quinta-feira, 26 de maio de 2016

Muricy deixa a Gávea. Diretoria rebaixa moralmente o Flamengo com planejamento absurdo

Muricy Ramalho avisou à diretoria do Flamengo que não teria condições de voltar ao trabalho por recomendação médica.

Depois do Mano Menezes, é o segundo treinador que pede para deixar o clube por opção, e não por ter sido demitido. Ambos eram cotados para realizarem um trabalho à longo prazo.

O ex-treinador chegou com bons princípios em seu discurso: unificação tática das categorias de base com a adulta, além de ter tentar implantar uma nova forma de jogar. Deixou de focar apenas na defesa e vitórias por uma bola. Procurou que o time valorizasse a posse de bola, buscando sempre o ataque .

Teve alguns méritos, outros erros. Iniciou armando o time no 4-3-3, manteve Émerson e Márcio Araújo de titulares, mas não ficou preso a suas convicções. Tirou os dois jogadores contestados, escalou dois armadores e o time começava a deslanchar.

Mas a meu ver a coisa começou a degringolar na contusão do Mancuello. O Flamengo viveu uma série de partidas sem vencer e a crise estava instalada.

O argentino voltou, o 4-4-2 também, mas sem explicações Muricy decidiu reutilizar o esquema com três atacantes.

Foram três eliminações e diversas incoerências.

Jogou o Estadual com time principal. Disputou uma semifinal da Primeira Liga com time misto. Não testou em momento algum Léo Duarte na zaga e Ronaldo na volância. Manteve Muralha na reserva. Voltou de forma inexplicável com Éverton e Émerson na partida que eliminou o Flamengo da Copa do Brasil.

Como provado acima, Muricy falhou sim. Porém é mais um treinador a passar pela gestão Bandeira e novamente com grande tribulação.

Assume Zé Ricardo no lugar do interino Jayme, que ninguém sabe o que ainda está fazendo no Flamengo.

Jayme é mais um dos erros dessa diretoria que dia após dia rebaixa moralmente o Rubro Negro. Bandeira de Mello, Fernando Gonçalves, Fred Luz, Marcos Antônio Biasotto, Flávio Godinho e Rodrigo Caetano - em ordem de culpabilidade, são os principais responsáveis por um gol do Flamengo não ser comemorado, como o do empate contra o Chapecoense de pênalti. Pelo menos por este que escreve.

Hoje, mais uma prova do planejamento fracassado de uma gestão do futebol que permanece intacta, apesar dos vexames: com a contusão de Juan, vai ficar fora por pelo menos um mês depois de jogar tantas partidas desnecessárias - justamente no começo do principal campeonato, perde-se o melhor zagueiro, a diretoria ressuscitou César Martins, que já estava fora dos planos. É o recibo da falta de planejamento dessa gente. Sem este, são apenas dois zagueiros disponíveis no elenco, ambos da base.

Zé Ricardo entra na mesma batida de Jayme e Andrade: se vencer vai ficando. É a cara desta atual gestão, que deveria buscar o que tem de melhor no mercado: Sampaoli, e esquecer de vez a ideia de Abel Braga, que deixou o Fluminense na zona de rebaixamento e o Al-Jazira Club na mesma situação.

Agora falam em buscar um gerente para o futebol. O que era uma necessidade desde o ano passado. O futebol não merece ser tratado dessa forma.

2 comentários:

João Duarte disse...

Achei desnecessariamente duro.

Rebaixar moralmente? A diretoria que tirou o clube da insolvência? Discordo completamente. Se tratava e continua se tratando da melhor diretoria de um clube de futebol brasileiro no período "profissional".

Concordo porém com a critica aos seguidos erros na gestão do futebol. Não que seja novidade. Não acho que o futebol hoje é pior gerido do que na gestão da Amorim ou do Marcio Braga (para abranger os últimos 12 anos). Talvez seja mais decepcionante ver que esse pessoal que é tão bom em outras áreas ter o mesmo insucesso daquele outro que era tão incompetente em tudo.

Mas a questão é que nada é perfeito. Ter ideias é fácil. Criticar ex post é muito fácil. Difícil é encarar os problemas quando eles surgem e conseguir seguir as soluções de livro texto quando existem diversas pressões com diversos interesses diferentes e de todos os lados.

O time esse ano sofre muito por não ter o Maracanã. Sei que foi um erro não ter sido providenciado uma alternativa já que essa situação estava colocada há anos, mas a realidade é que o time não consegue evoluir simplesmente por que não treina. Não é culpa dos jogadores, do Muricy ou do Caetano. O time jogou domingo no sul, chegou no rio, descansou na segunda e terça já foi pra VR pro jogo de quarta. Na quinta fez trabalho de regeneração e na sexta fez o único treino (leve) da semana, antes de viajar de novo para enfrentar a Ponte em Campinas. Enquanto os outros times treinam e evoluem durante o ano, o Flamengo apenas viaja e regenera, sem ter possibilidade de se desenvolver tática e tecnicamente. É a realidade desse ano, seja quem for o presidente, diretor, gerente, treinador ou zagueiro.

O lado positivo é que cada vez estamos melhores financeiramente. Ano que vem teremos o Maraca de novo e nosso time já possui hoje boas alternativas em quase todas as posições. O trabalho pode ter seus altos e baixos e pode ter sido prejudicado esse ano pela incompetência em adiantar a questão do estádio, mas o trabalho ta sendo feito. Não vai ser esse ano, talvez não seja ano que vem, mas tenho certeza que estamos no caminho certo para voltar a disputar títulos. E dessa vez, consistentemente, ano após ano.

Basta não haver rupturas.

André Amaral disse...

João

Obrigado pelo contraponto. Mas não dá ignorar que é o quarto ano da gestão Bandeira. Eles não começaram essa temporada a entender como funciona o futebol.

A cada ano teremos mais dinheiro, mas estão provando que não é o bastante pra ter sucesso no futebol.

É o que eu sinto. Não tenho mais nenhuma vontade de ver um jogo até o final. Não comemorei o gol de empate. Conheço uma galera que teve o mesmo sentimento.

Da próxima vez não vou escrever mais texto não, é mais fácil realmente, vou votar melhor.