terça-feira, 8 de dezembro de 2015

Eduardo Bandeira de Mello é reeleito presidente do Flamengo


As pesquisas sérias já desenhavam uma vitória larga do atual presidente Rubro Negro. As parciais da boca de urna durante todo o dia referendavam a intenção de voto na chapa azul. E a abertura dos três malotes de cédulas confirmou a superioridade do Eduardo Bandeira de Mello neste pleito.

Ao contrário da tensa eleição passada, o Flamengo viveu uma segunda-feira eleitoral tranquila. Houve um clima de grande respeito entre os simpatizantes das chapas, que montaram três tendas na rua principal que dá acesso ao ginásio Hélio Maurício, local da votação e recepcionavam os eleitores.

Fui um dos 2753 votantes, de um colégio eleitoral com quase sete mil sócios. Um pouco acima dos
2.675 eleitores da eleição passada. O que representa em votos válidos: 59,8% para a chapa azul, 30,6% para a chapa verde e 9,5% para a chapa branca.

Patrícia Amorim obteve expressivos 914 votos na eleição passada, desta vez, entretanto, Cacau Cotta conseguiu apenas 259 votos. Significa uma redução drástica de votos para candidatos que não alinham à modernidade de uma gestão profissional.

Lendo alguns posts da eleição passada, o foco naquele pleito era a reestruturação financeira, ética, moral do clube, a sustentabilidade dos esportes olímpicos, a estruturação do clube social, a volta de patrocínios ao Manto e praticamente nada era dito ou prometido sobre futebol -  vejam a quantidade de problemas que o clube vivia à época, desta vez não, o tema principal foi o futebol, aquilo que é  a razão de viver do Flamengo.

O próximo treinador, inclusive, virou trunfo eleitoral, e foi neste ponto o tiro no pé da chapa verde que sacramentou sua derrota.

Muricy Ramalho foi anunciado ontem pelo presidente reeleito e será o próximo treinador. Não tem perfil de ser uma solução paliativa, mas de trabalhar à longo prazo, como se esperava do Mano Menezes. Sempre formou equipes vencedoras e fortes, é preciso saber agora o que evoluiu taticamente neste ano que ficou afastado do futebol.

Pela primeira vez o Flamengo começará um ano com um técnico diferente e de qualidade, e não preso ao passado de arrancadas e atuações enganadoras. Fale-se muito em contratações usando métodos científicos, construção definitiva do CT e o uso da EXOS para melhorar a performance dos atletas.

Mas, a meu ver, um dos pontos que precisa ficar claro é entender o papel de Rodrigo Caetano no futebol: é bom para negociações, acho que fez um bom trabalho contratando Guerrero, Émerson, Éderson, Allan Patrick e Kayke, mas que caíram na máquina de moer bons jogadores, já escrevi por aqui.

Entretanto, Rodrigo Caetano é fraco na cobrança do vestiário, no dia a dia dos jogadores e na intermediação entre jogadores e diretoria. Não tem perfil nenhum para fazer esse papel, que precisa ser de um gerente de futebol contratado exclusivamente para essa função. É um dos pontos primordial para o sucesso do próximo triênio.

Bandeira e sua chapa não têm mais o direito de errar. O foco, a concentração de todo trabalho, será no futebol, que começará do zero, visto que será preciso montar uma comissão técnica literalmente inteira, porque vários profissionais vão para a China acompanhando o Luxemburgo. E nem precisa pensar muito para radicalizar na revolução no futebol: foram 19 derrotas em 38 partidas. Um turno inteiro de fracasso.

7 comentários:

Joanilson Silva disse...

Andre,

É verdade nada foi prometido em termos de futebol, mas pelas contratações e o valor investido, e com a possivel base q sobra para esse ano, nem vou falar dos resultados em campo o trabalho foi MUITOOOOOOOOOO RUIM.

Não quero q fiquem vendendo q esse ano será do futebol, pois não é necessario e alem de tudo é vergonhoso, pois esse ano foi do futebol, gastaram muita grana, sei q a galera agora pensa em melhorar as financias, mas o discurso não combina com o q foi feito.

Pelo visto Sheik, Para e Wallace serão mantidos no time e pelas contratações ventiladas não vejo um ganho real de qualidade, espero q esse EXOS seja o top dos top's, pois fazer um time campeão com a manutenção de alguns jogadores é complicado.

