, vai se adaptando ao nosso basquete e prevejo que também será um grane protagonista, inclusive ainda superior ao Vitor Benite, principalmente pela a sua capacidade defensiva, já destacada aqui no blog por outros colegas. Um jogador que joga de forma muito segura, dificilmente oferece turnover aos adversários,é bom nos rebotes, ótimo na marcação e nas assistências e eficiente nos arremessos de longa distância. Não arremessa tanto, porque também enxerga outras possibilidades de jogo, mas neste quesito já tem ótimo desempenho, 57% nos arremessos de 3 pontos( 8/14) nos 3 jogos do NBB8. Robinson joga para o time e este atributo, juntamente com a sua eficiência é o grande diferencial que tem em relação ao seu compatriota David Jackson. Jason ainda está longe do que pode jogar e fatalmente será um dos pontos fortes deste time.
Quanto ao Rafa Luz confesso que é difícil assimilar o seu jogo quando a comparação como o Nico vem à cabeça, mas , como no jogo de ontem, já vi sinais de que o time já está em processo de mudança no seu jogo para aproveitar o que o Luz tem de melhor para oferecer. Em resumo, este time promete.

Joanilson Silva disse...

Acho q vale destacar são as pouquíssimas tentativas de 3 Marcelinho só tentou 3 e fez 6 assistências, sabia q a volta dele iria fazer o time crescer. Imagina os times vendo esse poderio dentro do garrafão e resolve fechar e deixa Marquinhos e Marcelinho chutar de fora, imagina o estrago e sem falar no Mineiro q Tbm tem bom chute . Como previa teremos um ano brilhante.

Bcb disse...


Quanto ao JP Batista, acompanho-o desde a Universidade de Gonzaga.

Jogador esforçado, profissional, com boa capacidade de pontuar.

Particularmente acho que não é jogador de alto nível internacional nem para seleção brasileira, mas para jogar o NBB é bem acima da média.

Tenho dúvidas se ele vai manter esse nível de atuação, mas é possível que mantenha, o Flamengo tem um ótimo treinador, que sabe o que quer e que vem consistentemente tirando o melhor dos jogadores.

Foi uma boa contratação a do JP mas, repito, não sou fã do skill set dele, que se baseia muito no arremesso de meia distância, um arte morta no basquete mundial, e que tem habilidade atlética abaixo da média.

Mas será útil no Flamengo.Muito.

Barreto disse...

JP não será apenas útil ao Flamengo. JP é o melhor pivÔ do Flamengo e o melhor atuando no Brasil. Não é verdade que o arremesso de média distância é arte morta no basquete mundial ( os irmãos Gasol precisam ser avisados que esta arte morreu) e mesmo se isto fosse verdadeiro não haveria a menor importância porque estamos analisando o desempenho de um atleta no universo de comeptições do Flamengo, formado de cubes da América do Sul e da América Latina. Este é o contexto em pauta, o resto são conjecturas que não servem para nada.

Bcb disse...


JP não é nem o melhor pivô do Flamengo, muito menos do Brasil.

Quanto ao arremesso de meia distância, isso nem é opinião, é um fato.Todo mundo hoje busca ou arremesso de 3pts ou um arremesso próximo ao aro/buscar contato pra cavar uma falta e lances livres.

O arremesso de meia distância é o arremesso com menor relação custo benefício do basquete.

Estou me referendo a uma tendência do basquete mundial e, assumindo que a discussão aqui seja basquete, então acho que está fortemente inserida no contexto.

Barreto disse...

Meu caro é apenas uma questão de opinião. Acho que os melhores pivôs que jogam no Brasil estão no Flamengo e JP para mim é o melhor deles. EXistir uma tendência na redução dos arremessos de meia distância é muito diferente do que considerálos como uma arte morta. Ou não é? Vários jogadores da NBA usam e abusam da média distância e só para citar alguns pivôs menciono os irmãos Gasol e Lamarcus Aldridge.

Maycon Dias disse...

Sergie Ibaka do OKC utiliza constantemente o arremesso de meia distância tbm, basta ver no jogo entre OKC x Boston

Jose Carlos disse...

Realmente no basquete hoje em dia usa o arremesso longo (3 pts) ou o arremesso próximo a cesta, buscando o jogo de contato, porém nem de longe o arremesso de média distância deixa de ser algo em extinção. Pelo contrário, passa a ser mais um recurso em meio a um basquete cada vez mais ''padronizado''.

