sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

"Flamengo, um estranho no ninho contaminado pela cartolagem que se apoderou da bola", por José Roberto Malia

Com certeza você não lerá essa análise de qualquer jornalista carioca. É o Flamengo na vanguarda da moralidade no futebol brasileiro.

Confira texto do jornalista José Roberto Malia no site da ESPN:

O rei da cocada no Urubu, Eduardo Bandeira de Mello, é um estranho no ninho contaminado pela safadeza dos cartolas que se apoderaram da pátria das chuteiras furadas.  
Entre outras coisas, reduziu de mais de 500 para 78 o número de ações trabalhistas nos últimos dois anos. Pagou mais de R$ 43 milhões em acordos. Estimada em R$ 700 milhões, a divida do clube diminuiu para R$ 500 milhões.  
Mais: até agora, é o único que torpedeou publicamente a emenda aprovada no Congresso que parcela em 240 meses as dívidas dos clubes (mais de R$ 4 bilhões), além de reduzir em 70% as multas e em 50% os juros. Fuzilou: não é correto com a sociedade e/ou contribuinte. Bandeira de Mello defendeu a inclusão de medidas que obriguem os clubes a andar na linha, como rebaixamento por falta de pagamento ao governo e/ou atletas.  
O mandachuva e raios do Flamengo aproveitou para moldar um nariz de Pinóquio no autor da emenda, o deputado Jovair Arantes (PTB/GO), que apregoou aos quatro ventos do moinho sem hélice que o time carioca havia aplaudido o projeto: balela do parlamentar, que é vice-presidente do Atlético/GO. Após a aprovação da medida, na calada da noite, o nobre Arantes atacou o Bom Senso: uma ‘reunião de milionários do futebol, que passaram anos ganhando milhões e acabaram afundando os clubes'.  
O contra-ataque do Bom Senso desvendou a ópera do bufão: ‘Uma manobra vergonhosa do deputado Jovair Arantes (PTB/GO) e do senador Romero Jucá (PMDB/RR) incluiu o refinanciamento dos clubes, sem nenhum tipo de contrapartida, através de uma emenda à Medida Provisória 656/2014, que trata de incentivos fiscais à importação de peças para aerogeradores.' De acordo com o movimento dos atletas, a jogada é conhecida no Congresso como ‘contrabando legislativo', ou seja, quando uma questão é aprovada ao lado de outra que não tem absolutamente nenhuma relação.  
O texto aprovado no Congresso terá que ser sancionado pela presidenta Dilma Rousseff para virar lei. Mas dificilmente receberá o sinal verde. O futebol brasileiro não merece uma derrota tão acachapante. Chega o 7 a 1 da Copa.

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

NBB 2014/2015: Flamengo 106 x 73 Basquete Cearense


O Flamengo conseguiu seu primeiro placar centenário neste NBB ao derrotar o Basquete Cearense por 106 x 73 e alcançar a quinta vitória consecutiva.

Com exceção de um pequeno apagão no segundo quarto, foi uma boa partida da equipe Rubro Negra, que cometeu apenas seis erros no total.

O aproveitamento na linha de três foi de 50%, 13/26. Marquinhos foi o cestinha com 21 pontos.

Os argentinos voltaram a fazer um bom jogo. Laprovittola anotou 14 pontos com 4 assistências e Herrmann 10 pontos com 6 rebotes.

Mas os grandes nomes foram Gegê com 9 assistências e Felício apanhando 7 rebotes além dos 12 pontos.


O JOGO

O Flamengo começou melhor, abrindo 10 x 05 com cinco pontos cada de Hermann e Marquinhos.

José Neto com cinco minutos de jogo já promovia o rodízio para azeitar a defesa. Saíram Laprovittola e Marcelinho entrando Benite e Gegê, e depois Felício. No ataque, quem liderava era Marquinhos, já com 11 pontos, colocando o Flamengo com 20 x 13.

Mas as mudanças deixaram de surtir efeito e o Basquete Cearense encostou: 20 x 19. Porém, no minuto final, o time da Gávea emplacou uma sequência de nove pontos para colocar 29 x 21 no placar.

