quarta-feira, 18 de maio de 2016

NBB 2015/2016 - Semifinal - 5º jogo: Flamengo 79 x 75 Mogi


O Flamengo está na grande final do NBB pela quarta vez consecutiva!

A vitória foi sofrida, de virada, dramática, mas com apoio da torcida que transformou o Tijuca em caldeirão, o Rubro Negro venceu o Mogi por 79 x 75, fechou a série em 3 x 2 e vai enfrentar o Bauru na decisão melhor de cinco.

O grande nome do jogo foi o Olivinha. No ano passado todos cravavam o Hermann como titular absoluto. Olivinha foi lá e provou que a titularidade é conquistada dentro da quadra. Agora, novamente, o ala-pivô prova ser o coração deste time, jogando como um garoto perto do final da temporada, levando o Flamengo nas costas com 22 pontos (68% de aproveitamento) e 8 rebotes.

Mesmo com um elenco recheado, dez adultos, o Flamengo arrancou essas duas últimas vitórias na marra. O Mogi parecia ter mais time, Larry, Shamell, Tyrone faziam a defesa da Gávea dançar na marcação. Se nos outros anos prevaleceu a força técnica da Gávea, de um forte elenco, este ano acho que podemos dizer que prevaleceu a força do Manto - foi na raça!




O JOGO

O primeiro quarto foi equilibrado. O Flamengo chegou a abrir quatro pontos com uma cesta de Meyinsse: 10 x 6, mas logo o Mogi respondeu com uma bola de três de Shamell. Olivinha fez o Rubro Negro abrir novamente quatro pontos: 15 x 11, mas outra bola de três de Lucas Mariano impediu que a diferença para a equipe da Gávea aumentasse e ficasse impossível depois buscar o placar.

Mogi chegou a passar à frente, mas terminou tudo empatado: 23 x 23.

No segundo período a equipe paulista voltou melhor. O Flamengo conseguiu segurar até a metade do quarto, a despeito de sua atuação ruim, mas não dá pra ter Gegê sete de dez minutos em quadra impunemente em uma noite decisiva. Com uma bola de três de Larry, o Mogi abriu uma corrida de 14 x 7 e 37 x 30 no placar.

O Flamengo não pontuava e Neto teve que voltar com Marquinhos e Meyinsse. A vantagem chegou a cair para três: 37 x 34, mas o adversário jogava melhor e fechou na frente: 44 x 36.

O terceiro quarto foi fenomenal. O Flamengo manteve a calma diante de um Mogi que parecia não entregar os pontos e acreditar a cada minuto que era possível calar o Tijuca e sair do Rio com a vaga.

E o grande nome foi o Olivinha, com seus 14 pontos apenas neste período. A virada começou com a primeira bola de três em toda série semifinal de Rafael Luz: 56 x 52. Com uma bola de três Olivinha destroçou a diferença para apenas um ponto: 56 x 55.

A equipe paulista ainda tentou segurar a pressão do Flamengo e da torcida que transformara o Tijuca em caldeirão. E a virada só poderia ter vindo dele. Com uma bola de três faltando 01:42 para o final do terceiro quarto, Olivinha colocou o time da Gávea na frente: 60 x 58. O veterano ala-pivô ainda abriu frente: 62 x 58.

Mas após uma bobeira do Rafael Luz, que infiltrou e errou o passe pra trás, Larry matou do meio da quadra e deixou a diferença em apenas um ponto: 62 x 61.

O quarto final foi pra quem tem coração forte pra aguentar uma partida de basquete. Foi sufocante! A partida seguia equilibrada desde o começo. Ninguém abria frente. Estava tudo no capricho para ser decidida nos segundos finais. E foi!

E novamente apareceu o Olivinha, com um tapinha faltando 39 segundos, colocando o Flamengo com 78 x 75. O banco do Mogi parou o jogo para organizar aquilo que seria seu último ataque.

Shamell, assim como no jogo passado, não foi decisivo, para nossa sorte, e errou um chute de três.

Veio então Marcelinho para dois lances livres nos últimos segundos para confirmar a vitória: errou o primeiro, matou o segundo: 79 x 75.

A vaga é do Flamengo pela quarta vez seguida.

24 comentários:

Barreto disse...

