sábado, 1 de junho de 2013

NBB 2012/2013 - Final: FLAMENGO TRICAMPEÃO


É tricampeão brasileiro!!! Com 17 mil torcedores, o Flamengo derrotou o Uberlândia por 77 x 70 e conquistou o tão esperado título para fechar a temporada.

Tudo liderado por José Neto, que chegou com a missão de trazer o título brasileiro pra Gávea após três anos de conquistas do Brasília. Reformulou o elenco, começou praticamente do zero, manteve apenas Caio Torres, Marcelinho e Duda e deu uma aula tática nesta final em jogo único, escalando Zanotti no lugar de Benite e a dupla Shilton e Caio Torres talvez pela primeira vez juntos nesta temporada.

O grande nome do jogo foi o pivô Caio Torres, que só entrou em quadra graças ao efeito suspensivo obtido na noite de quinta-feira, anotando 23 pontos (8/10 na cesta de dois pontos e 7/8 no lance livre) e 10 rebotes. Realmente senhor Procurador Rafael Fachada, o jogador era uma ameaça mesmo à coletividade...do garrafão mineiro.

Quem também terminou com um double-double foi o Olivinha: 10 pontos e 12 rebotes. Marquinhos, MVP do campeonato, anotou 16 pontos.

Mas dois jogadores merecem elogios: Zanotti, muito bem escalado como titular, anulou o terrível americano Robert Day e fez cestas importantíssimas. E Shilton, outra bela escolha de José Neto para fazer dupla com Caio Torres, mandando no garrafão no terceiro quarto.


O JOGO

O Flamengo começou o primeiro quarto com uma excelente postura. Marcando bem e aproveitando das várias falhas ofensivas do Uberlândia, o time liderado por Marquinhos e Caio Torres abriu 15 x 7, forçando Hélio Rubens a parar a partida. Na volta Olivinha fez a cesta e sofreu falta, colocando o time com 11 pontos de frente: 18 x 07.

Sem pontuar dentro do garrafão, o Uberlândia sobrevivia graças ao aproveitamento na linha de três pontos e Gruber era a principal opção mineira, marcando 11 dos 15 pontos do seu time. No segundo final, Kojo cobrou dois lances livres para colocar no placar: 21 x 15.

Com os reservas em quadra, o Flamengo era pouco eficiente no ataque no segundo quarto. As bolas de três pontos amassavam o aro Rubro Negro: 0/13. Já o Uberlândia seguia brilhante neste quesito, Gruber continuava imbatível e chegou a ter 5/6 na linha de três pontos. E foi assim que empataram a partida: 27 x 27. Duda que vinha sendo o grande reserva dos playoffs entrou mal, e viu Robert Day marcar seus primeiros pontos e ir pro vestiário vencendo por 34 x 33.

Na volta pro segundo tempo o Flamengo finalmente conseguiu matar suas bolas de longa distância. Primeiro foi Kojo, depois Zanotti, Olivinha e Duda. Isso tudo alternando com excelentes jogadas de Caio Torres e Shilton, juntos no garrafão, já que o Uberlândia não contava com seus pivôs carregados de falta: 58 x 49.

No quarto decisivo o Flamengo estava inteiro. Com José Neto promovendo bem os rodízios, manteve Caio Torres e Shilton, voltou com Marquinhos decisivo nos cinco minutos finais para garantir a vitória, o título e a brilhante campanha. A festa da Nação Rubro Negra já começava antes mesmo do cronômetro zerar, emocionante!

Título brasileiro justíssimo que volta para a Gávea. Um time que dominou boa parte da fase de classificação, caiu um pouco de rendimento no final do segundo turno, entretando ninguém foi capaz de tirar a decisiva primeira colocação e assim decidir em casa nos playoffs.

Méritos para o ex-diretor Arnaldo Szpiro pela montagem do elenco e escolha do José Neto como treinador. Méritos para a atual diretoria por ter pago os salários atrasados e belíssima escolha pela Arena da Barra. Mostrou-se que a decisão era acertada.

