terça-feira, 20 de outubro de 2015

Flamengo lança nesta terça-feira a terceira edição do Anjo da Guarda Rubro Negra


Será apresentado nesta terça-feira, às 11h, no auditório Rogério Steinberg, na Gávea, a terceira edição do Anjo da Guarda Rubro Negro.

Serão três projetos disponíveis para doação: “Esportes Terrestres”, “Esportes Aquáticos” e “Remo e Canoagem”.

Estarão presentes o presidente Eduardo Bandeira, Marcelo Vido, diretor de esportes olímpicos, e Alexandre Póvoa, vice-presidente de esportes olímpicos e atletas que se beneficiaram desse importante projeto do Flamengo.

Na primeira edição foram 822 participantes, totalizando R$ 1,2 milhão. Em 2014 esse número caiu: tivemos 736 participantes arrecadando R$ 1,1 milhão.

O Flamengo conquistou a independência dos esportes olímpicos neste ano, mais precisamente em 04 de março de 2015. Hoje futebol banca futebol e esporte olímpico banca esporte olímpico. Hoje, todos os esportes são autossustentáveis.

O clube dá mais um passo para continuar reerguendo uma das páginas mais brilhantes da história Rubro Negra, que é sua história olímpica, de tantos ídolos que já passaram pela Gávea.

Mesmo com o clube envolto em campanha política, é importante que todos aqueles sedizentes "Flamengo em primeiro lugar" contribuam, pois poderão, no ano que vem, assumir e colher os fritos do Anjo da Guarda.



*******************


É direito de cada um não querer fazer parte de uma gestão que não te representa mais, entretanto é louvável a postura do vice-presidente Alexandre Póvoa que, diante de todo cenário apresentado, continua firme e forte, não pelo Eduardo Bandeira, mas pelo Flamengo.

9 comentários:

Anônimo disse...

os valore são em mil ou milhão?

Hernandes disse...

Milhão, né.

Joanilson Silva disse...

Viram a reportagem no UOL sobre o pedido de impugnação da candidatura do Bandeira?!!!
Realmente não tem como ser socio-torcedor do Flamengo, o melhor é torcer de casa e mesmo assim quando não tiver nada melhor para fazer, pois todos, realmente todos estão unicamente preocupados com os seus e nada pelo Flamengo, ñ duvido q o Bandeira esteja tentando dar credencias para socios q acabam se vendendo por pouco, para ver os jogos, mas não justifica a postura do Wallim e nem do "Dr" q fez a solicitação.
Todos estão mais preocupados em meter a mão na grana, talvez ñ seja para roubar como foram em outras epocas, mas é a chance de ter o poder acima de tudo, falar "EU GANHEI", pois os discursos são esses sempre é EU FIZ, NÓS FIZEMOS e nunca é o Flamengo na primeira pessoa q entendo ser a razão do TODO.

Hernandes disse...

Joanilson, eu não li a reportagem. Não frequento o clube, mas gostaria de fazer alguns comentários. Acompanho de longe, pelas entrevistas e notícias.

Esse Wallim e esse ex de Marketing Bap me parecem muito arrogantes. O Flamengo é muito grande, o futebol mexe com muitas paixões, envolve muitas suscetibilidades. Uma decisão de bastidores pode prejudicar qualquer clube grande, ou pequeno, que seja. Por isso, o presidente do Flamengo tem que ter flexibilidade e saber quando ser firme. Tem que ser um homem ponderado e saber engolir essas malas que querem o atraso do nosso futebol.

O Flamengo e o Fluminense são dois gigantes. A Ferj é uma pulga. Um elefante como o Flamengo ou Fluminense não brigam com uma pulga. Os elefantes simplesmente caminham para frente. Se a pulga quiser ficar na frente vai ser esmagada, natural.

O futebol precisa de clubes, de jogadores, de bola e de árbitros. O futebol não precisa de "federações regionais" cujo presidente é eleito por associações, pessoas que nada têm a ver com o futebol e que inusitadamente definem como Flamengo, Fluminense, Vasco e Botafogo vão agir. Isso é ridículo em pleno século XXI.

Pelo menos já sabemos quem é o dinossauro que defende essa estrutura que desvia dinheiro dos clubes ( onde é gasto esse dinheiro? A Ferj declara para todos onde ele é gasto? ) e é ineficaz. Quem defende essa estrutura é o deputado Otávio Leite. Carinha de anjo, cabeça de ultrapassado. Coitado.

Na verdade, essa diretoria, com esses acima incluindo, se acha muito capaz, mas é arrogante e tem feito papel de "boba". Nesses três últimos anos contratou vários bons jogadores, fez o máximo de esforço para pagá-los em dia, mas o time não rende, sequer tem raça. O time se manteve razoável com ajuda de fora, da torcida.

Qual o problema? Os jogadores são mau caráter? Longe disso. Conforme falei ontem, esses dirigentes ( Wallim, foi diretor de futebol ) é que não sabem falar a linguagem dos jogadores. Devem ser arrogantes na hora de falar com eles. Então, contratem alguém que os jogadores gostem e que rendam em campo. Ninguém tem que ser bom em tudo.

Para mim, Cacau "não é show", Wallim é remédio para dor de cabeça e o que nos sobra como melhor opção é Eduardo Bandeira.

Abraços.