Fica mais fácil falar dos erros na vitória porque a cabeça não está quente e a paixão não entra em cena. O fato é que o nosso Flamengo fez uma série muito irregular e co muitos erros. É difícil dizer isto, mas só ganhou esta série porque o Mogi não teve força mental no final dos dois últimos jogos e tomou decisões erradas nos minutos finais. Fico me perguntando como Neto e seu auxiliar,Rodrigo, jogam 5 vezes seguidas com o mesmo time e não consegue acertar a marcação sobre o Shamell nas infiltrações previsíveis deste jogador, quase sempre pelo fkanco direito. Outra constatação que já não é de hoje, temos apenas 8 jogadores efetivos na rotação, poque Jason e GG é melhor não contar com eles. Pelo menos coracão não faltou.

Anônimo disse...

Decepção da temporada pra mim é o Rafa Luz. Como alguém convoca esse menino pra seleção? Não pontua, erra arremesso sem marcação, turnovers em momentos decisivos. Que acabe a temporada e ele nunca mais vista essa camisa.

bleite disse...

André, alguma notícia sobre como anda a liberação da nossa Arena McDonald's? As finais do NBB este ano serão na Arena Carioca 2, mas bem que no ano que vem poderiam ser na Gávea... Alguma chance do clube aproveitar essa vaga nas finais para fazer mais pressão na prefeitura? Quatro finais consecutivas é um serviço à cidade do Rio de Janeiro.

Joanilson Silva disse...

Imagino q a Arena na Gavea não será grande, acho q nunca poderá ser utilizada para finais de NBB, somente Estadual e mesmo assim desde que não seja contra algum time de camisa do RJ. Eu acho q essa utilização, q parece ser a unica viavel, será quase um tiro no pé, pois vai querer empurrar esse elefante branco pra gente, mas confio na capacidade dos dirigentes do Flamengo.

Sobre o jogo tirando o comecinho do jogo e os segundos finais em nenhum momento vi o Flamengo ganhando o jogo, foi como Andre falou uma vitória na raça no Manto Sagrado.

É impressionante como o Marcelinho continua ainda fazendo diferença nesse time, mesmo com os 2 eros de ontem, teve um aproveitamento muito bom. Será q podemos reduzir o salario dele e continuar ora proxima temporada?

O time desse ano recebeu um puta plus na posição de Pivo, mas pelo amor de deus o q é o JP, vai ser sem vontade assim lá na esquina, nada contra o Wagner, mas ele conseguir 100% nos tiros e ainda com cesta e falta é dose para leão enfurecido.

O nosso brilhante armador ficou com a incumbência de marcar o Shamel, ate acho q conseguiu segurar, pois o mesmo so fez 21 pontos, mas o q é esse cidadão arremessando? Entendo q ele é armador q tem q pensar no time, mas conseguir errar cesta sem ninguem marcando ai não da né o cara fez 3 em 14 tentados, uma unica cesta. A sorte dele é q temos Gege e Jason, mas pelo salario q deve receber ate o menino de 20 anos do Mogi é muito mais eficiente.

Meyinsse ate q jogou bem esse jogo, Mineiro foi bem nos rebotes, mas tem q treinar arremesso, contra o Flamengo ele sempre metia algumas bolas de 3 agora parece sem nenhuma confiança para arremessar.

Para a proxima temporada tem q dar uma enquadrada no JP e perguntar se vai mesmo jogar ou so entrar em quadra e dispensar Gege, Jason, Andrezinho e Mingau, fazer uma redução de salario no Marcelo e trazer 1 armador q jogue coletivamente, mas q pelo menos treine arremessos.

Ruy Maurício de Moura disse...

Tenho uma explicação para o equilíbrio nos confrontos com Mogi e outra para a classificação do Flamengo. O foi Flamengo em relação ao último NBB diminuiu o patamar trocando a armação composta por Nico - Benite por Luz - Robinson ou Ramon. Mogi, ao contrário vem evoluindo, trocou Alexandre Pinheiro - Gustavinho por Larry - Elinho; Jason Smith por Shammell; Toledo por Tyrone; Sidao Santana - Daniel Alemão - Agba por Paulo Prestes - Lucas Mariano - Gerson e basicamente ficou só o Filipin do time que subiu da Liga Ouro. Quanto a classificação a camisa fala mais alto. Nunca serão! Se o investimento for mantido, GG, Robinson podem ir e Humberto deve ser um nome certo.

Cadu Rollo disse...

Pois é. Vitória na raça mesmo, o time tem que ficar feliz e motivado pra Final.