JP vem mostrando um estilo similar ao Caio Torres (mesmo sendo mais baixo), com muita presença no garrafão, buscando o jogo de contato, porém com maior mobilidade e com a vantagem do arremesso de média distância, que o nosso bravo Caio não tinha.

Arrisco-me a dizer que, se manter o ritmo atual, JP tem tudo pra ser um dos 3 pivôs da seleção na Rio 2016 (os outros 2 são incontestavelmente o Splitter e o Nenê). Hoje ao meu ver o único pivô capaz de tomar essa posição dele é o Hettshmeir, ou em último caso (o que não acredito) o Magnano levar apenas 2 pivôs e improvisar o Varejão quando necessário.

Outro jogador que vale a pena destacarmos é o Luz. Creio que seja questão de tempo para a torcida se adaptar ao estilo de jogo dele, mas é inegável o ganho que ele e Robinson trouxeram para a marcação e para a armação da equipe, trazendo muito mais estabilidade (os apagões de terceiro quarto e as jogadas precipitadas sumiram) e maior seletividade nas jogadas, partindo pra definição somente ''na boa''.

É outro estilo com o qual precisamos nos acostumar mas estamos no caminho certo.

Joanilson Silva disse...

Não sou nenhum pouco fã de seleção, mas acho q o Augusto esta na frente do JP e não é pouco, acho q para o Brasil o JP é acima da média.

Entendo q o Neto consegue ver o q cada jogador pode dar de retorno para o time e monta o time assim, tentando aproveitar a expertise de cada jogador.

Apesar dos apagões e precipitação em algumas jogadas, ainda gostava mais do argentino na armação e acho q o Jason pode acrescentar muito ao Flamengo, podendo empatar com tudo q o Benite produziu, passar é muito dificil (espero q consiga, torço por isso), pois Benite jogou demais e estava super entrosado ao time, e acho q o Jason so tende a crescer ganhando entrosamento.

Estou muito feliz com o Marcelinho, se ele for analisar o desempenho dele mais novo e o de hoje, jogando menos tempo esta produzindo em pontos a mesma coisa ou ate mais, pois esta ajudando muito o time com assistencias.

Sobre o ultimo jogo analisando so rebotes ofensivos percebi q pegamos um numero irrisório de rebotes no ataque e isso precisa melhorar, mesmo sem o Olivinha o Mineiro tem agilidade para ajudar o JP e o Grandão.

SRN

Matheus P. disse...

Augusto Lima é um dos pivôs da seleção na olimpíadas, isso é fato. No garrafão seleção já ta vem definida.

Barreto disse...

José carlos

Concordo totalmente com o seus comentários sobre o JP e o Jason. Com relação ao Rafa Luz acho que você pode estar certo, provavelmente está. Na realidade eu tenho muita reserva com o Luz e,por isso,prefiro esperar um pouco mais.
Acho que o Hettsheimer é uma lástima no garrafão . Seu movimento de pernas é muito deficiente e não dá mais tempo de corrigir. Este foi um dos motivos pelos quais o Flamengo massacrou o Bauru nas finais do NBB7.

DAVID disse...

