sexta-feira, 3 de junho de 2016

Campeonato Brasileiro 2016: Flamengo 1 x 0 Vitória


O Flamengo conquistou a segunda vitória seguida ao derrotar o Vitória por 1 x 0, chegou aos 10 pontos em 15 disputados e subiu pro quarto lugar no Campeonato Brasileiro.

É o melhor começo do Rubro Negro desde 2008, quando o Flamengo tinha 13 pontos em cinco rodadas.

O título que veio só no ano seguinte, deveria ter vindo naquele ano. A equipe de Caio Júnior liderou até 13ª rodada. Mas depois perdeu Renato Augusto, Marcinho e Souza e terminou em quinto lugar, fora da Libertadores.

Zé Ricardo armou ontem o time no 4-4-2. É inegável que ficou mais organizado, as linhas mais próximas e bloqueou os principais ataques do Vitória. Só faltou o Flamengo ter um melhor desempenho no ataque para sair do primeiro tempo com um bom placar.

Foram 14 finalizações, apenas duas certas. Foram 30 cruzamentos, apenas três corretos. Dá pra acertar.

Mancuello pareceu-me fora de ritmo, mas é um jogador diferenciado. Allan Patrick foi melhor que o argentino. Mas os destaques mesmos foram o Rodinei pela direita, Vizeu buscando o jogo, voltando para abrir espaços pros meias entrarem - pena o argentino ter perdido o gol, se posicionando bem na área, e o Arão mais preso na volância, subindo no tempo certo e chegando forte ao ataque.

Arão mais disciplinado nos últimos dois jogos, conseguiu sete desarmes contra a Ponte Preta e ontem, contra o Vitória, conseguiu oito. Está jogando demais!

O time não fez um grande jogo, mas jogou o suficiente para vencer. Poderia ter sido mais incisivo quando fez o gol, tinha espaço pra isso. Depois o adversário começou a gostar do jogo e o Zé Ricardo fez boas substituições para fechar o meio de campo. Talvez contra o Palmeiras vai precisar jogar um pouco mais e, principalmente, não vacilar nas bolas aéreas.

Mas essa ótima fase não pode enganar e acomodar. O Flamengo precisa de dois zagueiros urgentemente, e de um atacante. Além de contratar o gerente de futebol. É ótimo aproveitar esse bom momento para ganhar confiança, especialmente os garotos da base (essa geração parecer ser bem mais promissora que a da Copinha passada) e o próprio Zé Ricardo, que caiu do céu para essa diretoria. Entretanto o campeonato é pesado, longo, e precisa de elenco pra não morrer no meio da tabela.

5 comentários:

Anônimo disse...

Caro André,

Concordo com a maioria dos pontos que você destacou, com exceção de dois aspectos.

O primeiro diz respeito à suposta mudança do esquema tático do 4-3-3 para o 4-4-2. Sinceramente, não acho que a simples troca do Everton pelo Mancuello implique qualquer alteração no sistema tático.

O time continua marcando com duas linhas de quatro, tendo o A. Patrick e o Vizeu à frente dessas linhas.

O Mancuello entrou no lugar do Éverton e assumiu a obrigação de marcar pelo lado esquerdo, na segunda linha de quatro. Não vi mudança nenhuma de esquema, apenas a troca de jogadores.

É claro que há diferenças causadas pelas próprias características dos atletas. Enquanto o Éverton fica mais preso ao corredor esquerdo (a exemplo do Cirino no lado direito), o Mancuello flutua mais pelo meio campo, se aproxima mais do Alan Patrick e dos volantes, até pelas suas características.

Teoricamente, a entrada do Mancuello ajuda mais a preencher o meio campo e a reduzir a inferioridade numérica que o Flamengo vinha tendo no setor, em razão da usa característica (de aproximar mais dos homens de meio, ao invés de se posicionar como um ponta). No entanto, na prática as coisas não funcionaram tão bem, porque o Mancuello jogou mal. Não por acaso, o time melhorou ofensivamente com a entrada do Éverton.

