sábado, 21 de maio de 2016

NBB 2015/2016 - Final - 1º jogo: Bauru 77 x 83 Flamengo


O Flamengo venceu o primeiro jogo da grande final do NBB ao derrotar o Bauru por 83 x 77 e agora basta vencer os dois jogos na sequência, em casa, para garantir o tetracampeonato brasileiro. O sexto em nove temporadas.

A equipe superou a maratona de cinco jogos na semifinal contra o Mogi, atropelou o Bauru no quarto final - abrindo 13 x 0 e não perdeu mais.

Ótimo jogo de Ramon, que ofuscou o Rafael Luz na armação, terminando com 15 pontos e 4 rebotes. Olivinha novamente jogou demais: 16 pontos e 6 rebotes.

No garrafão os melhores momentos foram com JP e Mineiros juntos, com 13 e 8 pontos para cada um, respectivamente.

Marquinhos teve uma atuação apagada, assim como o Meyinsse e o Rafa Luz.


O JOGO

O primeiro quarto começou equilibrado. O Flamengo tentou segurar e trabalhar a bola nos primeiros minutos, sem entrar na correria do Bauru. Mas de um 12 x 12 parelho, viu o Bauru abrir frente no final com uma cesta de três de Alex e uma bola de Robert Day: 19 x 12.

Ramon, que começou de titular no lugar de Robinson, fez uma cesta no estouro para cortar a diferença: 19 x 14.

No segundo quarto Ramon continuava decisivo. Com muita habilidade bagunçava a defesa bauruense. Os reservas desta vez entraram bem, com destaque para as boas tabelinhas de JP e Mineiro no garrafão, e a defesa bem consistente, fizeram o Flamengo abrir 27 x 22.

Demétrius não demorou muito e voltou com seus titulares. O Bauru voltou a liderar o placar: 29 x 27. O final foi lá e cá. Marcelinho matou de três: 36 x 32, provocando reação do banco paulista no tempo técnico: "não podemos abandonar o Marcelinho". Os donos da casa terminaram na frente graças a uma cesta na marra de Alex: 39 x 38.

Na volta do terceiro quarto, José Neto deixou JP e Meyinsse no banco e escalou o Mineiro na posição cinco. Com um jogo mais aberto, o Flamengo abriu sua maior frente: 50 x 43.

Entretanto, Bauru rapidamente reagiu. Léo Meindl anulou Ramon, Marquinhos continuava apagado e Jéfferson foi o destaque com 10 pontos, para colocar sua equipe na frente: 62 x 60.

O Flamengo voltou avassalador no quarto final. Abriu 13 x 0, com 73 x 62 no placar, e deixou o Bauru por mais de quatro minutos sem pontuar.

Os donos da casa tentaram reagir, mas foram impedidos por duas bolas de três de Marcelinho (67 x 76) e Olivinha (79 x 70).

Mas conseguiram uma corrida de 7 x 0 e faltando 18 segundos a diferença era de 79 x 77.

Na volta, rapidamente fizeram falta no Marcelinho, que matou os dois lances livres: 81 x 77.

Jéfferson tentou de três, mas errou. Luz foi para mais dois lances livres e garantiu a excelente vitória: 83 x 77.

12 comentários:

Barreto disse...

O elenco do Fla faz a diferença em relação ao Bauru, principalmente no garrafão. Hettsheimeir e Jefferson no garrafão são jogadores apenas medianos. O garrafão do Flamengo sobra no confronto com o Bauru. Mas, por outro lado Hettsheimeir continua sendo exaltado como grande pivô. Vai entender.
Acho que o Rafa Luz fez uma partida de razoável para boa.

Joanilson Silva disse...

Gostei muito do time hj, o Bauru ñ tem time para ganhar do Flamengo, serão 2 jogos complicados aqui, mas somos muito melhores.
JP q critiquei muito aqui nos jogos contra o Mogi, foi bem, Mineiro está sem confiança para chutar é uma pena, pois tem bom arremesso.
Acho q pode deixar o Jason cuidar da filhota q nasceu, parabéns, ñ precisa voltar.

