domingo, 26 de abril de 2015

NBB 2014/2015 - 2º jogo das quartas de final: Flamengo 76 x 82 São José


O Flamengo não resistiu a sua irregularidade e, depois de ter feito sua melhor atuação defensiva da história dos playoffs do NBB no primeiro jogo, perdeu para São José por 82 x 76 na noite deste sábado.

A série das quartas de final está empatada em 1 x 1 e os paulistas jogarão as duas próximas partidas em casa.

Ao Rubro Negro resta repetir a história do NBB passado, quando perdeu um jogo em casa nas quartas de final contra o Bauru e na semifinal contra o Mogi e em ambos buscou a classificação fora de casa vencendo as duas partidas pra fechar a série em 3 x 1.

É verdade que o time fazia um ótimo campeonato, garantindo inclusive o primeiro lugar com rodadas de antecipação. Neste ano terá que tirar forças de sua tradição para pelo menos trazer o quinto jogo pro Rio.

Aliás, as quatro disputas das quartas de finais do NBB estão empatadas: Macaé venceu Mogi, Brasília venceu Limeira e hoje, surpreendente e quebrando uma sequência de 34 vitórias seguidas, Franca venceu Bauru, empataram a série e terão dois jogos em casa para, quem saber, eliminar os favoritos.


O JOGO

Se no primeiro confronto o Flamengo venceu o quarto inicial por 28 x 15, dessa vez São José não permitiu que o time da casa largasse abrindo vantagem. Apesar dos 21 x 20 favoráveis ao Rubro Negro no primeiro quarto, no segundo período permitiu apenas 14 pontos do time de José Neto, indo pro vestiário com 41 x 35 no placar.

No terceiro quarto Marquinhos colocou a bola em baixo do braço, cortou a diferença e empatou o jogo: 46 x 46, levantando a torcida que lotava o Tijuca. A partida seguia equilibrada e ninguém mais conseguia abrir frente.

O minuto final foi inaugurado com uma bola de três de Laws, Marquinhos deu o troco e colocou o Flamengo na frente: 75 x 74.

Eis que surge o decisivo Caio Torres para fazer cinco pontos seguidos. Nos lances livres São José se mostrou frio e decisivo para conseguir uma grande vitória no Tijuca: 82 x 76.

sexta-feira, 24 de abril de 2015

NBB 2014/2015 - 1º jogo das quartas de final: Flamengo 85 x 62 São José


O ginásio do Tijuca foi bem preparado para receber uma boa atuação do Flamengo no primeiro jogo das quartas de final do NBB.

Com o piso padronizado e jogo de luzes (enquanto não tem a sua arena multiuso), a equipe Rubro Negra venceu o São José por 85 x 62 e abriu 1 x 0 na série.

Seis jogadores pontuaram mais de um dígito e a defesa permitiu apenas 62 pontos, igualando o placar mais baixo sofrido pelo Flamengo na história dos playoffs do NBB: quartas de final, temporada 2011/2012, Fla 77 x 62 Uberlândia.

O cestinha foi Benite com 19 pontos. Olivinha conseguiu double-double: 16 pontos e 13 rebotes. Marquinhos terminou com 11 pontos e Herrmann, Laprovittola e Felício anotaram dez pontos cada um.

Novamente uma superior partida de Felício que, além dos dez pontos, pegou seis rebotes contra três pontos de Meyinsse e quatro rebotes.


O JOGO

O primeiro quarto foi o melhor período do Flamengo na noite, que chegou a abrir 7 x 0, mas permitiu a virada do São José para 9 x 7. A partida seguia equilibrada em 17 x 15 quando o Rubro Negro conseguiu uma sequência de 11 x 0 com show de Olivinha e seus nove pontos e cinco rebotes e a mão calibrada do capitão Rubro Negro Marquinhos com duas bolas de três no quarto.

O placar apontava 28 x 15, com direito a três enterradas de Benite, Marquinhos e Meyinsse que levantaram a torcida.

No segundo período apenas Marquinhos voltou entre os titulares. Gegê, Marcelinho, Herrmann e Felício vieram do banco e engoliram os reservas do São José: Betinho, Renan e Dedé. Apenas Baxter e Laws seguiam entre os titulares.

Com duas assistências de Gegê, Marcelinho matou de três e Felício no garrafão ampliaram a vantagem para 35 x 19. Baxter tentava salvar a pátria joseense e conseguiu cortar a diferença para 11 pontos, obrigando Neto a parar o jogo.

