terça-feira, 15 de novembro de 2016

Basquete brasileiro sofre sua maior vergonha. Flamengo e Bauru estão fora da Liga das Américas

A Federação Internacional de Basquete suspendeu a Confederação Brasileira de Basquete das competições internacionais. Se não bastasse, a punição se estendeu aos clubes. Neste sentido, Flamengo e Bauru estão fora da Liga das Américas e o Mogi, finalista da Sul-Americana, também, mesmo que vença esta competição.

Eis os motivos para a punição da CBB pela FIBA:

- O não envio de seleções de base para os campeonatos mundiais;
- A perda total do controle de gestão da Confederação pelo esporte no país;
- A participação de terceiros no financiamento de atividades da seleção nacional;
- Dívidas da CBB com a FIBA e a perda da capacidade financeira para investimento do esporte no país; e
- A inexistência de um plano de reformas ou de reestruturação antes da eleição.

Três meses após o maior evento que o Brasil já vivenciou, vem uma pancada forte e justa sobre a patética atuação da CBB. Os inúmeros vexames das seleções não foram o bastante para uma mudança brusca na gestão da Confederação - precisou uma reação internacional para tentar corrigir os flagrantes erros da condução do esporte aqui no Brasil.

A CBB se diz 'surpresa com a decisão". Os clubes afirmam que não podem pagar pelos erros da Confederação, até porque já existe uma Liga Nacional que organiza o campeonato entre clubes.

O problema é que ninguém fez nada: desde jogadores, ex-atletas, clubes, entidades, ninguém fez absolutamente nada para impedir este episódio, que mancha profundamente o basquete brasileiro.

O próprio governo brasileiro não interveio na gestão do CBB. Se não de forma direta, pelo menos indiretamente. Pelo contrário: abasteceu a Confederação com dinheiro público, oriundo do Ministério do Esporte, mesmo apresentando sucessivos déficits.

Denunciamos este fato aqui - sem falsa modéstia, uma das melhores postagens do Ninho: Ministério do Esporte não habilita três projetos do Flamengo (cabe recurso), mas aprova 11 da CBB que simplesmente deve INSS

Segue trecho:  "O Ministério do Esporte já injetou R$ 14,8 milhões no ano passado, sendo que pelo quinto ano consecutivo a Confederação apresenta déficit em suas contas, devendo ainda R$ 1,9 milhões em INSS atrasados, se fossem exigidas as Certidões Negativas não conseguiriam, apresentando um balanço financeiro que foi auditado e classificado com "evidências de riscos na continuidade normal das atividades da entidade", além da falta de transparência e de notas explicativas (Informações do blog do próprio Fábio Balassiano). Mesmo assim, diante de tantos exemplos do mau uso dos recursos públicos, a secretaria de esporte de alto rendimento aprovou nada mais nada menos do que 11 projetos. É o fim da picada".

O Flamengo e a Liga Nacional de Basquete divulgaram nota afirmando que vão tentar recorrer da decisão da FIBA de proibir a participação dos clubes brasileiros na Liga das Américas.

A CBB será reavaliada pela FIBA em 28 de janeiro, entretanto, a Liga das Américas começa no dia 20 de janeiro, o que, se nada extraordinário acontecer até lá, inviabilizará a participação dos clubes na competição.

Se a não-participação de Flamengo e Bauru e, porventura do Mogi - se ganhar a Liga Sul-Americana, na maior competição entre clubes das Américas for concretizada, não resta outra coisa, em um primeiro momento, processar a CBB pelos prejuízos financeiros e esportivos.

3 comentários:

Joanilson Silva disse...

Alguém achou alguma linha do Guilherme ala-pivô do Brasília sobre essa punição sofrida pelo basquete brasileiro? Ele é uma vergonha, como tbm tenho vergonha de um dia ter pensado nesse cara para jogar no Flamengo. Foi vergonhosa a atitude dele ano passado quando Brasília venceu a sul-americana e ele de alta risadas d conversinhas ao pé do ouvido com o atual presidente da CBB e o anterior, pessoas q só buscaram o benefício próprio e colocando o basquete pra escanteio.

Marcelo disse...

Cara, eu nem sabia que existia essa tal de CBB, Confederação Nacional de Basquete??? Essa porra faz o que, afinal???

Quem administra o Basquete Brasileiro há nove anos é a LNB, Liga Nacional de Basquete. É essa que nos interessa. Essa que é relevante!

Pelo fim da República Velha no esporte Brasileiro definitivamente!!!

Barreto disse...

Acrescentando um pouco mais à minha informação do dia 13. O atleta que sera contratado será um pivô estrangeiro e vira somente para janeiro.