sexta-feira, 16 de março de 2012

Libertadores 2012: Flamengo 3 x 3 Olímpia


Mais um jogo daqueles onde você demora a dormir, demora a entender o que aconteceu. O fato é que ficha até agora não caiu. Era um time ganhando de 3 x 0, bem na marcação e sem deixar o adversário ver a cor da bola. De repente, tudo desmorona com um gol, e o dolorido empate chega aos 43 minutos. É muito cruel.

O primeiro tempo foi bem ruim. Sem criatividade nenhuma, a única jogada que deu certo foi na base da individualidade com Love depois da boa movimentação de Botinelli em direção ao gol.

Mas no intervalo Joel acertou o time, já tinha sido assim no Fla x Flu. Com o avanço do Luiz Antônio dessa vez pela direita, sua posição, e um Ronaldinho do jeito que a torcida gosta. Passes na vertical, cavando faltas, boas viradas de bola. Botinelli e Muralha também ajudando na posse de bola.

A verdade é que se o jogo terminasse aos 30 minutos e o placar confirmado, hoje seria uma festa. Ninguém teria dúvida de que esse seria o esquema e que o time finalmente tinha aprendido a jogar em casa na Libertadores.

Que esse empate com sabor de derrota não fulmine esse bom meio de campo. Que provou ser bem interessante, até o momento onde pensou que estava jogando contra mais um time do Estadual. Tudo funcionava bem, a marcação era exemplar, mas aí começou a firula, os volantes afrouxando na marcação e o Olímpia engolindo o Flamengo.

Não concordo quando dizem que esse meio de campo é frágil no combate. Provou que se estiver ligado até o final da partida e jogando sério, consegue sim reter a posse de bola e efetuar boa marcação.

Joel errou por não ter feito aquilo que faz todo jogo: deixa sempre duas substituições pra gastar o tempo. Ontem ele terminou inexplicavelmente com duas no bolso. Estava completamente atônito, sem reação depois do segundo gol do time paraguaio.

Dentro de campo o reflexo foi o mesmo do seu treinador. Os mais experientes não ajudaram pra acalmar a partida e colocar as coisas em ordem.

Não condeno Joel por ter colocado o Negueba. Era uma troca lógica, na visão dele. E li gente reclamando que ele não colocou o Maldonado, veja só. Mas poderia ter optado também pelo Deivid, para auxiliar no exausto Love. Ou pelo Camacho pro lugar do Botinelli.

Ainda:
- Onde andava Galhardo no gol de empate?
- Thomás nessa de "cair pra dentro" não foi bem. Melhorou no segundo tempo, mas não fez um grande jogo.
- Como o infeliz acerta uma cobrança de falta daquela?

5 comentários:

Robson disse...

Andre, muito bom o post, mas discordo que o Fla tenha jogado mal no primeiro tempo, jogou o razoavel, o que vinha fazendo, mas sentia dificuldades pois não tinha jogadas pelo lado direito, Thomas sempre corta pro meio e o Galhardo não tava bem. Mas tirando o inicio do jogo o time controlou o Olimpia, sofrendo inumeras faltas para amarrar o jogo, o que infelizmente não aprendemos a fazer.
A saída do Engenhão parecia mais um enterro, lembrou muito a derrota para o America, mas discordo que o Joel não tenha errado. Se ele quisesse reter a bola la na frente colocasse o Deivid, não o Negueba que não sabe nem correr em linha reta. Deveria substituir para esfriar o jogo, colocar um zagueiro, sei lá, mas Maldonado nunca mais.
Culpa mesmo é do time, que realmente pipocou para um time pior, tremeu como se tivesse jogando com o Barcelona ou com um time de outro planeta.
Isso é Libertadores, some com a bola, para o jogo, faz falta, arruma confusão, coloca reserva pra discutir e parar o jogo, mas não tomar um empate depois de 3 x 0 jogando bem. Tem que aprender muito a jogar e parar com esse monte de vexame que faz.
O time é esse, apenas com a volta do Leo Moura no lugar do Galhardo. E sem essa de trazer outros volantes (esse Carceres é ruim demais, só sae correr atrás de jogador e marcar, é o Willians do Paraguai), vamos com Muralha e Luiz Antonio, que sabem jogar bola.

Marcelo disse...

Pensei a mesma coisa. O Joel sempre faz o absurdo de guardar substituição (às vezes duas!) pra parar o jogo no finzinho. Pq ele não parou o jogo depois do segundo gol dos caras??? O jogo era pra acabar ali! Aliás, ainda bem que os paraguaios resolveram fazer cera depois do empate, senão poderia ser pior...

Só espero que não queimem os garotos. Eles mostraram (menos o Galhardo) que têm condições de ser titulares tranquilamente. Pra eles, esse jogo tem que servir de grande lição. Ainda bem que isso aconteceu na fase de grupos.

José disse...

O caminho é esse. A tendência é com mais jogos o time evoluir. Léo Moura precisa de um substituto, Galhardo é fraco. Os veteranos têm que botar a bola debaixo do braço e acalmar a garotada. Paciência e apoio.

**Joel&Negueba: overdose de mediocridade.

George A.F. Gessário disse...

Galhardo é um lateral comum nível Série A do Brasileirão, o q ocorre é q tomamos por padrão pra avaliar ele um tal de Leo Moura q é senão o melhor um dos TOP 3 da posição no Brasil, al qual ele realmente não se compara... O Camacho não estava no banco ontem.

Paulo Hora disse...

O Luiz Antônio é um volante que se destaca no apoio, mas acho ele apenas razoável na marcação. Pra ser titular só com 3 volantes, tipo ele de um lado o Renato de outro e o Willians atrás, o que não parece ser o ideal.

Pra mim a dupla de volantes é Willians e Muralha; a nossa defesa precisa de proteção. O David é muito criticado e o González também falhou ontem, mas também não foram bem protegidos. O Muralha tem um bom desarme, mas às vezes chega atrasado no lance e não faz a falta. Com o Willians em campo, nem que fosse expulso, o time não tomaria esses três gols. O Muralha pode ser o volante que arma as jogadas mais de trás, e o Willians seria o que corre mais pelo campo para roubar a bola e cobrir os necessários avanços do Léo Moura.