José Neto estava inspirado. Voltou para o segundo quarto com seus três armadores de titulares tendo como pivôs Herrmann e Meyinsse. Gegê distribuía sua quinta assistência e Meyinsse colocava o Flamengo com 38 x 27, obrigando o treinador adversário a solicitar tempo.

Com 41 x 29 no placar o time apagou. Já sem o trio de armadores ficou cinco minutos sem pontuar. O Basquete Cearense emplacou 12 x 0 para empatar a partida: 41 x 41. Foi a vez do Neto parar o jogo.

Na volta, após o pedido de tempo, Marcelinho, ainda zerado, anotou uma cesta de três para aliviar a pressão. Outra vez o Flamengo finalizou bem o quarto, fechando o primeiro tempo em 48 x 41.

Na volta para o segundo tempo apareceu o verdadeiro basquete Rubro Negro. Com show de Felício - oito pontos e cinco rebotes no terceiro quarto e Marcelinho calibrado com nove pontos, o Flamengo vivia seu melhor momento do jogo abrindo 22 pontos de vantagem e não permitindo qualquer reação do Basquete Cearense: 79 x 57.

No quarto final só coube ao time administrar a vantagem e José Neto, talvez pela primeira vez neste campeonato, pôde entrar com os juniores no final pra ganhar ritmo. Placar final: 103 x 73 para mostrar que o Flamengo não está morto.


PEUGEOT NO BASQUETE?

Seria a solução para as premiações e salários atrasados, pelo menos até a execução do patrocínio da TIM, via ICMS. Terça-feira tem votação no CoDe que pode confirmar essa informação.


Grupo da Liga das Américas definido. Flamengo vai em busca do bicampeonato


O Flamengo jogará nos dias 23, 24 e 25 de janeiro em Cancún no México. Confira os grupos:

Grupo A - 16, 17 e 18 de janeiro - São José dos Campos, BRASIL
São José (BRA)
Fuerza Regia (MEX)
Peñarol de Mar de Plata (ARG)
Leones Alcaldia de Managua (NIC)

Grupo B – 23, 24 y 25 de janeiro - Cancún, MÉXICO
Pioneros de Quintana Roo (MEX)
Flamengo (BRA)
Malvín (URU)
Leones de Quilpué (CHI)

Grupo C – 30, 31 de janeiro e 1ero de fevereiro - Corrientes, ARGENTINA
Regatas Corrientes (ARG)
Marinos de Oriente (VEN)
Halcones Rojos (MEX)
Paulistano (BRA)

Grupo D – 6, 7 e 8 de fevereiro - Tunja, COLOMBIA
Patriotas de Boyacá (COL)
Trotamundos (VEN)
Capitanes de Arecibo (PUR)
Baurú (BRA)

Sem resolubilidade nas negociações da LRFE, Câmara aprova projeto que não prevê contrapartida dos clubes

A Câmara dos Deputados aprovou uma proposta absurda do parlamentar Jovair Arantes, vice-presidente do Atlético-GO, que renegocia as dívidas dos clubes.

Trata-se de um Medida Provisória que prevê o parcelamento em 240 meses com redução de multas e juros sem nenhuma contrapartida dos clubes.

Ainda precisa passar pelo Senado e depois, se aprovado, pelas mãos da presidente Dilma. Dificilmente essa MP continuará em vigor. Ou o governo deverá editar uma prevendo justamente as contrapartidas.

Essa aprovação é resultado da falta de acordo e do individualismo de todas as partes. Ninguém cede e não conseguem chegar a um denominador comum.

Não conseguem fazer um projeto simples e objetivo que parcelem as dívidas dos clubes. A proposta original era o parcelamento em 20 anos, com a obrigação de apresentar as Certidões Negativas de Débito a cada três meses, obrigação de manter salários em dia de jogadores e funcionários, controle do déficit financeiro, limite no mandato para dirigente de clube e a criação de um Comitê para fiscalizar e aplicar as punições - escalonadas entre uma advertência até chegar ao extremo de um rebaixamento.

O problema é que em toda reunião cada interessado levanta uma nova questão e não foca no cerne fundamental do debate. Querem resolver todos os problemas do futebol em uma tacada só.

