sexta-feira, 14 de julho de 2017

Brasileirão 2017: Flamengo 0 x 1 Grêmio


No primeiro grande desafio jogando em sua nova casa, o Flamengo não conseguiu superar a forte marcação do Grêmio, perdeu de 1 x 0 e a vantagem para o líder Corinthians foi para a casa dos 12 pontos.

O Grêmio seguiu o padrão do futebol brasileiro. A cultura atual é ter pouca posse de bola, ser mortal na finalização e defender muito. O Rubro Negro faz, ou tenta, justamente o contrário: fica com a bola, ainda não é tão seguro na defesa - especialmente o fraco goleiro, e precisa de muitos arremates para conseguir um gol.

O problema é que quem enfrenta esse tipo de adversário não está encontrando repertório para fugir dessa estratégia de jogo, e a única alternativa tem sido erguer bola na área. Palmeiras na quarta e Flamengo ontem foram exemplos disso. Mesmo com um elenco melhor, não encontram criatividade para quebrar o ferrolho do adversário.

Vai ser difícil Zé Ricardo armar o time nesses moldes, tendo à disposição tantos jogadores capazes de controlar e decidirem uma partida. O Flamengo tem sua vocação própria de trocar muitos passes, ser ofensivo, agredir o adversário.

Renato Gaúcho, em coletiva após a partida, confessou que teve que jogar feio para ganhar na Ilha do Urubu, pois, "se jogasse de igual para igual, não teria chance e levaria uma lavada". É o que os analistas chamem de futebol orgânico, se adaptando a cada realidade apresentada.

Agora, o que incomoda pra valer é o Flamengo, desde o ano passado, não vencer partidas importantes, contra os grandes, em confronto direto. O desempenho da equipe contra os principais colocados é bem ruim. E na sequência virá nada mais nada menos do que Cruzeiro, Palmeiras e Corinthians.


**********************


Nem no começo do jogo o Rubro Negro conseguiu pressionar o adversário aproveitando o estádio lotado. O Grêmio soube controlar a euforia e tratou de baixar a temperatura com muitas faltas em cima do Diego.

Foi exatamente assim contra o São Paulo e contra o Vasco. Nestes jogos a individualidade resolveu: contra o tricolor, no finalzinho do primeiro tempo para tirar a equipe do marasmo. Contra o cruzmaltino no segundo tempo.

O problema é que desta vez o adversário acertou primeiro. E, na única jogada individual, contando com falha de marcação bizarra da defesa, especialmente do Márcio Araújo, Luan abriu o placar. Um chute que não foi nem no canto e nem tão forte que não dava pro Thiago agarrar.

O Flamengo seguia seu futebol morno, errando muitos passes e o ataque muito espaçado. Só a partir dos 37 minutos com a aproximação de Cuellar o time conseguiu se agrupar mais e criar algumas chances: finalização do colombiano e de Éverton, que parou na trave.

A volta do segundo tempo foi bem melhor, em que pese as péssimas atuações do Diego e do Éverton Ribeiro, que erraram simplesmente tudo. Mesmo assim a equipe teve algumas boas chances. Porém todas finalizadas no meio do gol, nas mãos do goleiro.

Zé Ricardo acertou ao tirar o Márcio Araújo e escalar Geuvânio. O empate parecia iminente. Em raro cruzamento certo - como o Flamengo utiliza mal as bolas paradas, Vaz cabeceou para grande e única defesa do arqueiro gremista.

O treinador viu um banco de reservas recheado e se lambuzou. Fez substituições bizarras: Mancuello e Vizeu entraram nos lugares de Cuellar e Trauco. E o Éverton, que vinha sendo o mais perigoso, ficou na lateral.

Enquanto isso, Diego e Éverton Ribeiro não conseguiam acertar uma única jogada. E o treinador não teve coragem de tirá-los.

Com as trocas aos 30 minutos o time se desmanchou e correu risco muito mais de sofrer o gol do que chance de empatar.