O outro ponto do qual discordo é a afirmação de que o Flamengo teria aproximado mais as linhas e marcado melhor em razão da entrada do Mancuello. Acho que o Éverton fecha melhor a segunda linha de quatro, pela esquerda, que o próprio Mancuello (não é a toa que o Éverton pode até jogar como lateral esquerdo). Na marcação o Mancuello é mais lento e menos aguerrido, além de ter uma recomposição mais lenta que o Éverton.

Moral da história: na minha opinião, o Éverton voltará ao time no jogo contra o Palmeiras...e isso não implicará qualquer alteração no sistema tático. Pra mim o Flamengo vem usando o mesmo esquema desde o início do ano, embora as mudanças de atletas afetem um pouco o posicionamento e a forma de atacar (a forma de defender não mudou e dificilmente mudará).

Acho que um dos principais desafios do Zé Ricardo é melhorar o sistema defensivo. As linhas do Flamengo ainda estão ficando muito distantes em determinados momentos. Se compararmos com equipes mais organizadas defensivamente, como o Grêmio e o Corinthians, veremos que as linhas do Flamengo ainda ficam muito distantes (não estou falando só da distância entre a primeira e a segunda linha; estou falando da distância entre os quatro homens que formam cada uma das linhas).

Se vocês repararem, o Grêmio e o Corinthians colocam o homem da beirada do lado oposto à jogada quase no meio de campo, o que diminui às distâncias laterais entre os marcadores. O Flamengo ainda está um pouco vulnerável neste aspecto.

De todo modo, estamos vendo avanços, embora ainda não seja possível ter muito otimismo, já que o Flamengo jogou 3 dos 5 jogos em casa. Além disso, dos 5 adversários que o Flamengo enfrentou até aqui apenas 1 pode ser considerado um time da "elite" da série A (quando falo em elite, estou me referindo a Corinthians, Palmeiras, São Paulo, Santos, Atlético MG, Cruzeiro, Internacional e Grêmio).

Saudações Rubro-Negras!

Anderson

e venceu apenas equipes que devem lutar para não cair (Sport, Ponte Preta e Vitória).

só entre si, mas também no que diz respeito à proximidade

André Amaral disse...

Anderson

Obrigado pelo ótimo comentário. Quando o Éverton entra pra jogar de meia e consegue manter o 4-4-2 aí sim concordo contigo. Mas quando ele fica pregado na lateral ou jogando aberto com três atacantes acho que a marcação fica frouxa porque as linhas ficam distantes.

De acordo contigo sobre o Mancuello, do Éverton ter entrado melhor. Mas foi aí que o Vitória criou boas chances.

Jogo contra a PP e o Vitória foram bons exercícios. Domingo vai ser o grande jogo mesmo.

Volte sempre!

Joanilson Silva disse...

Andre,

Vi pouquissimos lances do segundo tempo, mas vc destaca a quantidade de cruzamentos errados e depois fala bem do Rodinei, q tenho q admitir é um jogador muito esforçado, mas será mesmo q foi bem um lateral q não consegue cruzar?
Vi lances q ele leva para a linha de fundo, mas o cruzamento não chega em ninguem, acho q o unico q ele acertou foi o da furada do Cirino no segundo tempo.
Se o Rodinei fosse um pouco a mais do q mediano e acertasse os cruzamentos o Flamengo estaria muito melhor no ano, jogando no 433 ou no 442.

Anônimo disse...

Caro Joanilson,

Respeito sua opinião.

No entanto, acho que não dá para analisar o Rodinei sem compará-lo com os outros jogadores da posição aqui no Brasil.

Qual lateral direito no Brasil cruza melhor que o Rodinei, por exemplo? Marcos Rocha, Vitor Ferraz e......não vejo ninguém.