Mas cá entre nós, sabemos que foi mais um jogo muito irregular, de uma série MUITO irregular. Os mesmos erros de sempre. A insistência do Neto num time que não deu certo por mais de 5 minutos poderia ter custado caro, nos fez perder uma vantagem de 3-4 pontos pra deixar os caras abrirem 10. Ele sempre faz isso e nunca vai deixar de fazer, infelizmente.

Fica muito claro que o Neto fica mais focado em não deixar nenhum jogador ter mais de 30 minutos em quadra do que fazer a leitura de fato do jogo. Por diversas vezes vemos o nosso mais decisivo jogador, Marquinhos, fora em momentos decisivos. Não concordo, mas enfim.

Que o time use essa série pra motivação, que acertem os erros e que entrem bastante focados, pois na Final, não vamos poder errar tanto.

Que venha Bauru, que venha a Final e vamos encher a Arena Carioca pra trazer a taça. Vamos torcer.

Abraços,

Barreto disse...

Acho que o Mogi tem um bom time com dois jogadores muito bons que são Shamell e Larry, dotados de muita habilidade mas que possuem um QI baixo de basquete. Como jogam mais do que 35 minutos, quase sempre, essa falta de QI soma-se ao cansaço e aí vem as decisões erradas nos finasis do jogo. São dois bons jogadores mas bem peladeiros e com pouca leitura de jogo.

Anônimo disse...

Paulo Jr.
Foi uma série para testar o coração! Algumas observações:
1) Tivemos muita dificuldade para pontuar, pois Mogi defendeu muito, muito bem. A defesa de Mogi era sempre muito física (a arbitragem deixou muito contato, demais para meu gosto), e eles marcavam muito nossa posse de bola, às vezes até dobrando, roubando posses importantes do Rafa Luz, Marquinhos e Marcelinho. Pontuávamos com dificuldade, rodávamos bastante a bola, sem conseguir achar o homem livre. Às vezes, eles deixavam o corner livre para o Rafa Luz, mas ele fez 1/15 na série de 3, justificando plenamente essa estratégia. Mogi testou nosso ataque até o último grau, e não dá pra dizer que tivemos sorte ou algo do tipo nos arremessos. Nossas bolas giravam, batiam dentro e não caíam. Ao contrário, Mogi teve um pouco mais sorte do que nós naquelas bolas improváveis.
Apesar de toda essa dificuldade e da defesa de Mogi, nossa média foi boa, de 82,2 pontos, variando pouco: fizemos 77, 79, 81, 81 e 93. Às vezes oscilamos em um quarto ou outro, mas a verdade é que, mesmo com dificuldades, disputamos e tivemos chance de ganhar os cinco jogos, mesmo jogando mal.
2) Nossas bolas de 3 de Marquinhos e Marcelinho estavam muito bem marcadas. Mogi não dava nenhum sossego a Marcelinho assim que ele chegava perto da linha de 3 com a bola, e marcou bem aquela jogada em que Marcelinho volta do garrafão e explora o bloqueio, arremessando rápido da linha de 3 frontal. Deixaram sempre o Rafa Luz livre, calculadamente, e erraram apenas quando deram liberdade ao Ramon no jogo 4. Fora isso, marcaram muito bem nosso arremesso de perímetro. Mogi estudou bem nosso time e nossas jogadas.
3) No jogo 4 ficou visível a qualidade do Neto. No flamengo o Ramon estava tendo mais uma função de condutor de bola, tentando sempre infiltrar. Com Ramon e Rafa Luz juntos, Neto melhorou nossa transição, dificultou a marcação de Mogi na bola e deu ao Ramon a função de arremessar de 3, coisa que ele faz bem, jogando de forma parecida com a função que tinha em Limeira.
4) Temos um excelente e numeroso elenco. Mas não somos os únicos, se pegarmos a escalação deles mais utilizada, Mogi tinha na reserva Jimmy, Filipin, Paulão, Wagner, o armador Lersch, sem considerar o Elinho, machucado. Concordo que o time deles só melhorou, nos últimos anos. Contratou muito bem. Demorou a dar liga, mas é um grande time.
5) O que deu mais gosto de ver nessa série foi algo que não via há tempos. Flamengo jogando com muita raça, muita entrega. Marcelinho foi muito marcado no arremesso, então deu quase 5 assistências, em média, na série; Marquinhos gripado, estava visivelmente abaixo do que costuma render, mas foi muito eficiente, marcou e deu toco; Mineiro é jogador de time, versátil, aparece pouco mas se entrega muito na defesa. Olivinha é a raça encarnada, jogou demais a série. Arrisco dizer que, se tivesse jogado o primeiro jogo, teríamos ganho...
6) Para os jogos contra Bauru, alguns pitacos: - No esquema ofensivo do Neto, é importante ter alguém no corner para abrir a defesa. Víamos isso no ano passado principalmente com o 4, ora Olivinha, ora Herrmann, e às vezes o armador, como o Nico. Se marcarem o corner, Marquinhos infiltra. Nesse ano, temos visto no corner mais o Robinson e às vezes o Luz, mas nenhum dos dois têm tido aproveitamento bom. Sei que não é a posição favorita do Marcelinho, e acho que nem a do Ramon, mas pensaria nisso, além do Mineiro e Olivinha. - Rafa Luz nunca foi um exímio atirador de 3 na carreira. Noto que ele tem tentado mais. Ele precisa treinar e ganhar confiança nesse arremesso. Fora isso, apesar de não ter uma grande explosão, é um cara com um alto percentual de conversão de 2. Se for o Paulinho a marcá-lo, o Rafa pode ir pra cima e arremessar mais. - Acho que nosso garrafão pode ter papel maior e mais importante contra Bauru. Bom ver Meyinsse ganhar mais confiança nesse último jogo. Cadê aqueles fakes que ele tanto fazia que deixava as defesas loucas? JP na série esteve mal, ele que sempre é muito regular. Torço para que ele e Jerome melhorem, vão ser importantes contra Bauru.

