terça-feira, 15 de março de 2016

Alexandre Póvoa: "Um pedido de desculpas"

Queria estar postando mais uma carta do vice-presidente de esportes olímpicos do Flamengo, Alexandre Póvoa, "O Basquete do Flamengo agradece" pelo título da Liga das Américas.

Entretanto o bicampeonato não veio e restou este pedido de desculpas, que o blog divulga:


Caros amigos,

O C.R. Flamengo encerrou sua participação na Liga das Américas de Basquetebol, competição disputada na cidade de Barquisimeto (Venezuela) no final de semana passado, chegando à quarta colocação, depois de perdermos dois jogos pela mesma diferença de dois pontos para as equipes brasileiras do Bauru (81 x 83) e Mogi (71 X 73). O título ficou com a equipe da casa, o Guaros de Lara.

Olhando somente a fotografia e os resultados finais, seria cômodo para um dirigente do clube simplesmente afirmar que a derrota “faz parte do jogo” e que “perder é normal, até porque o Flamengo não pode vencer sempre”. Afinal, dos dez títulos disputados nos últimos três anos, ganhamos oito (três Cariocas, três NBBs, uma Liga das Américas e um Mundial), não tendo conquistado somente as duas últimas edições da Liga das Américas (mesmo assim, chegando ao Final Four nas duas ocasiões). Além disso, fomos o primeiro clube brasileiro a jogar contra equipes da NBA em território dos EUA e a alcançar a primazia de receber uma franquia norte-americana em casa para um amistoso. Olhando sob uma perspectiva mais ampla, o objetivo de manter o Flamengo no topo do basquete tem sido alcançado (lembrando que estamos na liderança novamente do atual NBB). Mas não vamos usar absolutamente esses fatos para esconder nossa decepção, frustração e inconformismo com a nossa atuação na Venezuela.

É obrigação de todos que comandam o clube hoje zelar para manter intacto não somente o respeito permanente ao nosso Manto Sagrado, mas também a esse patrimônio do basquete do Flamengo, que recebeu da própria torcida a enorme responsabilidade da alcunha “Orgulho da Nação”. Temos que reconhecer que perdemos, de forma totalmente atípica, uma preciosa oportunidade de conquistar mais um título. Na semifinal contra o Bauru Basket, a derrota, da forma que ocorreu, definitivamente “não faz parte do jogo”. Perdemos para nós mesmos, apesar de, como esportistas, aplaudirmos um adversário qualificado que conseguiu tirar a diferença de 17 pontos nos 7 minutos finais, de forma incrível. Porém, nada justifica a quantidade de falhas cometidas, em todos os níveis, nesse último trecho da partida. Enfim, o que aconteceu, a maneira que perdemos, nos envergonhou. Essa foi a pior e mais dolorida derrota do nosso basquete nos últimos quatro anos. No dia seguinte, no jogo contra Mogi, alguns desses mesmos problemas se repetiram, mas o astral do grupo já era ruim por conta dessa derrota impactante da véspera.

Enfim, todos nós que participamos do basquete do Flamengo, fora e dentro da quadra, a começar por nós dirigentes, que escolhemos o atual elenco e comissão técnica, somos responsáveis diretos por essa dura derrota, que obviamente não pode ser comodamente atribuída à simples “obra dos deuses do esporte”. O primeiro passo é sermos humildes para identificarmos os nossos erros (coletivos e individuais) e trabalharmos em dobro para corrigir as falhas técnicas, táticas e de postura. Demandamos uma atitude diferente do grupo para que os rubro-negros continuem a se orgulhar de seu time de basquete, independente de vitórias ou derrotas pontuais.

Existem “derrotas e derrotas”. O basquete do Flamengo, apesar do histórico vencedor, tem a obrigação nesse momento de apresentar suas sinceras desculpas a sua torcida. Novamente, não estamos pedindo desculpas pela não conquista de um título tão difícil como é o da Liga das Américas, mas pela forma com que chegamos a esse quarto lugar na fase final nesse torneio tão importante, vis a vis o potencial que apresenta o atual grupo. Os rubro-negros podem ter a certeza absoluta de que as necessárias correções de rota serão deflagradas imediatamente. O grupo está consciente que precisamos melhorar para atingir nossas metas. Podem ter certeza que não faltarão luta e entrega.