Na volta, Herrmann e Benite na linha de três pontos e Felício nos lances livres colocaram a vantagem em 45 x 30. Os times foram pro intervalo com 47 x 33 favorável à equipe da Gávea.

A diferença poderia ter sido maior se o Flamengo não fizesse apenas uma cesta nos três minutos finais do quarto.

Depois de passar o primeiro tempo zerado, André Laws matou duas bolas de três e terminou o quarto com dez pontos, mas do outro lado tinha Benite para segurar a diferença. E mesmo com Laprovittola cometendo sua terceira falta e tendo que ficar no banco, o Flamengo usou bem seu repertório ofensivo coletivo e manteve a confortável vantagem: 67 x 51.

O quarto final foi ainda mais tranquilo. Logo no começo conseguiu 12 x 02 com boa atuação de Benite e Olivinha. José Neto colocou os juniores em quadra pois a vitória já estava garantida, terminando em 85 x 62 para abrir 1 x 0 na série quartas de final.

Próximo jogo será no sábado também às 18h.

quinta-feira, 23 de abril de 2015

Copa do Brasil - 2ª Fase: Salgueiro 0 x 2 Flamengo


Finalmente o Flamengo voltou a ter uma escalação que permitirá alguma evolução se bem treinada pelo Luxemburgo.

Após um bom tempo, o time voltou a jogar com dois volantes, um meia e os três atacantes de velocidade, com o Cirino mais perto da área, como este blog e seus comentaristas vinham cobrando. Era esse o time que deveria ter jogado domingo.

Com esse esquema, o Flamengo teve mais posse de bola, parou de dar chutão, alugou o campo do adversário, marcou mais à frente e o mais importante: se movimentou mais no ataque. Evidente que o adversário precisa ser levado em consideração nessa análise.

Tudo que não fazia com o Alecsandro e isso não é uma crítica ao atacante: o que fora proposto a ele foi executado: marcar gols. E pode ser peça útil vindo do banco.

Com os 2 x 0 contra o Salgueiro, o Rubro Negro evitou o jogo de volta e está classificado para a terceira fase da Copa do Brasil.

Porém, esse time para o Brasileirão não significa muita coisa e os dois tiros precisam chegar o mais rápido possível.


****************


Novamente o adversário foi incensado como uma equipe em ótima fase, que faria jogo duro e teria o apoio de uma torcida fanática. E já tinha sido assim contra o Brasil de Pelotas, resultado: um treino.

Segundo a imprensa local, a decepção foi grande pela atuação do Salgueiro, que sentiu a pressão de jogar contra o Flamengo e permitiu ao Rubro Negro dominar a posse de bola sem ser incomodado. A estratégia, segundo os jornalistas, era repetir o feito do final de semana, quando venceu o Sport por 2 x 0 tendo apenas 30% da posse de bola. Só esqueceram de combinar com os cariocas.

Os jornais de Pernambuco lamentaram a chuva que caiu durante o dia, que amenizou a temperatura, e o fato do jogo ter sido disputado no período da noite, impedindo a equipe Rubro Negra de sentir o calor infernal que assola o Cornélio de Barros durante à tarde.


****************


Lucas Mugni estreou como volante e conseguiu dois desarmes, 21 passes corretos e apenas dois errados, segundo o Footstats. Seu sucesso vai depender mais da compactação da equipe do que de suas habilidades nessa posição. Pode dar certo.

terça-feira, 21 de abril de 2015

Campeonato Carioca 2015 - 2º jogo da semifinal: Flamengo 0 x 1 Vasco

O Flamengo chegou ao terceiro jogo seguido sem fazer um gol, por conta disso, além de perder a Taça Guanabara, perdeu para o Vasco por 1 x 0 com um pênalti que não aconteceu e está eliminado do campeonato carioca.

A equipe vascaína novamente teve a posse de bola, ajudada pelos vários chutões da zaga Rubro Negra que não encontrava ninguém para auxiliar na saída da bola, mas sem grande inspiração, apenas lançava bolas na área e não ameaçava o Paulo Victor.

Só a partir da metade do primeiro tempo (exatamente como no jogo passado, quando Éverton entrou no lugar do Jonas) que o Flamengo finalmente colocou a bola no chão e criou boas oportunidades, com Éverton isolando na cara do gol e Alecsandro em boa finalização para uma ainda melhor defesa de Martín Silva.

