segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Eis um problema da transição no Flamengo: Jorge, eleito o melhor lateral do campeonato, só virou titular por acaso no Flamengo

Jorge conquistou hoje o prêmio de melhor lateral esquerdo do campeonato brasileiro, em festa da CBF dos melhores do Brasileirão.

O lateral é um típico caso de como o Flamengo trabalha sua base.

Em meados de 2015 havia três opções para a lateral: Anderson Pico, que estava machucado, Thallyson que não correspondia e a documentação do Armero que ainda não estava liberada.


Desta forma, Jorge só virou titular da equipe da Gávea por acaso. Não houve quem pudesse olhar para o garoto e enxergá-lo como opção, sem precisar de gastar com jogadores médios, mesmo o lateral tendo disputado o Mundial sub-20 com a seleção brasileira.

Imagina se não tem algum garoto da base que jogue melhor do que o Gabriel, por exemplo, que vai para seu quinto ano de Flamengo e até hoje não mostrou a que veio. Ainda: será que teriam cinco anos de paciência se fosse com outro atleta da base?

E assim podemos estender ao Cirino, Émerson, Chiquinho.

Problema de transição da base para o profissional não é só problema do Rubro Negro não.

Gabriel Jesus, o craque do Brasileirão, só foi inscrito no campeonato paulista graças à documentação do Cleiton Xavier que não ficou pronta até o prazo de inscrição dos jogadores.

Osvaldo de Oliveira resolveu então chamar o garoto, de 17 anos, que já havia se destacado na Copa São Paulo.


Talvez o Santos e o Fluminense sejam os clubes que melhor apostam em sua base e acreditam que vão dar conta no profissional, porque conhecem o que estão formando.

É desta forma que o Flamengo deve utilizar o Estadual. Acreditando nos bons valores da base, não lançando uma porção de jogadores indiscriminadamente, mas escalando alguns jogadores adultos com outros já rodados da base: Vizeu, Paquetá, Matheus Sávio, Ronaldo, Léo Duarte, Daniel e quem sabe Vinicius Júnior, Lincoln.

4 comentários:

João Paulo disse...

Uma das coisas que mais me impressionam nos fins de ano no Flamengo é que o torcedor sabe na ponta da língua quem ele quer dispensar, ou seja, a lista de dispensa é mais enfocada do que a lista de contratações. Isso fica bem claro nas discussões. Tem mais gente que o torcedor quer que saia do que jogadores que ele sonha ver no time. Na minha lista tem pelo menos uns 15 jogadores, que depois que saírem do Flamengo ninguém vai se lembrar que um dia eles “jogaram” no mais querido.

Anônimo disse...

MDaemon

PARÁ foi mais efetivo ao longo do campeonato, saindo de seus cruzamentos inúmeros gols do Flamengo. Jorge foi mais "burocrata", chegando em muitos jogos a irritar a torcida pela indolência.
SRN

Paulo Teti disse...


Ainda não cheguei a conclusão correta sobre o que acontece em relação a utilização da Base e como isso deve ser feito , não da pra jogar somente a culpa no clube , pois, muitos jogadores tiveram a oportunidade e não corresponderam também , vide Negueba , Matheus , Thomas, Muralha ,Cezar, Rodolfo (que começou bem e caiu) , Rafinha ... O clube também perdeu muito dinheiro com esse pessoal , pois, não vendeu achando que os caras seriam grandes jogadores algo que não ocorreu.. E fato que os atuais , Ronaldo , Vizeu , Paqueta e Sávio, mereçam uma chance mas não podemos afirmar que o clube errou em não colocá-los sempre ainda .. O que eu acho que pode ser feito e eles irem entrando gradativamente com o time bom formado , eles tem que ser jogadores completares , não podem ser a solução...

Obs: Também não acho Jorge isso tudo, acho que precisa evoluir muito , por enquanto ainda é um lateral mediano...

SRN

Joanilson Silva disse...

Até acho q tem muitos na base q ñ vão vingar, mas ñ dá para aceitar a gente ficar 5 anos tentando o Gabriel todo o jogo. Você consegue lembrar algum jogador da base q foi testado por 5 anos? E nem vou citar a diferença de organização q o Flamengo tem hoje em relação à uns 6 anos atrás, a grande falta de coerência é colocar jogadores nem de qualidade questionável mas jogadores sem nem futebol mesmo, como o caso do Chiquinho. O Léo zagueiro vinha jogando bem, pq ñ foi testado com o Rever q é experiente? Juan surgiu novo jogando ao lado do Gamarra, olha a chance q temos de testar um garoto da base? Pq colocar Sheik para jogar? O q ele acrescentou ao Flamengo? Pq Thiago e Paqueta ñ entraram e puderam mostrar q ñ tem mesmo futebol para jogar no profissional ou q ainda não estão preparados, p/ dizer se pode ou não agora ou num futuro serem profissionais precisam jogar. Será q ñ seria uma puta experiência e ajudaria no crescimento de Paqueta e Adryan jogar ao lado do Diego e tendo o Guerrero a frente?