domingo, 8 de agosto de 2010

Finalmente, as obras do CT vão começar

Matéria do site Marca Campeão do Terra desse domingo:

Depois de muitos anos, chegada de Zico ao Flamengo faz avançar os planos de obras em Vargem Grande. Arquitetura simples reduz custos, e previsão é de conclusão até 2013

Rio - Maior bandeira de Zico, a construção do centro de treinamento do Flamengo, que há anos é apenas um desenho no papel, começar a criar terreno, literalmente, com o acerto da rede de esgotos e um novo e reforçado compromisso com a Light. Mas a luz vai além: orçadas inicialmente em R$ 30 milhões, as obras do CT de Vargem Grande ganharam novos rumos e, enfim, serão iniciadas. À espera da liberação da Prefeitura, o que deve acontecer em um mês, a direção de patrimônio recebeu orientações de Zico, optou por arquitetura mais simples para reduzir custos e busca parcerias com empresas para construir os dois módulos, com início pelas divisões de base. A projeção inicial é de conclusão em dois anos, com prazo máximo para a Copa de 2014, quando alguma seleção poderá utilizar o local.




“O CT é um objetivo do Flamengo desde a década de 80, quando o terreno foi adquirido na gestão do presidente George Helal. Nos anos seguintes, foi contratado um primeiro projeto de arquitetura. As limitações financeiras dificultaram a continuidade das obras, provocando inúmeras interrupções e retomadas. A partir de 2003, verificou-se a necessidade da elaboração de um novo e, se possível, definitivo projeto, atualizado em bases coerentes com a nova realidade” afirma o arquiteto Alexandre Martins, autor do projeto e diretor de patrimônio do clube.

A ideia é que o capital destinado ao CT seja depositado em uma conta que não passe pelos departamentos de futebol e social do clube, repletos de dívidas. Além disso, são esperados incentivos fiscais.

Apenas os alojamentos têm dois pavimentos, o que simplifica a obra. “O CT se constitui de dois centros de treinamento, um para a base e outro para o profissional. É um empreendimento de porte significativo. Cada núcleo (base e profissional) possui vestiários próprios para cada categoria e comissões técnicas, centros de preparação e recuperação física, refeitórios e alojamentos compatíveis com cada categoria, compostos por quartos, salas de estar, jogos e estudos. Existem também espaços de administração e apoio, além de uma quadra poliesportiva coberta”, completa Alexandre Martins.

O terreno que um dia foi uma imensa granja começa a virar Ninho de Urubu e terra de Galo.



Aposta na engenharia financeira

Atolado em dívidas milionárias, o Rubro-Negro faz malabarismos para pagar uma dívida que libere a Certidão Negativa de Débito (CND) e, assim, conseguir uma bolada com a captação de recursos permitida pela Lei de Incentivo Fiscal ao Esporte.

Dirigentes influentes estão com investidores do mercado financeiro engatilhados para conseguir duas engenharias financeiras: primeiro, pagar uma dívida pública de R$ 20 milhões para conseguir a CND; depois, revalidar três projetos que haviam sido aprovados pela Lei de Incentivo Fiscal ao Esporte — mas venceram o prazo —, que renderiam um total de R$ 24,9 milhões. Apesar do complexo mecanismo, a aposta é que, em 40 dias, o clube recebe uma resposta positiva.

Além disso, já existe a busca por outra captação de recursos. Patrocinadora do clube, a Olympikus deixou claro que não investirá dinheiro nas obras.

A licença da obra já está sendo analisada pela Prefeitura, que deve dar o aval em breve.
Em conversa com a comissão que coordena o andamento do CT, Zico disse que pretende utilizar os campos para os treinos do profissional mesmo com as obras em andamento.

Como a área é arborizada e vasta em recursos naturais, houve a preocupação com o meio ambiente. “Estão previstas, entre outras instalações, o aproveitamento de energia solar para o aquecimento de água e a utilização de águas pluviais provenientes de telhados para o uso em sanitários e irrigação de áreas externas”, disse o arquiteto e diretor de patrimônio, Alexandre Martins.



Pontapé inicial será na base


O alojamento das categorias de base será o primeiro passo visível da obra, que já começou com trocas de fiações e melhoria na rede de esgotos. Um detalhe chama atenção: mesmo com módulos independentes entre a equipe profissional e os mais jovens, os jogadores do juvenil e juniores terão conforto, mas com pequenos estímulos para um dia chegar ao time principal.

“Os quartos dos profissionais têm duas camas e banheiro exclusivo; os das divisões de base são divididos entre quatro jogadores, sem banheiro no quarto. Eles têm conforto, mas almejam mais, desde um simples detalhe. Além disso, o alojamento dos juniores é virado para o do time”, destaca a engenheira Marise Lino.

O clube busca parceiros. Por exemplo: uma fábrica que forneça tijolos a baixo custo ou ceda o material terá direito de expor sua marca no site que acompanhará as obras ou poderá instalar placa na entrada do centro de treinamento. Além de Zico e da direção de patrimônio, diversos setores do clube estão envolvidos para que o sonho vire realidade.

Um comentário:

AF STURT disse...

Com a grandeza do clube temos a obrigação de ter um CT no minimo razoavel.

Vote na enquete do blog confio no mengão:
http://confionomengao.blogspot.com/2010/08/deixe-sua-opiniao-na-enquete-do-blog.html

SRN!