quarta-feira, 13 de março de 2013

Flamengo quer rediscutir política de ingressos e descontos do Estadual

Ainda sobre a discussão dos ingressos, despesas e taxas da FERJ, segue nota da coluna De Prima do Lance de hoje:

Os dirigentes do Flamengo querem reunir os clubes grandes do Rio para rediscutir a política de preços de ingressos e de descontos do borderô, fixada pelo presidente a Ferj, Rubens Lopes. O Flamengo foi o clube com maior renda líquida no Estadual, R$ 500 mil. O saldo do Fluminense foi de apenas R$ 6 mil.

No jornal O Globo de domingo saiu uma matéria onde informa que a Federação de Futebol do Rio foi a campeã de receita no primeiro turno do Estadual, faturando R$ 484.915. Sem falar a Cooperativa de Árbitros de Futebol do Rio (Coopaferj) que levou pra casa R$ 416.806.

E teve direito a show de arrogância do presidente Rubens Lopes. É um abuso, mas se os clubes não colocarem um ponto final já para o próximo campeonato, merecem ouvir mesmo lição de moral de cartola de Federação.

E ainda serão tratados como vilões por não reduzirem o preço dos ingressos a pedido da FERJ que, em nenhum momento, propõs a redução de suas taxas - 10% todo jogo.

2 comentários:

Tiago Cordeiro disse...

O que disse o Rubens?

André Amaral disse...

- Os clubes fogem da realidade. Eles recebem R$ 500 mil de cota da TV por jogo. O dinheiro da taxa vai para a federação. E daí? Não tem o direito de ganhar? O dirigente de algum clube trabalha de graça? Quem diz que não sabe para onde vai o dinheiro nunca veio à federação. Eu tenho 60 funcionários e pago em dia, coisa que eles não fazem.

- Os clubes não gastam nada com arbitragem, jogam com reservas e querem lucro. O problema está na gestão que fazem.