segunda-feira, 5 de março de 2012

Uma papo com Nacif Elias, judoca do Flamengo


O blog conversou com o judoca Nacif Elias Junior. Contratado esse ano pelo Flamengo, afirma que buscou o MMA como alternativa ao judô porque já estava dois meses sem clube pra treinar, e cravou: a confederação precisa ajudar mais os clubes e academias para obter sucesso em 2016.

Confira:

- Quando tomou a decisão de sair do Minas você tinha várias opções, porque optou pelo Flamengo?

Além de ser flamenguista doente, o Flamengo é um grande clube e tem pessoas de qualidade que acreditam no meu trabalho. Sempre é um prazer representar e da resultados ao clube que você ama, além de que no Rio de Janeiro as coisas vão acontecer por causa da Olimpíada.


- Como você encontrou a estrutura de treino, academia, fisioterapia, do Flamengo comparando com a do Minas?

Em termo de estrutura todos sabem que o Minas é um clube muito bom, mas estou gostando do Flamengo em todos os aspectos e quero ficar aqui por muitos anos.


- Quem é seu principal concorrente para Londres-2012?

Leandro Guilheiro, que veio muito bem nesse ciclo olímpico e é o numero um do mundo.


- Quais serão as principais competições nesse ano visando a classificação para Londres-2012?

O Leandro está matematicamente classificado para a olimpíada, ele só não vai caso se machuque. Estou no aguardo da CBJ para me mandar para alguma competição.


-Como funciona a classificação para uma olímpiada? Cada campeonato tem um ranking e os dois melhores vão aos jogos?

Quem estiver entre os 22 do mundo estão classificados, mas só irá um por país.


- O judô masculino foi vice-campeão por equipe ano passado. O feminino conseguiu importantes resultados no individual, qual é a sua avaliação do momento do esporte?

Tem crescido muito e mostrado resultados positivos, mas a confederação precisa apoiar mais as academias e clubes. Hoje em dia os atletas têm poucas opções de clube, muitos estão acabando e vários atletas bons que vão para a categoria sênior, estão parando por não ter lugar para treinar, tendo que trabalhar para se manter. Na verdade só está bem para quem está relacionado entre os 22 do mundo, quem é remunerado pela seleção, tirando isso, a maioria dos atletas estão passando dificuldades para se manter, pois  precisam pagar viagens, kimonos, alimentação, suplementação, aluguel, plano médico por conta própria. Falo isso por mim, que antes de vim para o Flamengo foi difícil arrumar um clube, fiquei quase dois meses sem clube, pensei em ir para o MMA e largar meu sonho de ser um campeão olímpico. Desse jeito que renovação terá para o futuro?


- O Flamengo tem como treinadora a Rosicleia Campos. No masculino tem o João Gabriel Schlittler e Ricardo Ayres. Como é participar desse resgate do judô Rubro Negro?

Você pode ter certeza que o judô do Flamengo está entre os três mais fortes do Brasil e esse ano vamos brigar para ser o numero um, por todo conjunto que temos desde comissão técnica aos atletas, só tem pessoas de qualidade que querem trabalhar e mostrar resultados, o que eu puder fazer para ajudar no crescimento irei fazer para o Mengão.


- Caso a classificação olímpica não aconteça agora, como é para um atleta de alto-rendimento começar um planejamento a longo prazo visando Rio-2016?

Que dentro possível me esforcei o máximo para conquistar essa vaga, a mudança de regra me prejudicou muito e perdi um ano me adaptando, mas esse ciclo serviu de experiência para 2016 e irei chegar bem mais forte, agora é focar nos treinos e manter o trabalho.


- Como analisa Clubes de futebol investindo nos esportes olímpicos? Existe algum tipo de preconceito por parte dos atletas?

Claro que não, tem que ocorrer mais investimentos. O Flamengo é único clube de futebol que tem atletas da seleção no judô, o maior que investe em esporte olímpico, temos que agradecer a Patrícia Amorim pelo excelente trabalho, e isso servir de exemplo para todos outros.

3 comentários:

Miguel Gonzalez disse...

Os resultados do Flamengo no Grand Prix 2011 mostram que o Flamengo não está entre os três melhores do país.

André Amaral disse...

1º Caiu em uma chave difícil.

2º Estamos falando dessa temporada.

Renato Croce (Alexi Lalas) disse...

Show, André! Sobre a parte da estrutura... Será mesmo que ele está gostando? Ouvi falar que não anda legal. Mas vamo que vamo! Boa sorte pro Elias!