Anônimo disse...

#SRN
André, com respeito a você, não vou falar nada sobre os comentários do nosso ilustre "amigo" Barreto.
Cara, qdo penso que ele não vai se superar em seus comentários, voilá, ele consegue.
Prometo apenas falar sobre os 2 últimos jogos.
O Flamengo percebeu que não adiantava apenas ter "basquete" precisava de algo a mais... esse algo a mais que há tempo já haviamos comentando, e nesses 2 últimos jogos (depois que a água bateu acima do pescoço) eles tiveram, (a tão falta de atitude muitas vezes comentada aqui) foi substituida pela GARRA, DETERMINAÇÃO, VONTADE DE VENCER, o que faltou em quase toda a temporada. Se desde o início tivessem jogado dessa forma (descido antes do salto) esse time com o elenco que tem, com certeza teria ganho com sobras a LDA, mas NUNCA é tarde para mudanças.
Parabenizo o Neto por ter voltado atrás e percebido que a escolha que ele fez pelo Jason não deu certo, e o sacou do time e colocou o Ramon, dando mais confiança e deixando ele mais tempo em quadra.
Discordo de muitos comentários aqui em relação ao time ter sido irregular, pensamos mais nos "erros" do Flamengo e esquecemos de destacar as qualidades do time do Mogi, e de seus jogadores.
Não concordo qdo falam sobre o QI de um jogador, ainda mais qdo esses são de seleção brasileira e o maior pontuador do NBB, se caras assim tem QI baixo, fico me perguntando qual seria o QI dos outros?
Existe diferença entre vc fazer parte de um elenco e vc ter a responsabilidade de levar esse time nas costas.
O estilo de jogo do time do Mogi bate muito de frente com o estilo de jogo do time do Flamengo, é um time guerreiro, brioso, que não desiste de nenhuma bola e isso fez com que o Flamengo mudasse tb a sua forma de jogar, não apenas na técnica, mas compensar no corpo tb.
Ambos os times estão de parabéns, e mesmo sendo Flamengo, (e feliz pelo meu time ter ido para mais uma final), qq um dos 2 que passasse estariam bem representado, como acredito que desse duelo tenha saído o próximo campeão do NBB.
O time do Bauru é muito bom tb, mas diferente do Mogi, eles deixam jogar e jogam, o que é muito melhor para o Flamengo, pois essa séria mostrou que o time que precisa manter esse algo a mais para vencer e agora eles sentiram o gostinho de como isso é bom e da resultados.
Mas volto a comentar aqui, espero que não apenas a diretoria, mas o Neto já estejam montando o próximo time, não esperar para renovações de contratos dos que já estão no time, muitos jogadores bons de outros times estão em término de contrato, e tenho certeza que eles querem jogar no Flamengo, basta conversar com eles.
A minha lista começaria por 3 nomes: Alex do Bauru, Shamell e Larry do Mogi.
Claro que querer não é poder, porém, tenho certeza que se a diretoria correr atrás, consegue montar um time melhor do que esse ano e com menos dinheiro.
Agora é esperar as finais com o Bauru.

