domingo, 11 de março de 2012

Estadual 2012: Flamengo 2 x 0 Fluminense


Vitória da eficiência do primeiro tempo e da frieza no segundo. Vitória de um grande goleiro chamado Paulo Victor, ou seria Paulo Invictor?

O Flamengo tinha nove desfalques, entre eles quatro que considero titulares: Felipe, Léo Moura, Airton e Botinelli. O Fluminense jogou sem seu trio: Fred, Deco e Thiago Neves. Ou Flamengo tem mais oções que o Fluminense, ou o Fluminense não tem um super elenco como dizem ou os substitutos Rubro Negro foram mais eficientes.

No primeiro tempo o Fluminense era melhor, tinha um meio de campo mais organizado, chegava com mais velocidade ao ataque, apesar de não ameaçar. O Flamengo pra valer, chegou duas vezes, e nas duas fez seus gols.

A pressão tricolor foi forte quando Ronaldinho foi expulso. Expulsão justa de quem vinha fazendo uma boa partida. Deu o bom passe depois da boa ultrapassagem do Galhardo e foi esperto na cobrança de falta rápida no segundo gol.

Era o melhor do ataque. Ao contrário do Love que fez, finalmente, sua primeira partida ruim. Não fez a primeira falta, mas a segunda já merecia uma expulsão direta. Não teve intenção, tanto que ele se assusta com o pisão que deu.

Eu o prefiro assim, marcando no meio de campo, buscando o jogo como estava fazendo, sendo esperto no segundo gol, ou seja, ligado. O complicado é que vamos sempre analisar o cara pelos R$ 1,2 milhões que o Flamengo paga, ou seja, nunca terá o custo-benefício pago.

No segundo tempo Joel organizou a defesa depois do bombardeio ao final do primeiro tempo. E viu que a marcação estava eficiente, e com o placar favorável, não resolveu buscar o contra-ataque em nenhum momento. Só foi mudar mesmo naquelas tradicionais substituições pra ganhar tempo.

O grande nome do time foi o goleiro Paulo Victor. Sempre bem nas bolas aéreas, fez uma defesa espetacular no final do segundo em chute de Souza.

Partidaça do zagueiro González. E outra boa partida também do David Braz. As vezes uma peça consegue arrumar um monte de coisas.

Destaque também para Magal.

Partida regular de Muralha e Luiz Antônio. Prefiro este mais avançado. Errou muitos passes na saída de bola.

E quem diria, Kléberson, que não jogava desde setembro (!!!), fez uma partida razoável. Avançou bem no primeiro tempo, e na etapa final ajudou pra fechar a marcação.

8 comentários:

Marcio disse...

André, vc não considera Willians titular?

costabrito disse...

Faltou falar do Thomas ,com seus dribles !!! Joel tem que pensar em um plano para poupar o Love ,nao pode deixar o cara se esgotar fisicamente ,hoje poderia ter utilizado o Deivid

Elton disse...

Em relação ao R$1,2 mi. Se for considerar o futebol, nem o Neymar terá o custo benefício. O que pode valer é em relação à imagem, patrocínios e venda de produtos, mas aí depende da competência do marketing. Com Ronaldo o Corinthians conseguiu muita grana (jogando menos q o R10 do Fla), gostaram tanto da fórmula, que hj o Adriano está lá.

Discordo em relação aos contra-ataques. O Joel botou o Diego Maurício, que puxou alguns contra-ataques perigosos, que sempre deram errado por falta de um último toque mais caprichado. No 2o tempo o próprio Love e o Luiz Antônio chegaram com perigo perto da área do Flu. O Luiz Antônio errou um último passe que deixaria o Kleberson na cara do gol, aí seria 3 a 0. O problema é que o jogo já estava difícil com 11 jogadores, com 10 ficou pior, tinha que ter um pouco de cautela mesmo.

André Amaral disse...

Márcio

Não considero não. Minha dupla seria Airton e Muralha.

André Amaral disse...

Elton

Não vejo com a entrada do Diego Maurício um desejo do Joel pelo contra-ataque.

Teria sim se tirasse o kléberson ou um dos dois volantes.

Mas a defesa estava tão organizada e o Flu sem força para atacar, que ficou melhor deixar o que estava funcionando.

Robson disse...

Depois de muito tempo podemos dizer que o Flamengo fez uma boa partida. Destaque para o Paulo Victor, na qual o Luxemburgo tinha razão em mandar embora o Lomba e Gonzalez, que lembra o Fabio Luciano pela experiência e tranquilidade. Valeu pelo Joel ter utilizado o Thomas ao Negueba, que mostra ser muito mais produtivo ao time. Não achei que o Flamengo não contra atacou no segundo tempo, tivemos a chance com o Luiz que sem querer o Love atrapalhou o passe para o Kleberson e um outro lance que o Diego saiu para o lado errado.

Paulo Hora disse...

Essa perseguição da imprensa ao Willians fez sua cabeça. O cara é, simplesmente, o maior marcador, ladrão de bolas, líder em desarmes do Brasil. Acho que esses comentaristas velhos e saudosistas não aceitam que um volante que tenha como característica a marcação precisa, muita movimentação e velocidade, mas que não tem muito drible e erra muitos passes (melhorou muito nisso) seja reconhecido.

A moda é falar em "volantes modernos", que saibam dar passes, driblar e fazer gol. Mesmo que sejam eficientes nesses aspectos, o mais importante é saber marcar, senão ele não deve jogar de volante!

O Muralha, eu acho bom marcador, não chega perto do Willians, e com técnica apenas razoável. Já o Luiz Antônio, eu acho fraco na marcação, ele tem boa técnica e é veloz, mas deixa muito espaço na marcação e erra as tentivas de desarme.

Se o problema do Willians for o excesso de faltas e cartões, você não colocaria o Aírton como titular, né?

Elton disse...

Se o Willians tivesse marcado o Pelé, ele não teria feito nem 500 gols.

rsrsrsrs