Valeu, Mengão!!!

13 comentários:

Anônimo disse...

parabens ao time de basquete eu queria saber se a diretoria vai manter o time e vai trazer mais reforsos

Anônimo disse...

Parece piada creditar esse campeonato a diretoria anterior. Os azuis ganharam a eleição no dia 03/12, na terceira rodada do campeonato. O clube completamente quebrado, com risco de tomar até WO por nao ter dinheiro para jogar nem no TIjuca, três meses de salários atrasados. Passam-se 5 meses, salários e impostos em dia, time completamente tranquilo somente para jogar, pessoas como o Marcelo VIdo e o Alexandre Póvoa, ex-basqueteiros, apoiando e conversando com o time, quase 50 mil pessoas nos 4 jogos na Arena, enfim: desconhecer tudo isso e querer dividir méritos eh de uma ignorância esportiva atroz. Sabe quando esse time teria sido campeão com o caos anterior? Nunca ! Fica uma pergunta: terá sido coincidência o basquete ter ganho tudo até 2009, nao ganhar nada entre 2010 e 2012 e voltar a ganhar em 2013.? Desculpem amigos, larguei esse blog. Vou comemorar a nova era e o título do meu Mengao ! Boa noite Marcio

André Amaral disse...

Márcio, li de novo o texto para ver se tinha escrito algo como "acreditar esse campeonato à diretoria anterior" e não encontrei.

Abraços

Ruy Moura disse...

André tem razão. O título também e do Arnaldo Szpiro. Torço para que o time seja mantido e reforçado. Não tivemos a oportunidade de ver em ação a famigerada dupla Marcelinho-Marquinhos. Além disso, o Benite e o Olivinha ainda não renderam tudo que podem.

João Duarte disse...

André, na próxima vez que estiver com o Povoa ou alguém da gávea questione a renda dessa final.

Foram 14.445 pagantes a arena e a renda foi em torno de 160 mil reais (achei o numero em site algum, é o que eu me lembro da divulgação durante o jogo lá na arena, qualquer diferença disso é merreca).

Isso significa um ticket médio de R$ 11 mais ou menos.

Mesmo considerando que todos pagaram meia entrada por causa da promoção da camisa, o ingresso mais barato custava R$ 18. Chutando a distribuição das pessoas pelos setores e os preços, diria que a média deveria ser por volta de R$ 30. De qualquer forma, não poderia ser menor que R$ 18.

Então, o que aconteceu?

PS: grande titulo, muito emocionante acompanhar essa campanha inteira desse time sensacional. Muito injusto o Neto não ter sido o melhor jogador e que partidaça do Caio na final.

Anônimo disse...

O "anônimo" ou melhor, Marcio, no mínimo não entende nada de flamengo/basquete e pelo visto não é sócio do clube... O time campeão em 2013 foi montado SIM pela diretoria anterior (em 2012). André, parabéns pelo crédito dado merecidamente ao Szpiro, porque quem conhece de perto a 'vida' do basquete rubro negro sabe muito bem que foi ELE quem montou este time, foi ELE quem fez as contratações... Qdo Ele saiu tudo já estava pronto, alinhado, manter seria fácil! Agora vamos ver p/ a próxima temporada...
Abs,
Rogério sócio proprietário.
P.S: Foi campeão pq os 'azuis' colocaram os salários em dia??!!! hahahaha!!! Sabe qual a contribuição dos azuis p/ este campeonato??? 0!!

bcb disse...

João Duarte,

a renda foi de mais de 300 mil reais, o péssimo locutor da Arena informou errado e depois retificou.

André Amaral,

muito boa a sua análise.Estive na Arena e vi uma atuação defensiva soberba do Flamengo.Soberba.