Barreto disse...

Paulo Jr

Fiquei impressionado como o Flamengo, depois de 4 jogos seguidos contra o Mogi, não teve solução para marcar a infiltação previsível do Shamell quase sempre pelo flanco direito. Qual a sua opinião sobre isso?

Anônimo disse...

#SRN
Paulo Jr., parabéns pelas suas colocações, tive a mesma visão de você referente aos jogos. Principalmente no jogo 4, tanto que o Ramon foi muito bem marcado nos tiros de 3 no jogo 5, mas fez muito bem o papel de transição.
Ele e o Rafa na marcação fazem muita pressão sobre o adversário, ditando velocidade e cadencia, o Marquinho foi guerreiro, mesmo gripado (e tenho certeza que todos aqui já ficaram gripado pelo menos 1x - sabe o qto é ruim e o qto td parece mais difícil).
O estilo de jogo do Bauru tanto de atacar qdo de defender se encaixa muito melhor com o estilo de jogar do Flamengo, o Mogi fecha extremamente bem o perímetro, não dando muitas chances para os pivôs jogarem, tanto que quase não utilizam o 5, e qdo o fazem perdem muito na defesa, o estilo deles é de jogo de velocidade e força e o Neto conseguiu enxergar isso (mesmo que tenha sido apenas no 4 jogo), mas enxergou e a marcação homem a homem deles é muito física.
Os nossos pivôs vão jogar melhor contra o Bauru e posso estar errado, mas não vejo o Flamengo tendo as mesmas dificuldades que teve contra o Mogi, não estou dizendo que serão jogos fáceis, mas o nosso ataque vai fluir melhor e a nossa defesa só precisa manter a pegada dos últimos 2 jogos.
Não é fácil fazer essa média de pontos contra uma defesa tão bem treinada e postada como a do Mogi, nosso ataque está de parabéns.
E assino em baixo qdo fala de cada jogador citado acima no seu comentário, hj temos 2 jogadores que jogam muitos mais para o time do que anos anteriores (Mineiro e Olivinha), e o Olivinha está tendo mais tempo de descansar nesse revesamento, assim qdo entra, está sempre com o gás renovado.
E foi muito bom vê o Grandão voltando a jogar bem!

Paulo Araújo Machado disse...

Parabéns Mengão, chegar a final é difícil, se manter no topo é mais difícil ainda.

São quatro finais seguidas e podendo ganhar o quarto NBB seguido. Mostra o quando o basquete do Flamengo está estruturado, venham chuvas e tempestades.

Concordo que desta vez o time mostrou garra quando a técnica não resolveu. Foi difícil. O Mogi jogou muito nos dois jogos, mas Shamell falhou nas duas partidas. Para nossa sorte.

Parabéns também pelo ótimo relato do blog sobre a partida, André. Temos alguns outros sites que cobrem o basquete, mas ninguém relata o jogo como o Ninho. Sem contar o ótimo nível dos debatedores.

Abraços.

Joanilson Silva disse...

Acho q investir nesses 3 jogadores já tendo Marquinhos e Marcelinho é ter um time muito velho, será q não seria melhor pensar em jogadores mais jovens q podem chegar ao patamar deles em pouco tempo?

Não sei se o Marcelinho fica, mas o Olivinha tbm não é nenhum garoto, acho q poderiamos pensar em contratar jogadores novos e dar experiencia.

Alex ama jogar contra o Flamengo, não sei se toparia vir, acho q ele ja deu entrevistas falando sobre isso.

Larry e Shamell nem precisaria falar duas vezes, mas acho q a idade deveria ser levada em conta.

No Face do Garrafão há a informação que a venda de ingressos deve ser feita pelo Guiche Web e começa hoje anoite.

Barreto disse...

Vou comentar aqui as indicações de contratação e o texto provocativo do nosso ilustre "colega" e sábio Antônio SRN.

Alex tem a cara do interior de São paulo e não do Flamengo , além de que precisamos de sangue novo e jogador mais eclético. Shamell e Larry são bons mas falta QI neles. Problemas recorrentes de tomadas de dcisão não são falta de habilidade mas de QI ou podemos até achar outro nome para isso, talvez. Muito melhor que Shamell e Larry seriam Lucas Dias e Humberto. Seriam um prato cheio para o nosso treinador melhorá-los. Quem pode melhorar a leitura de jogo de Shamell e Larry e a capacidade de tomar decisões corretas? Quem poderia ensinar ao Alex que aos 35 anos a força física já não manda? Não há como negar que Shamell foi peça de destaque nesta semi.