Amigos, fiquei muito receoso quando da saída dos 4 jogadores (Hermann, Nico, Benite e Felicio) porque tirando o Felício todos os outros eram protagonistas e o Benite fez uma temporada espetacular. Hoje com talvez 10 jogos (que é muito pouco) eu já estou bastante confortável para entender qual foi a proposta e como vai ser o Flamengo nessa temporada.Um novo time realmente e uma nova maneira de jogar mas altamente competitivo e talvez mais completo do que o elenco anterior. O Flamengo demorou bastante para contratar o Robinson e com certeza estudou entre as 10 opções que tinham o perfil que se encaixava na proposta.Dizem que ele alem de ter a característica técnica que tem é um jogador de grupo e agregador e isso sempre é uma dúvida com os gringos (principalmente americanos) e numa temporada longa tem um peso imenso. No jogo contra o Bauru que estávamos sem o Marcelinho e Olivinha passamos 70% do jogo comandando o placar e só não ganhamos pelo apagão no 3º quarto e por 3 vacilos no final (Luz,Gegê e Marquinhos). Se forem observar o Flamengo vem tomando um numero pequeno de pontos por jogo e incomodando bastante na marcação e isso se deve muito ao Luz e ao Robinson.Não marcávamos bem na temporada passada e quando o ataque não funcionava bem ou perdíamos ou ganhávamos de maneira dramática.Mesmo contra o Orlando que não é um dos fortes da NBA e mesmo jogando mal tomamos o menor numero de pontos na historia entre jogos de times de fora da NBA contra times de lá. Formamos o melhor garrafão do Brasil onde podemos jogar em baixo ou ter a bola de media distancia que o Mineiro e o JP tem ótima performance. Temos a bola de fora do Marcelinho e do Marquinhos e o auxilio do Robinson nesse quesito. O time é forte e entrosado vai decolar. Volto a dizer que só me preocupo com a questão do Gegê porque não vejo a evolução esperada dele e quando precisarmos dele não vai dar conta. Tínhamos o Benite como curinga nessa função e não temos mais. Colocar o Marquinhos numa emergência acho "criminoso" e talvez por incrível que pareça o Marcelinho com 40 anos seria a melhor opção. Se observarem dificilmente conseguem tirar a bola dele embora não tenha mais a mesma velocidade. Desde que foi afastado voltou trabalhando muito bem nas assistências e arremessando só na boa . Enfim é esperar mas estou muito confiante que vamos disputar pra ganhar todos os campeonatos que participarmos.

DAVID disse...

Frase do Póvoa "Uma equipe mais “pesada”, talvez menos talentosa que a do último ano e com menos atiradores de fora, mas com superior poder de marcação, rebote e potencial ofensivo no garrafão."

Joanilson Silva disse...

David,

Acho q o Marcelinho pode ser tranquilamente esse cara para auxiliar o Luz na armação, mesmo com 40 anos e sem velocidade, pois a postura dele depois do episodio e tecnica q tem pode auxiliar muito o time.

Acho q o Gege vai servir no maximo para dar uma descansada no Luz e não atrapalhar muito, para no 4 periodo o Marcelinho entrar e começar a distribuir assitencia ou meter bolas de 3, vai de acordo com o gosto do fregues, marca o garrafão e deixa o Marcelo sozinho ou corre nele e toma uma cravada do JP ou Meyinsse.

SRN

Jose Carlos disse...

Opa, só ponderando alguns pontos:

- Magnano em todas as suas convocações leva 5 jogadores de garrafão. Hoje 4 tem vaga garantida: Nenê, Thiago Splitter, Augusto Lima e Varejão. Sobra uma vaga que deve ficar entre JP ou Hettshmeir. Hoje ao meu ver essa vaga seria do JP.

- Como o David disse acima, o ponto fraco desse Flamengo chama-se Gegê. Infelizmente é um jogador que regrediu e tendo em vista sua idade (25 anos) acho que não alcançará um estágio maior do que está agora.

- Quanto ao Luz, eu até entendo as ressalvas do Barreto em relação a ele, mas os jogos que vi esse ano me encheram de esperança em relação a esse jogador. Tudo bem que ele teve uma atuação pifia contra o Magic, mas desde a partida contra o Franca ele vem mostrando que está encontrando sua função na equipe, trazendo mais equilibrio e precisão nas jogadas, porém como nem tudo é perfeito, ele não é aquele armador de fazer 30 pontos em um jogo.

Jose Carlos disse...

Como foi dito acima: esse ano quem vai decidir os jogos do Flamengo é a galera do garrafão. E se complicar na área pintada, vem a artilharia do Marquinhos, Robinson e Marcelinho. Luz vai ser aquele carrapato pra não deixar o adversário jogar e ao mesmo tempo vai armar a equipe visando a definição das jogadas somente ''na boa''. É um time de menos espetáculo, mas com alta regularidade e poder de marcação.

Barreto disse...

David,

Seus comentários são inteiramente pertinentes com relação ao novo elenco. Sobre o Jason, desde que foi contratado, tenho dito que se trata, para o nível de América Latina, de jogador de alto nível. Tivesse ele mais velocidade , consquentemente,maior aptidão para o jogo der transição certamente já teria se tornado jogador do primeiro escalão europeu. Vi vários jogos do Jason através de um site que eu assinava e que transmitia mmuita coisa das ligas VTB,ACB e Italiana, além de todos os campeonatos europeus. Jason sempre me impressionou positivammente, mas na arealidade sempre fica uma dúvida se o cara vai se adaptar ao basquete brasileiro. Quando afirmei que Jason era jogador superior ao David Jackson, fui ferozmente combatido. Ainda falta muito para o americano chegar no nível que já o vi jogar, mas mesmo assim muita gente da deve ter mudado de opinião sobre este jogador.

