quarta-feira, 25 de novembro de 2015

O alvo da vez: Edgardo Bauza. Um ótimo estilo para comandar o Flamengo


Na contratação de um treinador estrangeiro o risco é sempre grande de procurar mais uma grife do que alguém que se encaixe na realidade desejada pelo clube.

Edgardo Bauza é a bola da vez para dirigir o Flamengo. O argentino tem contrato com o San Lorenzo até o final do ano e não renovará.

Não sei qual o perfil que a diretoria Rubro Negra traçou como modelo, mas sei que os atributos do Bauza me agradam demais e encaixam exatamente na fase vivida pelo Flamengo.

Se não vejamos:

Linkei mais cedo no twitter um ótimo post do Joza Novalis, repórter esportivo, estudioso do futebol argentino.

Bauza é bicampeão da Libertadores: LDU em 2008 na final contra o Fluminense e agora com o San Lorenzo. Mas nem é isso que me encantou mais.

O clube argentino vivia uma grave crise financeira. Eis que Matías Lammnes é eleito presidente e, ao lado do empresário Marcelo Tinelli inicia uma gestão financeira milagrosa e que salvaria o clube que se encontrava à beira da falência.

"Soluções foram apresentadas para todos os problemas, inclusive o da montagem de um time competitivo. Embora ótimos atletas chegassem, nenhum técnico dava certo. Pelo cargo passaram sete treinadores de peso, entre eles: Simeone, Turco Asad, Miguel Ángel Tojo".

Quando finalmente apareceu um treinador que encaixou a equipe, Juan Antônio Pizzi aceitou uma proposta do Valência e foi embora.

Contrataram na sequência o Bauza e este, desde o primeiro instante, recebeu carta branca para impor seu estilo de jogo rigoroso e reflexivo.

O começo foi complicado, os jogadores não entendiam que, por exemplo, um atacante antes de atacar precisava defender. E teve início focos de insatisfação, liderado pelo craque Romagnoli, mas que logo foram abafados pelo técnico:

"Deseja ir embora? Tudo bem, está vendo aquele ônibus estacionado ali? Pois bem, veio para cá apenas para levá-lo para Buenos Aires". Esbravejou o Bauza para Romagnoli em pleno gramado. O treinador já havia previsto essa rebelião e se preparado para ela.

Impressiona também a declaração do jogador Villalba: "Bauza modificou completamente minha cabeça e a maneira de ver as coisas dentro de campo". Neste sentido, encaixa perfeitamente com a mudança de mentalidade e comportamento proposto pela EXOS - um vai atuar dentro de campo e o outro fora.

Seguem o ótimos trechos da matéria:





Conversei depois com o autor do texto, que afirmou que: "seus times não ganham de goleada. Na maioria das vezes um ou dois gols. A vantagem é que não toma gol".

Questionei ao jornalista se os poucos gols devem ser levados em consideração a qualidade técnica dos atacantes das equipes dirigidas pelo Bauza ou porque os homens de frente se preocupam mais em recompor a defesa. Ele respondeu que recomposição dos atacantes é lei para o argentino e quando suas equipes tinham bons atacantes, faziam gols, quando não, faziam o necessário.

E ainda que "em geral, Bauza é o tipo de técnico que sabe entender o momento ruim de um Guerrero, por exemplo. Neste sentido, o Flamengo ganharia".

Disse a ele que, a meu ver, o principal objetivo do time é se reorganizar taticamente, defender de forma compacta e que o ataque seria consequência disso tudo. O jornalista respondeu que, neste caso, será difícil encontrar um treinador melhor do que o Bauza.

É claramente um Tite no começo do Corinthians, ou como era rotulado: "empatite". Essa fase artilheira da equipe paulista é uma novidade do treinador, que estudou fortemente no ano sabático que tirou. Somou-se à defesa forte, compactação defensiva e ataque em bloco. Ninguém joga assim no futebol brasileiro.

Em outro post sobre o técnico argentino, o jornalista Joza Novalis descreve-o como um dos poucos estudiosos do futebol "um maluco que entende de tudo":


O mais importante mesmo, se ele vier, será superar o momento inicial de adaptação e os possíveis resultados ruins e acreditar no trabalho. Se chegar mesmo, me parece uma ótima escolha.

10 comentários:

Diogo Henrique disse...

Orgulho da mídia rubro-negra! André, que matéria espetacular, cara. Obrigado por me fazer acreditar com mais veemência que não errei em meu post de hoje cedo no MRN, cara.

@DidaZico

Diogo Henrique disse...

Orgulho da mídia rubro-negra! André, que matéria espetacular, cara. Obrigado por me fazer acreditar com mais veemência que não errei em meu post de hoje cedo no MRN, cara.

@DidaZico

Gustavo Lemos disse...

O grande complicador para Bauza será a própria torcida; pois esta foi sacrificada também nos últimos 3 anos; e nao tera a paciencia suficiente para perdoar qualquer serie negativa que venha.