Gustavo disse...

Caros,

Eu adoro basquete, adoro ler o blog, mas ás vezes me decepciono com o tom extremamente crítico. O Flamengo ganha praticamente tudo há quatro anos, tem uma diretoria anos-luz à frente das demais, possui um técnico que evidentemente erra, mas é extremamente vencedor. E tome aqui de críticas atrás de críticas.

Acho que as críticas construtivas válidas, mas se vierem acompanhadas de elogios também; Vocês estavam presentes no ginásio ontem? Participaram daquela verdadeira catarse que tem sido o basquete nos últimos anos? Perceberam a evolução que houve como espetáculo ?

Viram um time, com todos os defeitos apontados aqui, se entregando de corpo e alma rubro-negras ? Por São Judas Tadeu, se o futebol do Flamengo inspirasse um quinto do orgulho que eu sinto do meu basquete, já estaria feliz !

Falando de basquete, os outros clubes tentam ganhar do Flamengo há quatro anos, Evidentemente que evoluíram. Sem contar o Bauru, Mogi, Brasília, Basquete Cearense e Paulistano mostraram evolução nesse ano. Fora isso, as arbitragens, formadas por paulistas, têm enorme má-vontade com o Flamengo. O objetivo único : Ganhar do Flamengo

Novamente, o Flamengo pode ter um monte de defeitos nesse time. Acho que há defeitos na formação, sobretudo na armação, apesar de eu achar o Ramon ótimo jogador, com a cara do Flamengo. Mas depois da noite mágica de ontem (insisto - vocês foram ao Tijuca ?), deveria ser "proibida" qualquer crítica, pelo menos hoje. Saí de lá de alma lavada, me sentindo um rubro-negro do futebol na época do Zico, onde a sinergia entre a torcida e o campo ganhavam muitos jogos, mesmo em momentos difíceis. O basquete do Flamengo (não necessariamente esse time, é claro que tenho saudades do Laprovitolla, Hermmann, Benite e até do Felício- que todos falavam mal aqui)chegou nesse estágio mágico.


Anônimo disse...

#SRN
Caro Gustavo, entendo a sua indignação, porém, as criticas, desde que construtivas, sempre são bem vindas, e muitos dos posts de hj não apenas criticam, mas elogiam muito o time tb, pela partida de ontem.
Realmente não estive no Tijuca, pois moro em SP, porém, acredite, não deixei de torcer menos do que qq um que estava lá, já fui a muitos jogos do Flamengo tanto de basquete qto do futebol, concordo que gostaria que o time de futebol desce pelo menos 50% da alegria que o do basquete nos dá.
Vejo as críticas mais como um desabafo de "leigos" que amam o Flamengo e querem sempre o melhor. E não como "críticas/críticas" se vc consegue entender o que quero dizer.
Claro que existem exceções, porém, são minoria.
O que todos querem aqui, e acredito que falo por 99% dos frequentadores desse blog (me perdoem se eu estiver errado), é sempre um Flamengo vencedor.
Da mesma forma que existem 100 milhões de técnicos de futebol no Brasil, existem os "técnicos" de basquete que frequentam esse blog, e falando por mim, sei muito pouco da história do basquete nacional e do Flamengo, só comecei a acompanhar o basquete na época do Oscar/Pipoca e Rato, antes não me interessava por esse esporte.
Tenho certeza que se a maioria tivessem tido a oportunidade de estarem no Tijuca ontem estariam, mas não tiveram, porém, já estou me programando para estar nas partidas 2 e 3, junto com minha esposa e filhos. (aproveitar o feriado).
A diretoria está de parabéns, concordo que temos um técnico vencedor, que comete erros como todo mundo, mas usamos esse "canal" para expressar as nossas opiniões e de alguma forma nos sentimos "úteis" em poder "ajudar" ao time.
Lembrando que foi em um post desde blog que surgiu a ideia de passar um jogo no maracanã como preliminar de uma partida de futebol.
Não sei se foi apenas por aqui, mas muitos falavam que o time precisava de um jogador para a posição 2 e foi a última contratação.
Entendo o seu amor pelo Flamengo, mas tenho certeza que muitos aqui amam o Flamengo tanto qto vc.
Tenho certeza que todos aqui, sem exceção querem o melhor para a instituição CRF.

Joanilson Silva disse...

