segunda-feira, 3 de abril de 2017

Estadual 2017: Flamengo 1 x 1 Fluminense


O Flamengo chega às partidas decisivas nesse começo de temporada com muitos questionamentos e problemas a serem resolvidos, apesar do retrospecto de uma derrota em 18 jogos e 41 gols marcados, com apenas 11 sofridos neste ano.

A marca serve apenas como amuleto para um trabalho que por ora parecia evoluir, mas que nos últimos jogos tem demonstrado uma queda acentuada de atuação do time, justamente na véspera do decisivo confronto contra o Atlético Paranaense pela Libertadores, na quarta-feira que vem.

São vários os problemas: a volta injustificável do Márcio Araújo, a problemática saída de bola, que tem sido responsabilidade do Rafael Vaz, e sua displicência com misto de soberba tem prejudicado a equipe. Ontem, as duas primeiras jogadas de perigo do Fluminense foram graças às saídas erradas de bola dos dois jogadores acima.

E porque não discutir o Arão? Suas atuações ruins não podem ser ofuscadas pelos dos dois gols nos dois últimos clássicos.

Reparem nesse lance, como ele se lança ao ataque quando a jogada está ainda sendo iniciada. O time além de perder a saída de bola, quando acontece uma falha o Arão já está lá na frente e os zagueiros ficam vencidos. O Cafú que volta pra ajudar na saída.


Aqui novamente a imensa dificuldade do Márcio Araújo em buscar o passe vertical, a transição mais rápida. Conclusão: Arão se manda pro ataque e sobra para o zagueiro sair jogando, errado.


Aqui outro problema: reparem onde estão os volantes e que basta um passe na vertical de um time rápido pra desmontar o sistema defensivo frágil Rubro Negro:


Cafú até tentou buscar o jogo. No começo, se aproximou do primeiro volante e conduziu pelo meio. Mas era um time ainda muito espaçado, sem aproximação, sem triangulação. A única tentativa de perigo era o chute de longa distância do Diego. Até houve uma tabelinha do Damião com o meia Rubro Negro, mas a marcação tricolor tirou.

Quem foi obrigado a trabalhar foi o Muralha, mesmo com um Fluminense reserva.

Sem a transição correta da defesa pro meio de campo o Flamengo vai continuar abusando do chutão. O time do ano passado sempre cruzou muito, bem mais do que o Palmeiras, mas acertava muito também, foi o terceiro melhor do campeonato (números do Footstats):


Porém, esse ano deu uma degringolada. Não pode 57 cruzamentos contra o Bangu:



Em lançamentos, apesar da quantidade alta, o número de acertos era maior do que o número de erros, especialmente após a estreia do Diego, contra o Grêmio, na segunda rodada do segundo turno:


Claramente o time tinha uma forma de jogar e dava certo, porém esse ano perdeu-se a identidade:


É preciso mudar, buscar alternativas e olhar quem pode fazer de diferente no banco de reservas. Poderia ter colocado o Renê e empurrado o Trauco pro ataque, como ponta, caindo pelo meio de campo, como já jogou pela seleção peruana.

Na quarta-feira contra o Volta Redonda tivemos as interessantes atuações do Cuellar e do Ronaldo, jogadores que dão andamento diferente na partida, não ficando apenas entre os zagueiros trocando passes laterais, mas com passes verticais.

Fica evidente também que a saída de Rômulo fez o nível do futebol do Flamengo cair e o treinador optou logo pelo jogador mais pragmático para substituí-lo.

O ultimo lance do clássico foi emblemático, onde a dupla Márcio Araújo e Gabriel gastam o tempo trocando passes de forma infrutífera é de lascar.

A partir de agora Zé Ricardo não terá mais opções de errar e terá muita coisa pra corrigir até quarta-feira que vem. Os jogadores também precisa assumir a responsabilidade e entrar com nível de concentração lá em cima, pois, a partir de agora, não existe mais jogo-treino.

É verdade que nos quatro jogos importantes no ano: dois da Libertadores, a semifinal contra o Vasco e a final da Taça Guanabara contra o Fluminense o time talvez tenha tido as melhores atuações do ano. Que esse seja o espírito. A partir de agora é só decisão.

6 comentários:

Rogério Fonseca disse...

André,
muito boas as suas análises. Errar, todo mundo erra. Mas, quando o erro se repete, aí tá faltando puxão de orelha. rs.

Quanto às saídas do Vaz, o time do Flamengo acaba obrigando ele a fazer isso. A bola vem para ele várias vezes em toques laterais, até que ele faz um lançamento, pois a defesa começa a ficar pressionada e ele não tem o que fazer.

Futebol é meio esquisito. O Brasil fez uma das campanhas mais ridículas nas eliminatórias para a Copa de 2002 e acabou sendo campeão do mundo nesse ano.

Parabéns pelo ótimo Blog! Obrigado pelo trabalho que você teve em ajudar!

ale rangel disse...

Só acho que ele tem que parar de enventar e o bator o time completo para jogar !

Bcbfla disse...

Sobre a jogada que o Diego volta pra armar e o Arão se lança ao ataque, acho que é algo combinado, o Arão tem condição de fazer esse trabalho mas ele perde efetividade quando foca estático na frente (além de desfalcar o setor defensivo) pois o elemento surpresa é fundamental nesse trabalho do volante meia, chegar de trás pra tabelar ou finalizar, e não jogar de costas pra defesa.

O time deu uma desorganizada de uns jogos pra cá, talvez pelo uso de reservas, desmotivação por jogos sem sentido ou por problemas táticos (muito possível que seja uma soma de tudo isso).

Seja como for, o momento da equipe não é bom.Nem coletivo nem individual.

Antonio Ferreira disse...

Bom dia, minha opinião:

Mete o Vaz (tá se achando...) no banco e bota o Donatti. Tira o MA e coloca o Cuellar ou o Ronaldo. Tira o Arão e coloca o Rômulo.

Já faz isso nos jogos da Taça Rio que não valem nada mesmo. Por falar nisso regulamentozinho de merda esse do Carioca. Vai acertando o time pro jogo do dia 12.

É jogo de Libertadores porra! Tem que ter sangue nos olhos! Tem que ganhar do Atlético!

André Amaral disse...

BCB, exato. Com Arão já se mandando lá pra frente, perde-se o elemento surpresa, prejudica a saída de bola e se der uma zebra lá trás, deixa a defesa toda desguarnecida.

Torço para que seja mais um desânimo pelos jogos sem sentido do que problemas sérios táticos. Vamos ver.

Julio Martins disse...

"O Flamengo chega às partidas decisivas com muitos questionamentos e problemas a serem resolvidos."

André, só Freud explica. rs.

O cara que fez o regulamento desse campeonato fugiu do zoológico! É uma anta!

A semifinal do segundo turno vai ser disputada e já se sabe os jogos das semifinais do campeonato. Ou seja, essas semifinais de turno não valem nada. kkkk. A Ferj se superando ano após ano.

Já divulgou o balanço dos últimos 5 anos para o público a entidade?

Transparência é para quem está limpo!