Humberto Sempre Fla disse...

Parabéns Flamengo!!! Feliz Aniversário!!!

120 anos de alegrias, festa, conquistas, superação, celebrações!!!

Parabéns a todas as pessoas corretas, decentes, engajadas que amam, respeitam e honram esse clube ontem, hoje, amanhã, sempre!!!

Conte conosco Mengão!!! Acima de tudo rubro-negros!!!

Antônio Neto disse...

David, você consegue ver o Marcelinho armando o jogo contra o Orlando Magic ou contra o Bauru com um Ricardo Fisher marcando que nem um carrapato? Não tem chance de um jogador dá idade dele conseguir fazer a função nesse tipo de jogos.

Não sei se você lembra, mas contra o Orlando nossos armadores foram engolidos pela intensidade e força física da defesa adversária, não conseguiam sequer fazer a bola mover pois tinham muitas dificuldades de escapar da marcação pressão do armador deles, com isso tão pouco conseguiam pisar no garrafão adversário. A solução ali na minha opinião era o José Neto ter colocado o Marquinhos para fazer a função, pois apesar da alta estatura é o nosso jogador de maior progressão partindo com a bola controlada e depois do Marcelinho é aquele que melhor domina os fundamentos necessários (Drible, ball handling, visão de jogo, passes, etc...).

Outra observação é que o Orlando poderiam ter metido tranquilamente 110 ou mais pontos naquele jogo, a formação utilizada por eles no final deixou isso bem claro isso.

De resto tenho uma visão bem parecida com a sua em relação ao elenco. SRN





DAVID disse...

Antonio Neto, em relação à posição de armador temos um complicador futuro em caso de lesão, faltas ou um dia ruim do Luz principalmente nos jogos mais duros. Não confio no Gegê, ele entra com raça, joga pra galera, faz 3 faltas estupidas e volta pro banco. Colocar o Marquinhos por pouco tempo até pode ser mas por muito tempo pode prostituir a performance dele e causar um desgaste muito alto. Falando do Orlando que vc citou, tirando o primeiro jogo do Flamengo sobre o Phoenix (100x88) que o Flamengo ganhou os 3 primeiros quartos e o time americano teve que acelerar pra não entrar pra historia, todos os outros jogos do Flamengo e do Bauru os times americanos jogaram com o freio de mão puxado o que era previsível.Vejo que todos tem opiniões bem parecidas com a questão do elenco e da proposta da comissão técnica.Acompanho o basquete do Flamengo desde Chacón, Alvin, Brent, os amigos do Oscar passando pelo Greg Newton e outros. Sempre me lembro do melhor americano que passou
pelo Flamengo (na minha opinião)e que fazia 30/35 pontos por jogo (Steve Worthy). E de outro que jogou em 1998/1999 que acabou o brasileiro com 3 tabelas destruídas (Kendrick Warren). https://youtu.be/IWZSJPL8aNY. Mesmo com tudo isso eu não tenho o conhecimento técnico do Barreto, Jose Carlos e outros daqui.Como sou da área esportiva acompanho atentamente todos os esportes e suas nuances principalmente no que se refere o Flamengo que é o clube que eu amo. Tenho certeza que novamente esse ano vamos brigar por títulos em todas as competições.Um elenco novo, um jeito de jogar diferente mas altamente competitivo e se deus quiser menos instável.

Ruy Moura disse...

DAVID gostei muito do seu comentário pela referência que fez aos estrangeiros, na maioria norte-americanos, que vestiram o Manto Sagrado. Você se lembra do americano Flowers que jogou no Flamengo em 1989 e disputou um hexagonal final e o rubro negro terminou em terceiro com uma vitória a menos que o campeão Sírio? O que você tem a dizer do Askia Jones campeão carioca em cima do Vice da Gama em 1998? Parece que era muito bom jogador. Em comparação com os americanos que atualmente jogam no NBB, qual é a sua opinião sobre aqueles dos anos anteriores que você citou em seu comentário? Posso estar enganado e não acompanhava de tão perto o basquete naqueles anos, assistia a uma ou outra partida e sempre em finais, mas parece que o protagonismo daqueles americanos era maior. O que acha? Barreto tem alguma opinião sobre este histórico de estrangeiros. O Zé Boquinha e o Mortari parece que tinham um convênio maior com os americanos ou eram mais observadores do mercado.