Joanilson Silva disse...

Hernandes,

Concordo com vc em muitas coisas, essa arrogancia do Wallim é pessimo, não adianta ficar arrumando briga com ninguem, tem q ser politico e saber trazer as coisas para o seu lado, mas tbm não acho q o Bandeira saiba fazer esse joguinho q entendo ser muito nojento, então o q é um merito do Bandeira acaba sendo um problema.
O Cacau ñ esta preparado se vc ver as respostas dele para o Mundo Rubro Negro verá q vive um outro mundo ou melhor aquele mundo q o Flamengo viveu.
Acho q o Flamengo precisa de um capitão um cara q jogue no meio de campo e seja o lider do time, não falo em um excelente jogador, mas alguem q consiga cobrar esse time durante o jogo.
Penso tbm q poderiamos ter alguem ligado ao Caetano q fizesse esse meio de campo com os jogadores, q falasse a mesma lingua q eles, q fosse do meio.
Perfeito o q vc falou e entendo q minhas ponderações tbm foram construtivas, mas nada tira a SUJEIRA q é essa administração do Clube, Bandeira tentando comprar votos e Wallim maximizando situações, todos pensando somente em si proprio, infelizmente não renovarei meu ST. Deixar de torcer pelo FLamengo, isso é impossivel, ninguem deixa de amar um clube como o Flamengo, vou acompanhar, mas não me vejo mais correndo atras com afinco.

Hernandes disse...

Joanilson, belos comentários.

Sobre o Bandeira e o presidente do Fluminense, acho que os dois estão agindo de maneira arrogante, deixando a coisa rolar. Você não pode simplesmente ignorar a Ferj, pois ela existe e vai fazer de tudo para sobreviver.

Os clubes não podem não comparecer a nenhuma assembleia, não ir às reuniões, não mandar nenhum representante e esperar que do nada as coisas se resolvam.

Não entendo como Flamengo, Fluminense, Vasco e Botafogo aceitam esse esquema de coisas, um campeonato estadual com 16 clubes ( aqui no RJ? O campeonato brasileiro tem 20 clubes!!! ) e aceitam que 10% da renda bruta de seus jogos no campeonato organizado pela CBF entre nos cofres da Ferj. Quem teve essa ideia delirante? E que dirigentes loucos dos nossos quatro grande clubes aceitaram e por que aceitam essa aberração? Não estão precisando de dinheiro? E a Ferj coloca no seu site de maneira clara e objetiva cada entrada desse dinheiro e aonde ele é gasto?

Aqui na Brasil a gente ainda vive a época de colônia. Alguns poucos ainda mantém privilégios arcaicos que sobrecarregam muitos que poderiam utilizar esses recursos de maneira mais útil para todos.

André Amaral disse...

Hernandes

Quem em sã consciência aprovaria um absurdo desse?

Essa história de "Flamengo e Fluminense não compareceram ao arbitral, logo não podem reclamar" é história da carochinha.

Já foi reivindicado que os custos da Federação fossem para 5%, a divulgação do balancete trimestral da instituição auditado, a negociação direta dos contratos com a televisão, percentual da receita de patrocínio e placas de publicidade divididos, Estadual começando em fevereiro com 15 datas, dentre outros e nada foi acatado.

Porque não foi? Porque mesmo que os quatro grandes se unissem, os quatro que movem o Estadual, não seriam suficientes para mudar nada, absolutamente nada na disputa do Estadual.

Nas eleições para a FERJ no ano passado, Fla, Flu e Vasco, 3/4 da força do futebol carioca unidos, representaram apenas 18 votos num universo de 264.

Sem falar da truculência nessas reuniões, da agressão ao Bandeira. Quando eles costumam levar uma pauta definida e a aprovação é feita à base do "quem aprova permanece como está".

http://ninhodanacao.blogspot.com.br/2014/03/flamengo-lidera-movimento-e-votara.html

Joanilson Silva disse...

Perfeito Andre.

Hernandes o detalhe é q os demais aceitam aprovar isso mesmo prejudicando os times, pois vão receber outras vantagens o presidente do vice da gama aceita aprovar isso ñ pq vão ajudar o time dele a ganhar o campeonato, isso pra ele é secundario, as vantagens são so valores q irão receber por fora, vantagem de comprar apartamento barato, não pagar cartão de credito, so começando pelas coisas simples.

Ninguem pensa nos clubes e em nos torcedores q amam as agremiações, é esse o mesmo caso das eleições do Flamengo esse ano, cada um pensando no seu o Clube de Regatas do Flamengo é relegado a quando muito a segunda prioridade... Como ja vimos, quantos presidentes do Flamengo tiveram cargos politicos ou ainda tem? Marcos Braz é secretario no RJ....

Hernandes disse...

Então, quem manda no futebol do Rio de janeiro não são Flamengo, Fluminense, Vasco e Botafogo. Nem Bangu, Cabofriense, Volta Redonda, América etc.

Quem manda são associações, entidades que ninguém conhece. Que coisa incrível.

Hoje é mesmo 23 de outubro de 2015? Temos acesso amplo à informação?

Acho que ainda estamos no período colonial.

Sabem quando as pessoas, dirigentes, vão mudar o futebol?

Quando elas realmente amarem o futebol ( e não mais "mamarem" do futebol).

Abraços.