A entrada de Artur Maia no lugar de Luiz Antônio era uma boa ideia. Dagoberto entrou pelo Vasco e a partida seguia equilibrada, mas dessa vez com a equipe cruzmaltina mais perigosa e ameaçando Paulo Victor. Foram duas defesas antes do gol.

Até que em um erro de passe de Márcio Araújo no ataque o Vasco conseguiu rápido contra-ataque e o juiz viu pênalti no tranco legal de Wallace. O Flamengo desesperou-se. Luxemburgo tirou seus melhores jogadores: Éverton e Cirino e o time teve apenas uma chance de empatar, com o ótimo passe de Arthur Maia para Gabriel, com nova excelente defesa de Martín Silva.



*******************


O Flamengo termina o campeonato com uma série de incertezas. Culpa do departamento médico / preparação física que não colocou à disposição do treinador todos os jogadores em pleno abril.

Culpa do Luxemburgo, que, contra todos os prognósticos, encontrou um lugar perfeito pro Marcelo Cirino: jogando à frente, livre, sem obrigação de cobrir ninguém e muito menos de compor a segunda linha de quatro. Depois resolveu colocá-lo aberto nas extremidades e apagou o bom começo de temporada do principal reforço do Flamengo. E na reta final teve que lidar com inúmeros chutões e ligações diretas dos zagueiros. 

Alecsandro cumpriu perfeitamente o que foi proposto: fazer gols. Mas por sua permanência em campo o time deixou de fazer o que vinha fazendo no começo do campeonato: marcação pressão, avançando na saída de bola do adversário.

A melhor atuação foi no 5 x 1 contra o Friburguense. Mas a contusão de Arthur Maia embaralhou a cabeça do Luxemburgo, que passou a usar os três volantes e deixar Cirino aberto, longe da área.

Em março o blog já dizia: O Flamengo de Luxemburgo já esteve melhor nessa temporada. Não deu outra.

Agora é juntar os cacos, tentar rever em que circunstância o time apresentou seu melhor futebol e jogava com o que há de mais moderno no futebol. Porque hoje o Flamengo se resume a chutão e velocidade.

Mas antes o Luxemburgo precisará resolver onde vai executar seu projeto: se na Gávea ou se vai continuar alimentando seu ego e ouvindo propostas do tricolor do Morumbi cada vez que for chamado pelos dirigentes paulistas. Não há foco que resista. E quarta tem Copa do Brasil.


*******************


Saudades Fla-Press. 

Capa de esportes de O Globo no Estadual de 2014: "Com gol em impedimento, Flamengo leva o troféu"


Capa de esportes de O Globo no Estadual de 2015: "Vasco se impõe e vence o Flamengo"


sábado, 18 de abril de 2015

O meu time para a semifinal: Alecsandro voltaria pro banco e Arthur Maia titular


Já são 41 mil pagantes até sábado para o segundo jogo da semifinal entre Flamengo x Vasco.

Mas, se no domingo passado Luxemburgo teve todos os jogadores à disposição, dessa vez, uma semana depois, já voltou a ter dois desfalques: Canteros e Paulinho estão fora.

É inexplicável tanto desfalque, tantas contusões. Lembremos que Paulinho foi vetado no vestiário antes do Fla x Flu. Novamente: está muito estranho tudo isso, daqui a pouco o Brasileirão começa e os desfalques, se não incomodam em um Carioca, vão pesar no campeonato mais importante da temporada.

Dentro de campo Luxemburgo aposta em Éverton que, graças a Deus voltou e não sentiu. 

O Flamengo há dois jogos não faz gols, tirar o Alecsandro seria incoerente, mas eu voltaria a colocar o Marcelo Cirino com liberdade no ataque, sem prendê-lo às extremidades do campo, tendo Gabriel e Éverton abertos.

E o Arthur Maia como meia, e os volantes Jonas e Márcio Araújo. O time voltaria a uma característica que abandonou por ter o Alecsandro no ataque: marcar avançado, na pressão. Com o Arthur em campo, teria alguém para tentar evitar os chutões como vimos na semana passada, e ser a referência na saída de bola e distribuição pros ataques, ou contra-ataques.

Flamengo é mais time, tem jogadores mais técnicos, só não pode querer igualar ao Vasco na briga.