Agora o Bom Senso FC já fala em entrada de 10% do pagamento e obrigar um limite de 70% com gastos do futebol. Os clubes resolveram discutir cláusula indenizatória em casos de rompimento de contrato com jogadores, ou seja, em toda a reunião cada lado traz uma novidade e abre-se brecha para esse tipo de projeto esdrúxulo.

Vamos ver se as partes conscientes e bem intencionadas, vendo o perigo iminente, reagem após essa aprovação na surdina.

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Flamengo, agora um clube cidadão, recebe R$ 5,4 milhões para investimentos em estrutura olímpica na Gávea


Na sede da Gávea, o presidente do Flamengo formalizou o convênio com a Confederação Brasileira de Clubes para receber os novos recursos da Lei Pelé destinados aos clubes formadores.

Será um total de R$ 5,4 milhões. O Rubro Negro teve três entre os cinco projetos mais bem pontuados aprovados.

- Projeto Remo e Canoagem (Valor Aprovado R$ 1.614.741,38): flotilha nova (45 barcos) e diversos materiais específicos para o desenvolvimento dos esportes.

- Projeto Ginástica, Judô e Voleibol (Valor Aprovado R$ 1.749.358,00): Equipamentos de ginástica artística, dois dojos para o judô e materiais diversos de treinamento para o voleibol.

- Projeto Piscina (Valor Aprovado R$ 1.999.985,10): Piscina Myrtha Pools mais diversos equipamentos para a construção de um parque aquático moderno e material de treinamento para os atletas.

O segundo edital já foi lançado e o Flamengo novamente aparece entre as entidades aptas. Dessa vez serão distribuídos R$ 57 milhões. O resultado final dos projetos avaliados está previsto para sair no dia 27 de fevereiro de 2015.

A luta para que os clubes recebam fatia da renda dos esportes olímpicos, antes concentrada nas mãos das Confederações, é antiga, vem desde os tempos de Márcio Braga em meados de 2008.

O blog acompanhou essa batalha e faz a retrospectiva. Parabéns aos envolvidos:

20 de setembro de 2010: Clubes fazem lobby no Congresso para terem acesso a verba das Loterias

23 de fevereiro de 2011: Câmara aprova MP que alterava a Lei Pelé e garantia recursos aos clubes formadores.

18 de março de 2011: Sanção da presidente Dilma

03 de abril de 2013: Flamengo consegue pela primeira vez em sua história as Certidões Negativas de Débito, que lhe daria direito a participar de todos os convênios com o governo.

21 de abril de 2013: Com a grana congelada na conta, começa a briga ela regulamentação da partilha da receita entre os clubes.

13 de julho de 2013: Os principais clubes formadores fazem protesto formal contra a Confederação Brasileira de Clubes pela falta da partilha transparente.

20 de agosto de 2013: Empurra-empurra entre Governo Federal e Confederação Brasileira de Clubes sobre os critérios da destinação da verba.

09 de abril de 2014: Flamengo tem votação importante para adequar seu estatuto à Lei Pelé e assim receber a verba destinada aos clubes formadores.

15 de abril de 2014: Com grande esforço o Flamengo conseguiu modernizar seu estatuto e alinhar à nova legislação.

14 de agosto de 2014: Um esqueleto aparece no armário: o Flamengo havia sido inscrito no CADIN por conta de uma dívida antiga. O clube conseguiu resolver o problema.

20 de outubro de 2014: O Flamengo tem seus três projetos aprovados entre os cinco primeiros e receberá mais de R$ 5,3 milhões.

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

NBB 2014/2015 - Flamengo 76 x 74 Brasília


Mais uma atuação sem convencer, porém o Flamengo ganhou do fraco Brasília por 76 x 74 com uma cesta nos segundos finais após roubada de bola do armador Benite.

Partida ruim dos armadores, anotando apenas 12 assistências. Laprovittola distribuiu apenas uma e cometeu cinco erros.

Herrmann que começou o NBB com boas atuações, tem rendido praticamente nada nos últimos jogos. Preocupante, a situação extra-quadra pode estar pesando.

Já os pivôs tiveram atuação destacada. Meyinsse terminou com ótimos 14 pontos (73% de aproveitamento) e 8 rebotes e Felício com 7 pontos e 10 rebotes.