Berrío, que vinha com uma boa sequência de atuações, foi simplesmente ignorado. Éderson nem é lembrado mais. E Conca ninguém sabe do que é capaz.

Sem Guerrero, a bola não parou no ataque. Damião não tem característica de fazer o papel de pivô, jogada tão importante para o Flamengo atual que ainda não ataca de forma agrupada e depende to talento individual para chegar ao gol.

Não dá nem para lamentar muito, pois domingo já tem outro jogo duro. Que pelo menos contará com a volta do peruano. É praticamente impossível que Éverton Ribeiro e Diego façam novamente uma partida ruim como a de ontem.

8 comentários:

João Paulo disse...

Desde o ano passado que eu disse que o Flamengo perdeu o campeonato porque fez o primeiro terço dele com aproveitamento de time da segunda metade da tabela, depois, e, assim como nesse ano não dá pra recuperar.
Turno e returno tem que jogar a 1ª, 2ª, 3º rodada como se fosse a 36ª, 37ª, 38ª.
Outro enfoque interessante, é que o Corinthians terminou a penúltima rodada jogando no sábado à noite. Segunda feira, o elenco inteiro se reapresentou no CT às 9hs para treinamento normal e em tempo integral.
O Flamengo que também jogou no sábado, se reapresentou na segunda às 14hs, treinou 2 horas e isso só pra quem não participou integralmente do jogo no sábado. Será que isso faz diferença? Pelo menos a classificação diz que sim.
Eu sempre digo que a diferença do Flamengo pro Palmeiras é que o último ganhou recentemente a Copa do Brasil e o Brasileiro, no entanto, ambos empilham contratações e desperdícios.
Hoje é 14/07/17 e os dois campeonatos mais importantes da temporada já se foram pro Mengão.
Enquanto o Bandeira e Caetano estiverem lá, será sempre assim, alguém acha que 2018 vai ser diferente?

Barreto disse...

Me impressiona como os times que mais investiram apresentam tão poucas soluçoes em campo. O Fla é um deles. Temos ainda limitaçoes no elenco. Marcio Araujo, Damião e Rafael Vaz não podem jogar no Flamengo atual.alem disso, os volantes do Fla tambem são fracos ou medianos.

Anônimo disse...

E quem escala o Márcio Araújo e o Damião???? Zé Ricardo, que ainda faz substituições desesperadas e que geralmente pioram o time ao invés de melhorar, precisamos de técnico, urgente. Fora Márcio Araújo caneta, fora zé Ricardo que escala Márcio Araújo.

Ruy Moura disse...

E não fui eu quem fiz o comentário anônimo. A voz do povo é a voz de Deus. E Deus é rubro negro.

Ruy Moura disse...

O técnico até surpreendeu ao deixar o time super ofensivo no final da partida, com Diego e Mancuello mais recuados, como volantes e ER7, Geuvanio, Damião e Vizeu mais adiantados. Melhor teria feito se pusesse o Berrio ao invés do Vizeu,

Barreto disse...

Torcedor é igual em qualquer lugar. No Palmeiras a torcida queria a mudança de treinador no meio da temporada. Houve a mudança com a chegada do Cuca e o time piorou. No ultimo jogo depois das substituiçōes o Cuca já foi chamado de burro e hoje houve protesto no CT. Torcedor por naureza é pouco racional, todavia não tem obrigação de ser diferente.

Ruy Moura disse...

Passional ou racional como este ilustre torcedor especializado o problema é que o investimento feito não justifica o futebol apresentado. O Flamengo pela camisa e agora pelo investimento (com Diego Alves, Réver, Rodholfo, Trauco, Diego Ribas, Éverton Ribeiro, Paulo Guerrero) tem obrigação de brigar pelo título. Falta comando técnico!

Joanilson Silva disse...

Vc esqueceu de citar os cracks MA, Vaz e Gabriel q sempre estão jogando e parecem ajudar muito no desenvolvimento do time, pode se destacar a linha evolutiva do time em 1 ano.