Anônimo disse...

#SRN
André, parabéns pela postagem, muito boa mesmo.
Estou com o nosso amigo Gustavo qdo diz que a torcida talvez não tenha a paciência que o técnico vai precisar, porém, vou mais além. todos sabem como é a política no Flamengo e como muitos sangue sugas ficam apenas esperando uma oportunidade para criticar e aparecer ao invés de apoiar.
A diretoria teria que dar carta branca ao técnico e deixa-loa agir a vontade, tivemos um bom exemplo com o Osório no São Paulo e o Aguirres no Inter.
Mas o que mais preocupa são os jogadores que temos hoje no elenco, se a turma da Stella não zarpar na barca, eles não vão deixar o técnico em paz, e já vimos muitos times derrubar técnico, mas não me recordo de nenhum técnico derrubar um time inteiro sem o apoio da diretoria. Nesse caso ela teria que jogar a favor do Flamengo e do técnico e acreditar no trabalho e não a favor da torcida e mudar em 3 meses de técnico, e a essa diretoria não tem fama de manter técnico, temos que levar isso em consideração.
Mas acredito que um técnico assim estilo Bauza ou Muricy é justamente o que o Flamengo precisa, nada de passar a mão na cabeça desses comes e bebes, eles ganham muita grana pra jogar o que jogaram e agir como agiram, com exceções de poucos, a maioria já vai tarde.

Anônimo disse...

Parabéns pela matéria, André!

Joanilson Silva disse...

A materia é excelente, bem fundamentada e bem explicada.

Não sei se um treinador com força de defesa possa dar certo no Flamengo, mas é aquilo eu não gosto, mas alguma coisa séria precisa ser tentada nesse Clube.

Acho q temos bons atacantes e com um time equilibrado o Guerrero vai dar certo, pois sabe jogar bola.

DAVID disse...

Já nasceu morto no seguinte quesito "carta branca da diretoria". No Flamengo ? Prefiro acreditar no curupira ou saci.

Barreto disse...

André,

Você pode estranhar este meu comentário sobre futebol. Afinal só compareço no blog para falar de basquete, meu esporte preferido, muito embora goste também muito de futebol. O futebol Flamengo há muito tempo me afastou dos estádios e me tirou o interesse de acompanhar o nosso querido clube neste esporte. A falta de gestão principalmente foi o carro chefe na decadência do Flamengo no esporte bretão.Quando vejo idéias novas como a contatação da EXOS e a possibilidade de escolhermos um treinador inventivo e que atenda ao que o flamengo precisa para levá-lo ao sucesso, não levando em consideração se o profissional é ou não de Grife. Está na hora de sairmos da mesmice no futebol. Este é o motivo principal do meu comparecimento aqui no blog para falar de futebol.. Depois de muito tempo parece que começo a ter alguma esperança que as coisas irão mudar.
Só um daqueles que considera, no momento, indispensável a contratação de um técnico estrangeiro para o futebol do Flamengo. Não acho que será possível levar adiante estas idéias e implantá-las com um técnico com idéias quase totalmente empíricas como MURICY. Cabe ao Flamengo ser também, agora, revolucionário no futebol , como tem sido na gestão financeira em curso, e bancar um treinador que tenha linha de atuação similar a do Bauza, custe o que custar.
Parabéns André pela excelente matéria.

Anônimo disse...

Concordo com o Barreto. No entanto, acredito que o tecnico acabara sendo o Muricy, o que será um grande erro. No meio do ano será demitido. Desde quando tomou de 4 do Barcelona o Muricy mudou seu estilo e tem tentado montar times mais ofensivos. O problema é que montar times ofensivos, modernos, demanda uma série de detalhes como a linha de defesa mais alta, a pressão na saída de bola, o cuidado com a posse, zagueiros rápidos. Futebol moderno também implica sair jogando de forma tecnica, sem chutoes. Não acredito que o Muricy possa simplesmente mudar seu estilo e aprender uma nova filosofia de futebol a essa altura. Vai acabar acontecendo o que vimos no São Paulo: um time ofensivo, com muita posse de bola, mas sem penetração (não tem mais o Muricy bal), sem compactação e frágil defensivamente. Como não temos um elenco recheado de talentos (e não teremos em 2016), precisamos de um técnico moderno, que arme a equipe de forma compacta. Tem que ser estrangeiro, já que o Tite é inviável.

SRN! Anderson

Ruy Moura disse...

O Flamengo tem de investir pesado no futebol para ficar na liderança e obter retorno financeiro como consequência. Time fraco como o desse ano só faz aumentar o deficit técnico e financeiro. Por isso tudo deve vir mais de meio time de bons jogadores e não investir alto em medalhões que estão em final de carreira. Tomara que Muricy Ramalho possa escolher grandes jogadores. Os nomes ventilados de Walter goleiro, Pikachu, Rodinei, Juan velho, Chiquinho, Arao não são nada animadores, em princípio. SRN