A verdade é que quase todos os laterais brasileiros são criticados por errarem cruzamentos. Acho que isso ocorre porque cruzar é realmente um fundamento difícil no futebol (é só ver a quantidade de erros de cruzamentos de jogadores internacionais, como Daniel Alvez, Danilo, Fabinho, Aleix Vidal, Juanfran, Zabaleta, Carvajal e etc.).

Não acho que ele erre mais cruzamentos que o Jorge, por exemplo. A diferença é que ele aparece tantas vezes no ataque, cruza tantas bolas, que a quantidade de erros é maior. Essa capacidade que ele tem de sempre dar opção pelo lado direito, fazendo a ultrapassagem sempre em alta velocidade, com bom controle de bola, tem sido muito importante para o Flamengo.

Aliás, ontem ele fez dois cruzamentos que poderiam ter se transformado em gol se o Cirino e o Vizeu (lance ainda no primeiro tempo, quando ele "cabeceou" com o ombro) não tivessem se equivocado.

Contra o Grêmio o Rodinei também fez um excelente cruzamento para o Guerrero, que errou o tempo da bola e desperdiçou a melhor chance do Flamengo no jogo, quando ainda estava 0x0.

Na parte defensiva ele é seguro e forte fisicamente. Defensivamente ele é muito melhor que o Jorge (acho o Jorge muito promissor, gosto dele, mas ele tem MUITOS defeitos na parte defensiva).

Em suma, acho que o Rodinei é o melhor lateral que passou pelo Flamengo após a saída do Léo Moura.

E digo mais: na minha opinião há apenas dois laterais direito melhores que o Rodinei no Campeonato Brasileiro, que são o Marcos Rocha (Atlético-MG) e o Vitor Ferraz (Santos). É possível dizer que há outros do mesmo nível, como o Bruno (Ex-Fluminense, atualmente no São Paulo) e, talvez, o Fagner do Corinthians (subiu muito na última temporada).

Sinceramente, acho que talvez o Rodinei seja, até o momento, o jogador que melhor se destacou no Flamengo nesta temporada.

Moro em Belo Horizonte. Estava ouvindo a Rádio Itatiaia agora há pouco (rádio mais bairrista do Brasil...) e eles estavam falando justamente do Rodinei. Estavam dizendo que o Flamengo acertou na mosca, enquanto o Cruzeiro foi buscar o Lucas (ex-Botafogo e Palmeiras), que é um jogador mais caro e bastante inferior, porque marca muito mal e é muito "peladeiro" (não guarda posição e etc.).

Enfim, acho que neste momento o Rodinei é o menor dos nossos problemas.

Saudações rubro-negras!

Anderson


Joanilson Silva disse...

Anderson,

Não vou falar q seus argumentos não são validos, pois seria um erro, pois é bem isso, pega o menos cego e coloca pra jogar.

Mas vejo futebol de um outro jeito, como o Djalminha falou ontem no Resenha a base do futebol q ele desenvolveu ele aprendeu com a geração do Zico e é essa base q tenho se o cara é ruim o cara é ruim, se o cara é menos ruins q os outros, o cara pra mim continua sendo ruim.

Rodinei é menos ruim q o Para, não tenho duvidas, é o pior do Flamengo tecnicamente? tbm não ate pq o Marcio Araujo voltou a ser titular.

Ontem foi mais um jogo q eu não vi, vi alguns "melhores" momentos q demonstra a total incapacidade do Everton e do Fernandinho.

O Cuellar, posso estar enganado, mas tinha excelente numeros de desarme, mesmo jogando sozinho na cabeça de area, o MA agora joga com o Arão e quantos jogadas de ataque o MA não deve estar atrapalhando? aquele passe mais vertical q ele nunca da e q poderia ocasionar um gol nosso, fazendo o outro time jogar mais aberto, podendo abrir oportunidades de contra ataque.

Jogadores ruins tecnicamente atrapalha demais um time, mas algumas vezes são pequenos detalhes q passam despercebidos...