Todos os jogadores deram 100% de esforço defensivo, vi o Caio em um mismatch na linha de 3 pts marcando o Day e levando vantagem, vi o Zanotti, o Duda, o Kojo e o Marquinhos passando no meio de todos os screens do time mineiro sem perder seus homens de marcação, vi que boa parte das bolas do Uberlândia de 3 pts que forma convertidas tinham uma mão de um defensor do Fla na cara...que dedicação defensiva!

Impressionante é que a formação com dois pivôs, Caio e Shilton, foi absolutamente fantástica, tanto que Olivinha nem voltou mais, o Shilton guardou seus 15 minutos de basquete para a hora EXATA!

Atuação sensacional do banco de reservas, e ótimo dia do Neto, ganhou o duelo tático e estratégico com sobras frente ao velho Hélio Rubens.

É um titulo da direção atual e da direção DE BASQUETE anterior, dos jogadores e da comissão técnica, todos estão de parabéns por um trabalho brilhante.

Menção fundamental ao trabalho incrível que fez a torcida, pressionamos o adversário os 40 minutos e apoiamos o Fla o tempo todo, foi lindo ter estado lá.

Agora...vamos fazer de novo ano que vem!!!rsrs

SRN

Marco Aurélio disse...

TODOS os envolvidos no projeto basquete, da gestão anterior e desta nova gestão estão de parabéns por dar mais essa alegria a nação. Comentários políticos tais como do sr. Rogério e do sr. Márcio não estão a altura da alegria do momento. TODOS os rubro negros, sejam sócios pagantes ou não, sejam sócios ou não fazem parte desta grande massa de 40 milhões muito felizes com o basquete que é definitivamente o orgulho da nação. Um abraço.
Marco Aurélio. Sócio proprietário mas acima de tudo Rubro Negro....

André Amaral disse...

BCB

Meu caro amigo, José Neto engoliu o velho Rubéns com os dois pivôs. Não me lembro dos dois jogando juntos em nenhum momento nesta temporada. Era pra ser mesmo nosso esse título.

É isso, o título é também da direção anterior do basquete pela montagem do elenco. Nem preciso comentar do trabalho do Póvoa e do Vido porque quem acompanha o blog sabe que sou fã desde o primeiro minuto de trabalho deles..rs

Já estou com saudades de basquete...hahaha

Abraços

André Amaral disse...

João Duarte, obrigado pelo comentário, acho que o comentário do BCB dizendo que o locutor errou a renda já te respondeu, correto?

Também achei injusto demais o Neto não ter ganho o troféu de melhor treinador. Ele que saiu de um médio Joinville para reformular o time de basquete tendo toda pressão de levar o Flamengo de volta ao topo após um tricampeonato do nosso maior rival não é pouca coisa.

Abraços

André Amaral disse...

Marco Aurélio, é isso.

Abraços e vamos comemorar!

SRN

Marcelo disse...

Parabéns a todos os envolvidos com essa campanha espetacular!

Ao José Neto, que fez realmente um excelente trabalho, em especial nessa última partida. Merecia muito ter sido eleito o melhor treinador. Temos que lembrar que ele perdeu o jogador mais experiente do time logo na primeira partida.

Parabéns a todo o elenco. Todos os jogadores mostraram muita determinação e muita vontade, especialmente nessa reta final. Marquinhos, MVP com muita justiça. Olivinha, com uma raça espetacular. Caio, atropelou na Final. Kojo e Benite, importantíssimos em toda a campanha. E nossos homens do banco, Duda, Zanotti, Shilton e Gegê, ajudaram muito na conquista.

E o que dizer da torcida? Foi maravilhoso, e inesquecível, ter ido ao ginásio nessa decisão. A Arena foi um verdadeiro caldeirão, e a torcida levou os jogadores nos ombros rumo ao tricampeonato nesses quatro jogos decisivos! Deu muito orgulho da Nação!



Marcelo disse...

Parabéns também a vc, André, pela ótima cobertura do basquete rubronegro aki no blog.

Tomara que o time seja mantido, e até reforçado, pra próxima temporada. Gostei muito também da demonstração de que o basquete tem condições de ser economicamente viável.