Foi uma semana livre, com poucos treinos, é verdades, o time precisará apresentar uma evolução técnica e sair do chutão. Pelo bem do Luxemburgo.

Flamengo prepara grande festa para inauguração do ginásio Kanela com a turma antiga do vôlei e futsal


Enquanto as obras da piscina e do centro de lutas continuam a todo vapor, o Flamengo prepara a inauguração do ginásio Kanela, no dia 25, sábado que vem.

A festa será semelhante à inauguração do ginásio Hélio Maurício, do basquete quando homenageou não só os atuais campeões mundiais, mas também toda uma geração que fez história no Flamengo. O evento marcou o lindo encontro do filho do Gilberto Cardoso com Guguta, 90 anos, que fez a cesta nos segundos finais na vitória do Rubro Negro contra o Sírio Libanês por 45 x 44 e infartou de emoção o ex-presidente em 1955.

Com apoio do Comitê Olímpico dos EUA, serão inaugurados os vestiários e a nova programação visual. Dessa vez a festa será com a turma antiga do futsal e do vôlei. Devem estar presente as campeãs da Superliga de 2001 na histórica final contra o Vasco e de grandes atletas do esporte: Isabel, Bernard, Tande e Jacqueline.

Quem sabe não teremos novidades quanto à disputa da próxima Superliga. Hoje a notícia é que o clube negocia sim sua participação. Torceremos!

Eduardo Bandeira de Mello à respeito da Medida Provisória: "Quem não concordar, que pague a dívida"


Não poderia esperar outra postura do presidente do Flamengo sobre a disputa que se tornou o texto da Medida Provisória que prevê o reparcelamento das dívidas em troca de regras rígidas de gestão:

"O Artigo 5º (que geraria a mudança de estatuto da CBF) pode ser flexibilizado. E o 8º (sobre a conta bancária única) pode ser extinto. Mas as demais contrapartidas o Flamengo entende que devam ser mantidas. Quem não concordar, que pague a dívida"

quinta-feira, 16 de abril de 2015

Assembleia Legislativa do Rio propõe a obrigatoriedade de audiência pública para a construção da arena multiuso na Gávea

O Decreto nº. 2686 de 14 de novembro de 1931 manteve o aforamento do terreno ao Flamengo para o fim exclusivo de atividades desportivas, proibindo o uso de atividades econômicas.

Em 1997, foi aprovado um decreto pela Assembleia que manteve as proibições legais e ainda informou que o descumprimento da legislação acarretaria a nulidade de pleno direito do referido aforamento, revertendo para o Patrimônio Estadual, independente de indenização, os terrenos e quaisquer benfeitorias ou construções neles existentes.

Em 2005, o prefeito Cesar Mais aprovou o projeto de transformação da Gávea num centro de lazer e entretenimento integrado a um novo estádio para 25 mil pessoas. Por pressão dos moradores e contrariados pela decisão do prefeito, os deputados aprovaram na Assembleia Legislativa a Lei nº. 3002/05, que determinava que para construção de qualquer empreendimento imobiliário de lazer e entretenimento na Gávea seria necessária uma prévia autorização do Poder Legislativo Estadual mediante Projeto de Lei específico.

Depois tivemos a fatídica história de que o Maracanã seria privatizado em 2007, com a promessa do governador Sérgio Cabral de que o estádio seria entregue ao Flamengo. O que, como sabemos, não fora cumprido. O então governador revogou o projeto assinado por sua antecessora, Rosinha Garotinho e o clube ficou sem estádio e sem projeto. História que até hoje Márcio Braga relembra.

Pois bem, com o andamento do projeto da arena multiuso da Gávea sendo aprovada pelo IPHAN, restando a licença do CET-Rio, foram aprovadas duas emendas à Lei nº. 3002/2005 na Comissão Permanente de Constituição e Justiça da Assembleia Legislativa do Rio, nesta terça-feira, dia 14 de abril, por unanimidade, conforme publicação no Diário Oficial do Estado de hoje.

A primeira emenda aprovada acrescenta que, depois de todas as licenças, será obrigatório ainda ter  uma audiência pública com a participação da sociedade civil, visando o debate com diferentes correntes de opinião.

A segunda emenda acrescenta a vedação para a construção de empreendimentos residenciais e shopping centers.

Como podemos ver, a luta será árdua.