Antônio Neto disse...

David, acho que nenhum torcedor mais ter confiança no Gegê, sinceramente não entendo como o José Neto insiste tanto com esse jogador.

Sobre utilizar o Marquinhos na função,obviamente seria apenas em casos emergênciais.

É apenas uma suposição minha, mas se o José Neto tivesse colocado uma formação mais alta com o Marquinhos articulando as jogadas teríamos ganho aquele jogo contra o Bauru.

Anônimo disse...

Antônio Neto
Como a maioria, acho GG muito fraco mas considero também que o Neto não insiste com ele e sim o utiliza porque não tem outra opção, pois usar o Marquinhos ou o Marcelinho sempre na rotação da posição seria inadequada, principalmente pelo desgaste que seria imposto a estes jogadores. Assisti um víseo do póva na " coluna do Flamengo" sobre esportes olímpicos em geral. Póvoa disse que no momento não vai contratar ninguem mas não descartou posterior contratação caso haja grana. Estou vendo agora o jogo Mogi x San Martin pel LSU e mais uma vez estou bem impressionado com o jogador do time argentino chamado Mateo Bolivar que atua nas posições 1 e 2 ( 23 anos). Este jogador veio da 2ª divisão do basquete argentino e me parece que cairia como uma luva na rotação do Flamengo. Mesmo que receba em dolar, acredito que seja um jogador barato. A visibilidade que o Flamengo oferece ajuda muito neste tipo de contratação.

Barreto disse...

Antônio Neto
Como a maioria, acho GG muito fraco mas considero também que o Neto não insiste com ele e sim o utiliza porque não tem outra opção, pois usar o Marquinhos ou o Marcelinho sempre na rotação da posição seria inadequada, principalmente pelo desgaste que seria imposto a estes jogadores. Assisti um víseo do póva na " coluna do Flamengo" sobre esportes olímpicos em geral. Póvoa disse que no momento não vai contratar ninguem mas não descartou posterior contratação caso haja grana. Estou vendo agora o jogo Mogi x San Martin pel LSU e mais uma vez estou bem impressionado com o jogador do time argentino chamado Mateo Bolivar que atua nas posições 1 e 2 ( 23 anos). Este jogador veio da 2ª divisão do basquete argentino e me parece que cairia como uma luva na rotação do Flamengo. Mesmo que receba em dolar, acredito que seja um jogador barato. A visibilidade que o Flamengo oferece ajuda muito neste tipo de contratação.

17 de novembro de 2015 20:59

Antônio Neto disse...

Barreto, José Neto tem muita confiança nele tanto que é pela seleção lhe convocou e o fez jogar várias partidas pelo sulamericano. Se não me engano naquele jogo contra a Venezuela onde perdemos no final, era o Gegê quem iniciou o ultimo ataque da partida.

Contra o Bauru, outro jogo só decidido no final, foi o Gegê que terminou o jogo como armador. Isso é sinal que ele confia no jogador.

Barreto disse...

Antônio

Não acredito que atualmente o José Neto tenha esta confiança. É falta de opção mesmo.
No jogo contra o Bauru não houve jeito, havia somente 7 jogadores na rotação. A única solução é contratar algum estrangeiro que pode ser um jogador mediano.

Antônio Neto disse...

Barreto, um jogador que gostaria muito de ver no Flamengo é o Luca Vildoza, mas imagino que só seria possível para uma próxima temporada. Para agora, se possível, contrataria um jogador do perfil que tu citaste.

Barreto disse...

Antonio Neto

Luca Vidoza é muito bom e tem apenas 20 anos. Vi alguns jogos dele este ano na liga argentina e fiquei realmente impressionado. Pelo quevi e pelas opiniões da imprensa especializada argentina, joga bem mais do que Laprovittola jogava na sua idade. Na realidade o Nico deu um grande salto no Flamengo pois era um jogador que não usava muito o arremesso de 3 pontos e pouco infiltrava. Segundo José Neto os próprios técnicos argentinos reconhecem a evolução acentuada que ele teve no Flamengo. Com relação ao Vidoza acho difícil conseguir a sua contratação este ano, mas não custa tentar. É jogador que já tem nível para ser titular no Flamengo. Antes de tudo precisa ser definido se o Flamengo vai contratar mais alguém e depois pensar nos nomes. Póvoa não descartou uma contratação para reforçar o time mais a frente dependendo da grana. Não sei como está correndo o processo de captação de recursos pelo patrocínio incentivado via ICMS.