Pedimos o sempre presente apoio da torcida no restante da temporada, dado que o outro grande objetivo, a conquista do tetracampeonato da NBB (cinco vezes alternado), competição que estamos liderando, está totalmente ao nosso alcance. Porém, somente será possível chegarmos ao topo através da sinergia da equipe com a Nação Rubro-Negra, parceria que nos levou a tantas vitórias e glórias nos últimos anos. A sequência dessa verdadeira maratona, começa logo com a difícil partida contra o tradicional rival Brasília, já nessa quarta-feira, às 20 hs, no ginásio do Tijuca T.C.

Saudações rubro-negras.

9 comentários:

Joanilson Silva disse...

Mas uma bela atitude do Povoa, o grande detalhe ñ foi perder, foi como perdeu e vamos continuar torcendo para reverter essa situação, o jg amanhã provavelmente vai ficar vazio por causa do joga da CB.

Anônimo disse...

O senso crítico, a vontade de aperfeiçoar sempre e a comunicação com a torcida são aspectos importantes do trabalho de um dirigente. Por essas e outras que respeito muito o trabalho que tem sido feito. Parabens pela carta!
Paulo Jr.

Anônimo disse...

#SRN
Acho a atitude louvável, porém tardia, isso já estava se desenhando a tempos, e tudo o que o Póvoa colocou já havia sido dito por mim e por outros frequentadores desse blog, o time perdeu para ele mesmo por simplesmente achar que eram "imbatíveis"... e esse pensamento veio de cima tb, desde a diretoria até o técnico.
Essa postura deveria ter sido usada qdo perdemos de forma vergonhosa para os Venezuelanos, ali perdemos o título, não pela derrota, mas pela carta que o Póvoa escreveu aqui em seguida, usando desculpas e falando que foi um "acaso" aquela derrota. Aquela sim foi uma derrota vergonhosa e que merecia esse tipo de desculpas e não aquela exaltando o time e dando desculpas por algo que já estava desenhado.
Se naquele momento a diretoria e comissão técnica tivessem agido de forma firme, teriamos atropelado os adversários no Final Four, pois time o Flamengo tem de sobra pra fazer isso.
O Póvoa tem seus créditos, está de parabéns por tudo o que já fez pelo basquete do Flamengo, porém tem a mesma culpa que todos...
Não vou deixar de torcer e nem deixar de amar esse time, porém tb não vou ficar aqui bachulando ou passando a mão na cabeça deles achando que eles fizeram o que podiam, pq isso não é verdade, faltou sim entrega, determinação, humildade e vontade de vencer mais do que os adversários e isso não admito como torcedor.
Perder faz parte, mas que se perca de pé, como homens.
Não quero entrar em méritos sobre quem esta certo ou errado agora, pois já aconteceu, poderia ter sido evitado, mas não foi.
Que isso sirva de lição para o futuro e que a humildade prevaleça para todos, não existe time imbatível, não existe campeonato ganho antes que ele termine.

josecarlosf84 disse...

Legal o pedido de desculpas, mas nota-se que aquele discurso ufanista e desconexo da realidade atual continua: ''ganhamos tudo que disputamos'', ''orgulho da Nação'', ''fomos os primeiros a fazer isso e aquilo''... Hoje a realidade é diferente e é preciso acordar pra ela.

Toda torcida sabe dos méritos dessa equipe e no atual momento é desnecessário lembrar isso. Foram grandes conquistas mas hoje queremos saber do presente. A torcida quer saber o que será feito pra reverter a atual situação.

Hoje, 2016 (deixemos de lado 2014, 2015, etc), o basquete do clube não tem do que se orgulhar, o Flamengo com o elenco mais caro do país sofreu uma desclassificação vergonhosa em uma competição importantíssima, o que pôs em dúvida agora até o futuro da equipe para a próxima temporada.

Tá parecendo a seleção brasileira de futebol, fica com a mentalidade de ''somos os melhores'' e em campo (no caso em quadra) o resultado não aparece.

