quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

A falta de efetividade dos pontas resultou na perda do título para o Palmeiras


O Flamengo passou por diversas dificuldades na temporada passada: chegou a não ter zagueiros no elenco e precisou de chamar o já dispensado César Martins, mas talvez o maior problema tenha sido a pouca efetividade dos pontas, o principal pilar do esquema do Zé Ricardo.

Se resolviam fechando e compactando a marcação, no ataque os quatro pontas mais utilizados foram uma lástima:

Cirino: 24 jogos, 2 gols, 0 assistência
Gabriel: 22 jogos, 3 gols, 0 assistência
Éverton: 30 jogos, 3 gols, 7 assistências
Fernandinho: 25 jogos, 3 gols, 3 assistências

Só Robinho sozinho fez 12 gols e 8 assistências em 30 jogos.

Foi por essa deficiência que o Flamengo não conseguiu superar o Palmeiras no Brasileiro. Quando o Éverton, o melhor desses, se machucou contra o Inter no Beira Rio, derrota de virada por 2 x 1, o Rubro Negro naufragou e não se encontrou mais. Só voltou a jogar o futebol que empolgou a torcida contra o Coritiba no Maracanã, apesar do empate, perdeu várias chances.

O time para a Libertadores precisa de reforços para mudar de patamar. Por enquanto só o Rômulo para titular é pouco, apesar de melhorar e muito a posição de volante, se Márcio Araújo for para o banco.

Entretanto, o Rubro Negro precisará investir em pelo menos um ponta de nível e o outro mediano. E não adianta esperar oportunidade de negócio apenas para ter jogador em fim de contrato e que chegue somente pelo salário.

Sem entrar no mérito do mecenato alviverde, que é exceção no futebol brasileiro, o Palmeiras já gastou R$ 25 milhões para jogar a Libertadores, e o Flamengo ainda está zerado nessa briga.

Não foi coincidência o time da Gávea elevar o nível de contratação no ano passado e ter brigado pelo título até as últimas rodadas. Tem elenco para outra vez brigar pelo título brasileiro, mas para a Libertadores ainda não subiu de patamar e não tem jogadores decisivos (Conca, quando jogar, será um desses), no ataque, além do Guerrero.

7 comentários:

João Paulo disse...

O que determinou a perda do título brasileiro foi o pife primeiro terço do Flamengo no campeonato, sendo que alguns reforços só segaram pra segunda metade. Parece que isso a diretoria ainda não aprendeu. Bastava ter repetido nas primeiras 10 rodadas o aproveitamento dos dois últimos terços que o Mengão chegaria junto com o porcão. Também faltou o famoso sprint final que sobrou em 2009. Vejo que agora o Flamengo deveria ir atrás de jogadores cujos desempenhos sejam mais previsíveis, aliás, foram somente estes perfis que deram certo nos últimos anos: Elias, Guerrero, Rever, Diego Ribas, William Arão, Alex Muralha etc. As inevitáveis apostas e os estrangeiros não teve um que deu certo. Pra mim deveriam tentar novamente o Elias do Sporting. Quem sabe um empréstimo oneroso? Aquele que além do clube pagar o salário paga também um valor pelo empréstimo. O Elias vale a pena, além de ganhar um grande jogador, o time como um todo ganha muito com ele no esquema. Outros nomes cujos desempenhos reriam mais previsíveis são o Tardelli, Nilmar, Vargas, Vágner Love entre outros. O Flamengo caiu no grupo mais difícil da Libertadores, chave que ele não pode nem pensar em perder ponto em casa, cada ponto perdido em casa é irrecuperável, ninguém pode imaginar que o Flamengo vai empatar com a Universidad Catolica em casa e depois ganhar lá, é muito pouco provável. Depois da eliminação na competição sul americana não adianta trazer os reforços. Na prática, e até agora, o clube não contratou ninguém. O Trauco é aposta e também reserva, o Conca só em junho e depois ainda terão que aguardar ele recuperar o ritmo ideal - mais uns três meses, o Rômulo não joga com frequência há pelo menos 16 meses, fora que hoje ele é mais segundo volante. Abram o olho Caetano e cia, caso contrário a Liberta acaba antes do Conca estrear e no final de ano vocês verão mais festas dos paulistas.

Barreto disse...

André

De todos os jogadores ventilados o mais barato é o Marinho que custa 17 milhões de reais. Negócios como este não servem e faz muito bem o Flamengo em recuar.

CBM disse...

O que o Flamengo precisa é mudar de esquema, o time só teve eficiência com o Gabriel e Everton jogando. Cirino, Emerson, Fernandinho não jogaram nada. O técnico foi burro de não conseguir trabalhar um esquema diferente para o desfalque dos titulares ou a necessidade de substituição ou mesmo uma partida ruim do Evérton e o Gabriel o que é bastante comum. Se o técnico tivesse trabalhado melhor um esquema com Diego e Mancuello, tivesse aproveitado melhor o Thiago Santos e o Adrian o resultado poderia ter sido melhor, mas o técnico resolveu tentar agradar o Emerson, depositava esperanças no Cirino e no Fernandinho e ficava preso no final do campeonato a previsível 4-3-3.
Com o Conca é necessário mudar o esquema então nada melhor de já começar isso no início do ano já utilizando o Mancuello de titular junto com o Diego.