Concordo com o Anonimo, eu então estava passando mal em casa, pulava da cama a cada cesta do time, infelizmente moro em Rio das Ostras/Rj e não da para descer e voltar no mesmo dia e no jogo 2 que é feriado devo trabalhar para folgar na sexta, então vou torcer para vencer o jogo de sabado e quinta e VAMOS VENCER e no domingo já gritar é campeão.

Acho q comecei a acompanhar o basquete do Mengão um pouco antes do Oscar, lembro de não conseguir ingresso num jogo contra o vice da gama e escutar o jogo pelo radio.

Foras as finais de Estadual no maracanazinho, aquilo era puro futebol, torcidas com bandeiras e surdo, era bom demais!!!!!

Sou muito critico do time pq sei q esses jogadores são capazes de produzir muito mais, o JP não estava jogando nada e quando entrou no segundo tempo, pensei agora ele vai arrebentar vai calar minha boca e pegar uns 10 rebotes e converter todos os tiros, não foi bem assim, mas estava lá sofrendo. Esse é o "GRANDE" problema do basquete, qualquer placar pode ser revertido e o jogo literalmente so acaba quando termina.

Marcelo disse...

Pronto, agora eu vou falar!!!!!!

Porrrraaaaa!!!!! Caceteeee!!!!! Passei o campeonato inteiro indo aos jogos no Tijuca ver o Mengão e nessa semifinal eu não consegui comprar ingresso para nenhum jogo!!! Tava sempre lotado, esgotado!!!

Diretoria maravilhosa do Mengão: o Tijuca é agradável, é aconchegante, a gente fica pertinho da quadra, mas ano que vem, por favor, semifinal tem que ser em ginásio para 10 mil pessoas. Final também ou mais.

Ainda bem que nosso prefeito não liberou a Arena da Gávea. A tendência é o público ser cada vez maior. Arena para 3,5 mil pessoas vai ser para sei lá o que, nem sei. risos.

Agora sim: espero ver ao vivo o Mengão ser Campeão de novo!!!!!

Ver pela tevê não é a mesma coisa.

Olha, concordo com o comentário de todos vocês: Olivinha Demais!!!! Marcelinho estupendo!!!! Marquinhos magnífico!!!! Meyinsse muito bem!!!! Ramon construiu obra prima lá em Mogi!!!! Rafael Mineiro veio ser feliz no Brasileiro!!!! Rafa Luz ótimo!!!! JP fez grandes jogos nos ajudando a chegar a mais uma final!!!! Robinson também é importante!!!! Gegê tamo junto com você!!!!

José Neto, mais uma vez, muito obrigado!!!!

Anônimo disse...