Abração.

Jose Carlos disse...

Pelo que compreendi nas entrevistas do Póvoa na época da formação da equipe, o clube tem dinheiro pra manter o elenco para essa temporada e dependendo da variação cambial ou de alguma necessidade (contusão por exemplo), mais um estrangeiro possa ser contratado. Durante a campanha eleitoral, Bandeira de Melo disse que para essa temporada o orçamento da equipe é de 10 milhões de reais, porém pelo fato de um jogador com salário relativamente alto e em dólar (Robinson), o clube deva estar dando uma segurada.

Esse jogador sugerido pelo Barreto, o Vildoza, é um excelente jogador, já foi convocado algumas vezes pra seleção argentina, atua nas posições 1 e 2 e cairia como uma luva no Flamengo, pois complementaria o estilo do Luz e possibilitaria ao Neto múltiplas possibilidades de armar a equipe. Creio que tenha um salário baixo, já que a crise na Argentina tá pior do que aqui, e o único time com grana lá esse ano é o San Lorenzo.

Quanto ao Gegê, vejo que o Neto sempre demonstrou confiança nele, mas parece que já vem perdendo a paciência. Se tivesse algum jogador ''bom'', o Neto já teria mandado o Gegê passear faz tempo.

Ao meu ver seria válido a contratação de um jogador pontual para a segunda fase da Liga das Américas, onde começaremos a enfrentar equipes Argentinas, Venezuelanas e Mexicanas, que sempre usam desse artifício, enchendo a equipe de americanos e latinos ex-NBA nas fases finais.

Poderia-se tentar o próprio Vidoza ou algum jogador mais consagrado como Fitipaldo ou Garcia Moralez, oferecendo um contrato entre Fevereiro até a final do NBB (caso a equipe chegue até lá.). Seriam apenas 4 meses de salários pagos a um jogador que com certeza acrescentaria e muito a equipe em uma competição extremamente difícil.

Outra opção que acharia viável era trazer um dos garotos do Minas, o Coelho ou o Danilo Siqueira, armadores com maior poder ofensivo e potencial de evolução bem maior do que o Gegê. O NBB permite que o jogador se transfira com até 7 jogos por sua equipe anterior e o Minas até agora jogou 3 jogos.

DAVID disse...

Vildoza me parece que vai dar um excelente jogador. Me impressiona bastante. Concordo com o Jose Carlos no que se refere a uma contratação pontual par a Liga das Américas.Ruy Moura me lembro bem do Flowers e do Askia Jones. Na minha opinião a diferença hoje entre os jogadores americanos e s brasileiros é menor do que antigamente. Askia Jones era meio vagalume mas crescia muito nos jogos decisivos. Marc Brown tb jogou muita bola no Flamengo (botava o Larry Taylor no chinelo). Passaram vários de qualidade Robyn Davis, Brent Merrit, Alvin, Rock Smith, Ken Redfield e o canadense Greg Newton que tinha uma técnica duvidosa mas levantava a torcida com umas enterradas monstruosas.
Sempre lembrando que os gringos (principalmente americanos) que jogam no Brasil são de nível intermediário pra fraco em seus países. Falei que o Steve Worthy foi o melhor americano que vi jogar no Brasil e no Flamengo mas o Rock Smith que veio do Corinthians pro Flamengo tb era espetacular.

Antônio Neto disse...

José Carlos, a essa altura do campeonato dificilmente algum clube emprestará um jogador deste quilate. A ideia penso que seria pagar a cláusula de rescisão contratual de algum jogador, mas para isso é preciso que ainda tenha uma boa folga no orçamento do clube.

Barreto disse...

Meus amigos


Só lembrado que a contratação de jogadores , sejam brasileiros ou estrangeiros, para o NBB só pode ser feita até o início de janeiro. Não sei exatamente qual é a data. Para a liga das Américas não há qualquer restrição nem mesmo no número de estrangeiros.