Anônimo disse...

Paulo Jr.
Jogamos bem e conseguimos uma importante vitória fora de casa.
1) Marquinhos esteve mal no ataque, perdeu bolas bobas, mas, para sermos justos, também foi muito bem marcado pelo Alex. Por outro lado, Alex esteve mal no ataque e também conseguimos marcar bem suas infiltrações.
2) Bauru não fez tanta pressão na bola quanto Mogi, e nosso ataque fluiu um pouco melhor. Quando a marcação apertava no perímetro, conseguimos fazer o passe para o garrafão, tivemos muitos pontos assim. Destaque também para os fakes e principalmente para os passes dentro do garrafão, como entre Mineiro e JP.
3) Rafa Luz começou o jogo mais confiante, foi pra dentro do Boracini nas primeiras bolas, mas assim que começou a errar, se abateu um pouco. Precisamos que ele recupere um pouco mais de confiança nesses jogos. Outro problema é que exploraram o mismatch quando na troca ele ficava defendendo sozinho o Hettsheimer no garrafão.
4) Olivinha está jogando muito nesses play offs, e Ramon tem assumido a responsabilidade, conduzindo e finalizando bem. Do outro lado, Jefferson e Hettsheimer se destacaram muito, são dois ótimos jogadores, mas conseguimos restringir completamente o resto do time deles. O nosso teve pontuação e desempenho mais equilibrados. Agora precisamos defender muito e ganhar o próximo jogo!

Anônimo disse...

Vencemos com sete jogadores (Luz - Ramon - Marcelinho - Marquinhos - Oliveira - Mineiro - JP), considerando que Gegê não pontuou, Meiynsse tentou oito e só fez 2 e Robinson foi embora.

Cadu Rollo disse...

Dessa vez sim, uma vitória muito boa, pra aplaudir.

No jogo de hoje, poucos erros, boa intensidade de jogo, nunca deixou o Bauru escapar no placar, e, quando teve oportunidade, abriu e matou o jogo.

Excelente resultado, agora é trazer pro RJ e não dar chances pros caras.

Vamos torcer.

Abraços,

Barreto disse...

Depois de algumas atuações ruins, JP voltou a fazer uma boa partida, consolidando a posição de segundo jogador mais eficiente do time. Impressionante o crescimento de Ramom e Olivinha, sérios canditados a MVP das finais. Jogadores que têm a força física como a sua maior virtude, tendem a ter decadência mais rápida com o passar do tempo. Este é o caso do ALEX. Quando o seu time precisa de algo mais para virar o jogo, o que esperar do Alex. Tem gente que o recomenda para o Flamengo. Difícil entender.



Flávio França disse...

E o Neto continua invicto em jogos finais do NBB. 5 vitórias em 5 jogos!!! Temos que parabenlizá-lo, pois até hoje ele conseguiu fazer uma ótima leitura dos jogos nessas finais de NBB disputadas.

Barreto disse...

O time do Laprovittola, Estudiantes , foi rebaixado na Espanha.

Pedro Paulo disse...

Trazê-lo de volta é difícil? Ele voltaria pra Lituânia ou tem mercado na Espanha para trocar de time? Imagino que uma eventual aposentadoria do Marcelo e a saída do Robinson deem alivio grande na folha salarial.

Barreto disse...

A saída do Robinson é certa. Marcelo vai renovar.

Antônio Neto disse...

Laprovittola tem contrato ainda de 3 anos com o Estudiantes, o mais provável é que saia para algum time de maior porte na Espanha ou então que dispute a liga leb oro (segundona da espanha).


josecarlosf84 disse...

Uma volta do Laprovittola é praticamente impossível por 2 motivos:
- como foi citado acima, ele ainda tem 3 anos de contrato com o Estudiantes e pode ser emprestado (o mais provável) ou então na pior das hipóteses permanecer no Estudiantes,
- ele é nome praticamente certo na seleção argentina que vem as olimpíadas, e caso se destaque na competição com certeza conseguirá uma boa transferência para uma equipe maior