Paulo Jr.
1) Em primeiro lugar, nunca é demais parabenizar o André. O blog é ótimo, sentimos falta de seus posts, cara!
2) Barreto, entendo a sua observação sobre o QI de Shamell, mas não se se concordo exatamente... Ele sem dúvida é um jogador extremamente habilidoso, por isso, difícil de marcar. Ele consegue arremessar de qualquer lado, mesmo desequilibrado, tem um bom repertório de fintas, assim como o Larry, que tem um repertório fantástico também. Nos times em que Shamell tem jogado, não sei se por desejo dos técnicos ou por imposição própria, ele tem sido o ponto focal do ataque, concentrando até demais as bolas decisivas. Como arremessa muitas bolas, converte muitos pontos, daí suas médias sempre altas, mas também erra bastante. Tem duas coisas importantes de se mencionar no caso dele: Shamell é muito menos eficiente em play offs, não sei se pela marcação mais forte, se pela necessidade de decidir, mas em play offs seus percentuais de conversão são sempre menores. A segunda coisa é que o rendimento dele tem caído, ano a ano. Inclusive, não acho que o Flamengo marcou ele mal, ao contrário, foram 7/29 de 3 (baixíssimos 24%) e 20/46 de 2 (baixos 43%). Se olharmos os percentuais do Larry, que também é muito mais perigoso infiltrando e arremessando de 2 do que de 3, limitamos muito o percentual de conversão dele também. O único porém é que acabamos fazendo muitas faltas, e eles cobraram muitos lances livres (alguns extra com ajuda da arbitragem, a meu ver também). Então, não acho exatamente que Shamell tenha baixo QI, mas talvez seja muito fominha ou obrigado demais a decidir. Mas isso não é a mesma coisa? Enfim, acho que não. Marcelinho Machado, por exemplo, enxerga a quadra e consegue passar como poucos. Apesar disso, sabemos que por mil vezes já tomou as decisões mais questionáveis, principalmente quando estava de cabeça quente e/ou quando achava que deveria arremessar sua enésima bola de três. Sinceramente, não sei se ele ele tem tomado decisões mais inteligentes porque simplesmente amadureceu, porque passou a trabalhar com Neto e Magnano ou simplesmente porque agora sabe que seu papel não é de decidir sozinho e que tem outras opções.
3) Concordo que tivemos raça, e que esse foi o diferencial! Concordo também que o Flamengo ganha 3 NBBs seguidos, e que todos estão tentando acabar com nossa hegemonia. Reclamamos do time porque somos e sempre vamos ser mal acostumados com as vitórias, mas somos os primeiros a comemorar, porque, afinal, esse é o orgulho da nação.
4) Quanto às contratações de Larry, Shamell e Alex: Bom, Alex já foi tentado antes, e ele não vem. Ele construiu para si próprio uma identidade anti-flamengo, desde os tempos de Vice da Gama, Brasília, e agora Bauru. Baita jogador, até gostaria dele no flamengo, mas infelizmente não rolou e não vai rolar: resta a nós sermos sempre campeões em cima dele, e a ele resmungar, chorar e lamentar de não ter vestido o manto... Larry e Shamell são grandes jogadores, no ano passado ou retrasado Shamell até fez um lobby pra vir, mas não seriam estrelas da companhia. Sinceramente, os dois já estão com quase 36 anos, e junto com Marquinhos, Olivinha, JP e Marcelinho acho que não daria. Se tivesse que escolher entre os dois, escolheria sem dúvida o Larry, porque ele já mostrou na seleção que consegue se adaptar a um papel mais contido e mais altruísta; defende em alto nível, é versátil, podendo jogar na 1 e na 2, mas ele acabou de assinar no ano passado com Mogi, também acho difícil. Quanto ao Humberto, ele é jovem, tem potencial, quer vir, acho uma ótima aposta. O Lucas idem, mas não sei se ele tem interesse de vir e acredito que ele já já parte para a Europa. No Pinheiros ele é absoluto, 31 minutos de média, aqui ele disputaria posição na 3 com Marquinhos e na 4 com Olivinha e Mineiro...

Cadu Rollo disse...

Não há dúvidas que o Flamengo merece todos os aplausos do mundo por tudo que fez e conquistou no basquete nos últimos 7-8 anos (já falei umas mil vezes isso aqui no blog). Mas não é essa a discussão aqui. Cada temporada é um capítulo na história do basquete rubro-negro e essa que está sendo escrita agora é a que está em discussão.

Ninguém está deixando de ter orgulho ou deixando de torcer porque critica o time, muito menos desmerecendo o trabalho dos últimos anos.

Mas pra mim e pra muita gente, tiveram erros na formação deste time e, tendo em vista que somos um clube gigante e que temos sempre que brigar por todos os títulos, a temporada não está encaminhando como esperado, inclusive na postura do time que, tirando alguns jogos como o 4 e 5 desta série, não mostrou a raça que é esperada.

Continuamos acreditando no título, até porque temos time pra ganhar, mas temos que mudar algumas coisas e algumas posturas pra isso.

Isso não impede, também, de pensarmos e darmos opinião sobre mudanças de peças no elenco pra próxima temporada. Pra mim o que desanimaria seria alguém realmente pensar que não deveríamos algumas peças e achar que está bom do jeito que está rsrsrs.

Barreto disse...

Robinson não joga o primeiro jogo da final, devido a problemas particulares viajou para os EUA. Fará falta?

André Amaral disse...

GG tbm? rs

André Amaral disse...

GG tbm? rs

Anônimo disse...

Paulo Jr.
Barreto, acho que fará falta sim. Perder alguém como Marquinhos seria trágico, mas mesmo com Robinson jogando mal e sendo completamente passivo, ele faz falta na rotação. Apesar de tudo, ele é o nosso melhor defensor na ala, e mais físico também.
Perder ele significa que na 2 e na 3 teremos apenas Ramon, Marquinhos e Marcelinho. Ofensivamente não perdemos muito, mas precisamos de alas para marcar Alex, Robert Day e Leo Meindl.
André, não morro de amores pelo GG. Mas pensar na possibilidade do Danielzinho ter alguns minutos na final me faz gelar rsrssrrs

Sorte e bom trabalho pra nós daqui a pouco