Entendo q o Rodrigo nunca deveria ter feito esse meio de campo e ate agora ñ vejo mudança nesse cenário.

Vamos torcer né.....

André Amaral disse...

Joanilson, o sentido desse trecho, comparando os focos das campanhas políticas de 2012 e 2015, não foi dizer que nada foi prometido, mas que foi grande a diferença de intensidade nos temas.

Na eleição passada tivemos vários assuntos além do futebol e diversos problemas para resolver, nesta nós tivemos alguns assuntos paralelos, como a arena na Gávea, mas o mote central foi o futebol, tanto que tivemos a guerra dos técnicos.

Também não disse que gastamos pouco, pelo contrário. Investimos muito e o retorno foi pífio. O que encaixa naquele post que fiz sobre o Flamengo ser uma máquina de moer de bons jogadores.

Se falasse lá em janeiro de 2015 que teríamos Guerrero e Cirino no ataque todos ficaríamos esperançosos de títulos. E hoje temos o que? o Cirino que desde a contusão não voltou a ser o que era e o Guerrero que parece mal fisicamente.

Gastamos sim, não comparado com Corinthians, Palmeiras, SP e Atlético-MG, mesmo assim não é um elenco fraco, mas a falta de preparo físico, falta de comando (Biscotto é uma piada) e técnicos fracos rebaixaram demais a qualidade técnica da equipe.

DAVID disse...

Excelente texto. Fui colaborador da chapa azul na 1ª eleição e de um tempo para cá fiquei em dúvida em quem apoiar nessa eleição (azul ou verde). Gosto do jeito ponderado e educado do Bandeira, gosto do jeito que trataram administração dos problemas como um todo mas o futebol me desagradou por completo, achei esse ano até vexatório.Os dois primeiros anos tivemos times mais modestos, mas esse ano o elenco era de razoável pra bom e com muitos nomes que seriam titulares em grande parte dos grandes times brasileiros, tínhamos um banco de reservas que realmente poderia se sudado e tivemos uma campanha pífia inclusive com jogadores descompromissados e desinteressados. Jogar no Flamengo tem que ser motivo de orgulho. Por tudo isso mesmo tendo dois amigos de infância na linha de frente da chapa azul fiquei bastante em duvida do que fazer. Não gosto do Wallin, acho que ela usa mal as palavras mas acho o perfil do Bap mais "agressivo" interessante. Bem, está escolhido e vamos ver o que acontece e dessa vez sem desculpas. De ótimo apenas a certeza que aquela linha antiga amadora (Cacau Cotta) acabou pra sempre no Flamengo.

Edu Fla Sempre disse...

Seja bem vindo Muricy Ramalho!!!!

Eu leio as pessoas escrevendo que esperam que o Muricy tenha se reciclado, evoluído, coisa e tal...

Se ele for o mesmo que ganhou três brasileiros com o São Paulo e mais um brasileiro com o Fluminense, tá ótimo!!!!

A coisa mais inteligente que o Muricy pode fazer é ignorar a imprensa.

No início desse ano a imprensa toda dizia que o Tite era o mesmo treinador de antes, de times que se defendem e não atacam. O final da história todos sabemos.

Que o Muricy acredite nas próprias convicções e faça o que acha que é o certo, que fique com os jogadores em que confia, acredita! E que traga para o Flamengo jogadores que ele conhece e gosta de trabalhar!

Feliz Natal para todos!!!!

Joanilson Silva disse...

Andre,

Não sei como vc interpretou minhas palavras, mas achei muito bom seu texto, so fiz um desabafo de tudo q vi esse ano e de toda a palhaçada q foi essa eleição.

O principal da diretoria é colocar as finanças em ordem e fez isso, cumprindo uma obrigação q é pagar imposto, vou so nesse detalhe, mas foram feitas muitas outras coisas.

O problema é q se gastou muito dinheiro esse ano no time de futebol q não deu a minima liga e pra mim isso é um fiasco e prova cabal de erro de investimento o q joga por terra essa ladainha de sempre estamos organizando as finanças, erram e erram feio e não gosto das desculpazinhas.

André Amaral disse...

Estamos de acordo, Joanilson..rs

Abs,

Gustavo disse...

Bem vindo Muricy! Gostei da entrevista! Um ótimo trabalho pra você!