Barreto disse...

Acho realmente que o Fla precisa realmente mudar de patamar no ataque pelas pontas, mas isto provavelmente não será conseguido com jogadores sem lastro. Gastar fortunas com jogadores sem lastro é loucura. Trazer jogadores decadentes como Elias e Vagner Love é puro retrocesso. Elias e Love hoje seriam reservas absolutos no Fla.

Joanilson Silva disse...

Falar no Vagner live deve ter sido alguma brincadeira ou sacanagem, até gostei da passagem dele no Flamengo, mas ñ tem mais condições, mas dizer q o Elias é decadente? O cara jogou muito no Flamengo, repetiu no Corinthians e estava na seleção, pode até ser q o futebol dele tenha caído, mas não dá para afirmar decadência pelas suas últimas atuações. Tbm ñ vejo ele como reserva, nas recuar o Arão e Elias poderia muito bem jogar.
Espero, mas duvido muito q o ZR já comece a preparar o time para a entrada do Conca e essa preparação passar por efetivar o Adryan ou o Paqueta como titular ao lado do Diego, ñ existe outra possibilidade de armar esse time até a estreia do Conca sem algum dos 2 ou até mesmo o Matheus Sávio, mas será mesmo q a base vai jogar esse ano, Ainda tenho muitas dúvidas

Julio Martins disse...

Bom dia.

Cada um tem sua visão sobre esse assunto.

Nessa semana, o Jorge disse que faltou vontade.

Você, André, diz que faltou ponta.

Eu digo que o Paulo Nobre, presidente do Palmeiras, contratou um PROFISSIONAL do futebol para cuidar do futebol. Qual o resultado? O Palmeiras nos últimos dois anos ganhou dois títulos nacionais:

2015 Copa do Brasil
2016 Campeonato Brasileiro

O nosso presidente optou por colocar nesses dois anos para cuidar do futebol seus amigos de Chapa Azul. Sinceramente eu sequer me recordo do "fulano" que
comandou o futebol do Flamengo em 2015. Esse ano o "aliado" se chama Flávio Godinho, alguém que caiu de paraquedas no CT do Flamengo. Qual o resultado?

2015 sem títulos
2016 sem títulos

O que falta é profissionalizar o setor mais importante do Clube. Colocar o "aliado" para comandar o grupo de jogadores profissionais do maior Clube do Brasil não tem sido uma boa escolha.

Todos nós nos lembramos do episódio lamentável no início do campeonato brasileiro do ano passado com Flávio Godinho e Eduardo bandeira defendendo aquela zaga com o "ótimo" Wallace e o "excelente" César Martins.

Não foi graças e esses dois amadores, mas à torcida do Flamengo, que eles foram expulsos do Clube por nós e com a contratação do Réver e do Vaz a defesa encaixou e tivemos um ótimo campeonato brasileiro.

Porém, sem vontade na reta final, sequer conseguimos manter o segundo lugar. Por quê? Porque não tem ninguém no comando do futebol exigindo dos jogadores resultados. Coisa que o Palmeiras tem hoje com Alexandre Matos, um profissional vindo de fora do Clube, que o Flamengo não tem.

Mozer é gerente. Rodrigo Caetano foi transformado pelo Godinho e Bandeira num mero funcionário cumpridor de ordens. Não tem problema. Desde que quem está no comando esteja realmente no comando. E hoje ninguém está no comando dos jogadores do Flamengo. Reconhecemos que os jogadores têm caráter. Mas, falta aquele comando que exige o algo mais do grupo.

O Paulo Nobre pode ser metido, encrenqueiro, arrogante. Mas, ele faz o que é
o melhor para o Clube dele. E, até aqui, está colhendo resultados muito superiores ao nosso.

Eu gosto de olhar para a realidade. Para os frutos, o resultado.

Abraços e bom fim de semana.

Guilherme disse...

Pois é, Julio. Vamos para o quinto ano de mandato do presidente Eduardo Bandeira com um amador no comando do futebol profissional, ou seja, alguém da chapa azul, que nunca lidou com atletas, nunca lidou com o esporte em alto nível. E logo no setor mais importante do Clube. O desempenho tem sido baixíssimo. Em quatro anos, 20 campeonatos disputados, ganhamos apenas dois: uma Copa do Brasil e um Carioca. É muito pouco.

O volume enorme de investimentos no Futebol e o ótimo elenco que temos tem tido um rendimento bem abaixo do esperado nas mãos de amadores que não sabem se relacionar com os jogadores e cobrar deles da maneira correta o resultado que desejamos.

Esperamos que mesmo com o Godinho, essa diretoria tenha a lucidez de contratar o Elias, pois foi com ele que ganhamos o único título relevante dessa administração até aqui. Deixa o Marinho ser feliz aonde ele for, esquece esse atacante paraguaio com seu brilhareco de momento e contrata aquele que em apenas um semestre vestindo o uniforme do Mengão nos levou a ganhar a Copa do Brasil. Elias é uma contratação certa. Ele se sente bem, feliz com a camisa do Flamengo, com a torcida do Flamengo e todos nós gostamos dele.

Chega de contratar gringo para ficar no banco.