Marcelinho continua sendo o jogador mais regular desse começo. O capitão foi o cestinha com 17 pontos.

Foram apenas 15 chutes na linha de três pontos. Apenas uma bola caiu.

O começo foi péssimo. Brasília abriu 7 x 0. O Flamengo amassava o aro: faltando 06:25 para encerrar o primeiro quarto tinha apenas 02/17 pontos. Ronald e Fred causavam estrago à defesa Rubro Negra, abrindo 16 x 08.

José Neto pediu tempo e aos poucos sua equipe foi reagindo. Com uma bola no estouro de Marquinhos, a vantagem que chegou a ser de dez pontos foi derrubada para apenas dois: 21 x 19.

A virada veio faltando 07:26 para o fim do primeiro tempo, com uma cesta de Marquinhos. Felício entrou bem e novamente com uma cesta no estouro do cronômetro do ala Marquinhos, o Flamengo foi pro intervalo vencendo: 38 x 35.

Na volta pro terceiro tempo parecia que o time finalmente iria deslanchar e se impor contra um ex-poderoso Brasília. Em três minutos o Flamengo fez 10 x 03, abrindo sua maior vantagem no jogo.

Mas a equipe candanga reagiu, e o quarto terminou aberto: 58 x 52 para o time da Gávea.

No quarto final Laprovittola errou demais. Ficou lá e cá e, com 74 x 74 no placar, com posse de bola para Brasília faltando seis segundos, Vitor Benite roubou de forma magistral de Cipolini e na bandeja deu a vitória ao Rubro Negro. Sofrido!

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Licença para construção de Arena na Gávea aguarda parecer do Iphan desde outubro

Faltam duas licenças para o Flamengo começar as obras de sua Arena Multiuso na Gávea. Segundo informações obtidas, os documentos necessários são emitidos pelo: IPHAN e CET-Rio.

O blog entrou em contato com o IPHAN que nos informou o número do protocolo e o andamento do processo. Foi dado entrada no órgão dia 21 de outubro.



Segundo informação do Instituto, "pareceres sobre intervenções em imóveis tombados ou áreas de entorno são complexos, onde cada caso é um caso específico, o que demanda cuidado e atenção na análise. Na maioria dos casos, faz-se necessário pesquisa sobre todas as informações possíveis relativas ao imóvel: sua construção, intervenções posteriores, entre outros aspectos, através de consultas aos arquivos não só do IPHAN, mas também aos da Prefeitura, bem como os aspectos da legislação vigente para a área onde o bem está localizado. Este trabalho é criterioso e busca não só salvaguardar os bens tombados e suas ambiências, como também o direito dos proprietários. Um serviço de tal profundidade necessita de tempo para que possa ser executado com acuidade".

O processo estará aberto à consulta pública logo após a emissão de seu parecer por parte de nosso corpo técnico.

O blog vai acompanhar.

sábado, 13 de dezembro de 2014

NBB 2014/2015: São José 71 x 94 Flamengo


Na melhor atuação no NBB, o Flamengo derrotou o São José por 94 x 71 e conquistou a terceira vitória consecutiva no campeonato.

Em sua melhor atuação defensiva e com show do Benite que veio do banco, a equipe Rubro Negro volta de São Paulo com duas importantes vitórias.

Agora serão três jogos no Rio contra equipes que frequentam a parte de baixo da tabela para fechar bem o ano: Brasília (2V e 7D), Basquete Cearense (2V e 6D) e Macaé (2V e 7D).

O armador Benite em 25 minutos foi o cestinha com 24 pontos, quatro rebotes e duas assistências. Marcelinho com 19 pontos e Marquinhos anotando 14 completaram a trinca de cestinhas.

Meyinsse foi o reboteiro com sete e marcou 11 pontos.

O primeiro quarto foi o único equilibrado: 18 x 17. Depois o Flamengo se distanciou no placar com um excelente segundo período: 48 x 35.

A diferença para o último quarto poderia ter sido de apenas cinco pontos, mas Benite matou uma bola de três no estouro do cronômetro: 68 x 60.

No quarto final as bolas de longa distância caíram todas e o Flamengo aumentou a diferença vencendo o quarto por 26 x 11 e a partida por 94 x 71.