quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

NBB 2016/2017: Mogi 57 x 83 Flamengo


O Flamengo deu provas de que a derrota na última rodada ficou pra trás e conseguiu uma convincente vitória frente ao Mogi, fora de casa, por 83 x 57.

Com isso segue líder com 12 vitórias e duas derrotas contra 11 vitórias e três derrotas do Brasília.

Em Brasília o público foi de 4,2 mil, então recorde do NBB. Ontem em Mogi a marca foi quebrada com 4,5 mil torcedores. O Rubro Negro, tetracampeão brasileiro, campeão da Libertadores e campeão Mundial, é atração e leva público por onde passa.

A equipe paulista vinha de uma série de 18 jogos sem perder jogando em seu ginásio. Contando o Campeonato Paulista, Liga Sul-Americana e NBB.

A última derrota? O 93 x 91, empatando em 2 x 2 a série semifinal contra o próprio Flamengo, com aquele toco fantástico do Marquinhos no segundo final.

E neste jogo tivemos a sujeira do Tyrone contra Marcelinho: "A arbitragem não viu Tyrone dando uma rasteira do Marcelinho. O banco Rubro Negro reclamou e levou falta técnica".

Para quebrar essa marca do atual campeão sul-americano, além da agressividade na defesa, o Flamengo contou com as brilhantes atuações de Olivinha e Marquinhos. O ala-pivô anotou seu oitavo duplo-duplo na temporada, terminando com 22 pontos, 12 rebotes e monstruosos 81% de aproveitamento. Já o ala terminou com 17 pontos, seis assistências e 70% de aproveitamento.

Tirando Marcelinho, todos os jogadores tiveram mais do que 50% de aproveitamento no ataque. Lelê, Pedrinho e Mineiro vieram do banco e contribuíram com 20 pontos.

O Mogi, que era o líder nas bolas de três, acertou apenas 4/31.


O JOGO

Sem os armadores Fischer e Humberto, o Flamengo iniciou atropelando o adversário. Com uma cesta de três de Marcelinho e Marquinhos, o Rubro Negro abriu 12 x 0 com pouco mais de quatro minutos. Shamel matou a primeira bola dos donos da casa quase chegando à metade do quarto.

Com 4/6 em bolas de três o Rubro Negro não permitia o Mogi respirar, abrindo 20 x 7 e fechando o período em 20 x 12.

No segundo período, com as boas participações de Lelê e Pedrinho, o Flamengo seguia forte e abrindo vantagem. Com uma cravada de Mineiro o Rubro Negro abriu 29 x 14, forçando o adversário a paralisar a partida.

Com duas bolas de três de Ramon e uma do Lelê, o time da Gávea foi pro intervalo com boa frente: 38 x 23.

Marcelinho abriu o período com uma bola de três. E depois teve inicio à confusão, graças à jogada maldosa e desleal do Tyrone que, por duas vezes tentou derrubar o capitão Rubro Negro. Na primeira não conseguiu, tentou a segunda, colocando o pé em baixo, após o arremesso do Marcelinho, forçando sua queda. Nada foi feito em desfavor do americano. A irritação foi grande, mas punição mesmo apenas para o banco e para Marcelinho.

Mesmo assim o Flamengo não se permitiu perder emocionalmente na partida, pelo contrário. Com o trio Marquinhos, Marcelinho e Olivinha, o atual tetracampeão brasileiro varria o Mogi e abria vinte pontos de frente: 47 x 27, fechando em 61 x 37.

O quarto final foi apenas para confirmar a vitória com autoridade.

No próximo sábado teremos a estreia do pivô Hakeem Rollins, contra Franca, no Tijuca, às 14h.
A venda de ingressos estão disponíveis aqui.

5 comentários:

Anônimo disse...

Impressionante a mudança de atitude entre o jogo do Brasília e ontem, sobretudo na parte defensiva. Isso mostra o grande trabalho feito fora da quadra também !

Luis disse...

Aí você clica pra reler a postagem do 93 x 91 dos playoffs e está lá o trecho "A arbitragem não viu Tyrone dando uma rasteira do Marcelinho. O banco Rubro Negro reclamou e levou falta técnica." Incrível como esse jogador é sujo com a conivência da arbitragem. Pior ainda é ter que ouvir os torcedores de Mogi dizendo que contra o Flamengo a arbitragem sempre os prejudica. Parecem até os do Botafogo.

André Amaral disse...

Bem lembrado Luis, acrescentei o trecho ao post. Que jogador sujo!

Barreto disse...

É incrível mas mesmo sem jogar com o time completo em todo este NBB, a campanha do Flamengo ainda é melhor do que a da temporada passada porque nesta altura da competição já havia 3 derrotas. O primeiro turno encerra como o jogo contra o Vasco. Nos últimos anos o Flamengo cresce muito no 2º turno e, agora, o crescimento será ainda maior porque 3 jogadores ainda serão incorporados ao elenco: Fischer( Talvez contra o Vasco) , Humberto ( Final de abril) e Rollins( contra o Franca). A grande surpresa positiva da temporada tem sido a performance positiva do Lelê de apenas 20 anos. Outro ponto positivo é que os jogos do 2º turno com Mogi, Brasilia e Bauru serão no RJ. O panorama é animador.

Cadu Rollo disse...

É... Esse foi um dos jogos pra dar um banho de água fria em quem seca o Flamengo.

O cenário era todo desfavorável, com 2 jogadores importantes lesionados, sem a presença do novo reforço, vindo de uma derrota expressiva e jogando fora de casa contra um dos candidatos ao título.

Tudo isso dito... O Flamengo superou qualquer expectativa e deu uma aula na quadra.

Não há o que comentar... Foi uma surra, quase 30 pontos de diferença.

Estão de parabéns pela partida.

O saldo da pior sequência do campeonato (3 jogos fora sendo 2 contra os principais rivais neste ano) foi muito positivo.

Era de se esperar uma derrota nessa sequência, e voltar com outras duas vitórias, sendo uma da forma como foi, é excelente.

Ainda fico um pouco na duvida se podemos de fato contar com Fischer e Humberto... O que me leva a crer que o ideal seria trazer mais um nome... Mas sabendo da dificuldade financeira, é o que temos para o momento. O ideal nem sempre é a realidade.

Mas acho importante um trabalho físico forte para que, pelo menos o Fischer, volte 100% e não pare mais por lesão. Especialmente durante os playoffs.

Abraços,