Vamos continuar apoiando, afinal independente de nomes nós somos Flamengo, mas é preciso encarar o desafio de frente sem ficar recorrendo ao passado.

Ruy Moura disse...

Gostei muito do comentário do #SRN porque expressa boa parte do meu sentimento de decepção com esse time. O amor pelo Flamengo permanece intacto e não tem fim, porém, também temo pelo futuro do basquete rubro negro, na próxima temporada! A diretoria tem de enxergar que apostou em um elenco de jogadores marcados pela experiência, mas que, em quadra, não vêm demonstrando vontade de ganhar de verdade e, assim, não chega a lugar nenhum! A comissão técnica parece atônita!

Anônimo disse...

Saudades do Nico e Benitez, que davam o sangue em quadra...com eles não teriamos passado essa vergonha!!! A reposição desses jogadores foi péssima, essa é a verdade...

Barreto disse...

O Flamengo já vive durante algum tempo mergulhado em uma enorme zona de conforto que traz oscilações no seu desempenho ao longo dos últimos NBB ( não se esqueçam que no NBB anterior perdeu jogos incíveis para times bem mais fracos , inclusive para o S. José nos playoffs de quartas) e como tem apresentado elenco bem superior aos demais, há tempo de acordar e se concentrar na competição, vencendo-a até com facilidade. No NBB há tempo para sair da zona de conforto e virar a página , mas em torneios com mata mata a história pode ser diferente. Foi o que aconteceu, perdeu para ele mesmo.
Não accho que o discurso do póvoa foi ufanista, pois ele mesmo se incluiu como um dos culpados.

Talvez devesse ter feito isso antes, mas acertar sempre é impossível. Não acho que o Fla está em terra arrasada , vai ligar o turbo e ganhar este NBB com pé nas costas pois será o primeiro na fase classificatória ( pode perder até 2 jogos) jogando com vantagem em todos os jogos de palayoff.

Anônimo disse...

#SRN
Pelos comentários acima, acredito que todos estejam de acordo, o Flamengo perdeu, não por ter um mal elenco, mas pq não conseguiu se transformar em um time, infelizmente essas coisas acontecem e fazem parte da vida.
Que a diretoria leve mais uma vez isso como lição e que tentem evitar que ocorra pela 3x, o Barreto está certo, o time não esta em terra arrasada, longe disso, tem elenco pra vencer o NBB com certeza, como fez na temporada passada.
Mas com o elenco que tem e o investimento realizado, teria que ter ganho tudo e a LDA tem que ser uma "obrigação" o ano que vem. (coloquei entre " " pois sei que é difícil vencer, mas estou falando em desejo, vontade e objetivo).
Vou fazer apenas um comentário, que muitos aqui tb já fizeram e quem sabe depois de td isso a diretoria "escute".
Não deixem pra remontar o time apenas depois do campeonato, já comecem a fazer os planejamentos desde já, o elenco não é ruim, porém não deu liga, talvez com a troca de uns 3 jogadores (não acredito que precise mais do que isso) vamos continuar sendo um dos melhores elencos da América e quem sabe um time de verdade.
Não vou falar de nomes, embora esse fosse o meu desejo, mas são pessoas, trabalhadoras e merecem o meu respeito.
Posso falar nos que gostaria de vê no Flamengo o ano que vem: Shammel, Alex e um armador com estilo agressivo e pontuador (teve pelo menos uns 3 assim nas finais da LDA).
Se tivessemos um jogador com as caracteristicas (não de jogo ou fisicas, mas de vontade, brio, determinação e gana de vencer), as coisas poderiam ter sido diferentes.
#FICAADICA

Cadu Rollo disse...

Pois é, meu sentimento sobre o time, elenco e sobre essa declaração é muito próxima dos demais que comentaram.

As conquistas recentes, foram realmente incríveis e dignas de aplausos, e certamente todos aqui aplaudiram e deram todos os créditos necessários, mas passou, e é a hora de escrever as novas histórias, e não se agarrar às passadas.

Acho que sim, é a hora de rever algumas coisas, algumas peças, algumas questões de planejamento.

Fica um sentimento ainda de muita tristeza pela forma como as coisas ocorreram, mas bola pra frente que ainda tem um título muito importante em jogo.