segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Liga das Américas - 1ª Fase: Flamengo classificado em primeiro lugar


O Flamengo venceu as três partidas da primeira fase da Liga das Américas de Basquete de 2016 e está classificado para o quadrangular semifinal da competição em primeiro lugar.

Na estreia venceu o Gimnasia y Esgrima da Argentina por 66 x 58, depois o Aguilas de Tunja da Colômbia por 75 x 60 e, por último, 68 x 61 o Correcaminos Colon do Panamá.

Marquinhos terminou os três jogos com média de 17 pontos e Luz com média de cinco assistências.

Foi um Flamengo irregular e que passou a impressão de que só jogou quando quis, ou que sabia que poderia vencer quando acelerasse o ritmo dentro de quadra. E foi isso que aconteceu nas três partidas.

Na primeira partida o primeiro tempo terminou em 35 x 28, na segunda 25 x 33 e 30 x 31 na terceira.
Já o segundo tempo as parciais foram: 31 x 30, 50 x 27 e 38 x 30.

Se a defesa funcionou, apesar dos adversários tecnicamente mais fracos e errando arremessos livres, o ataque foi, surpreendentemente, um dos pontos negativos da equipe. Pra quem sempre viu o Rubro Negro beirando os 80, 90 pontos ter uma média de 69 pontos é inédito.

Nos rebotes o Flamengo também perdeu todas. Contra o Correcaminos foi o mais discrepante: 43 x 22 neste quesito.

Não ficou clara também a intenção do José Neto em deixar Marquinhos mofando no banco nos minutos finais das partidas.

Gostei muito do Rafael Luz na marcação, na boa transição e principalmente no espírito Rubro Negro que já começa a aflorar no armador. Foi o destaque ao lado do Rafael Mineiro, outro que fez um bom quadrangular, na parcial de 17 x 03 no quarto final da estreia, que provocou a virada Rubro Negra.

Destaque também para o ótimo Ramon na terceira partida, contra os donos da casa. Jogando por vezes de armador na posição um, infiltrou, fez jogadas de pick and roll, matou bolas de três e defendeu muito, começou do banco e terminou com 20 pontos.

Marquinhos é sem comentários e foi o melhor atleta do Flamengo nesta primeira fase.

E os times argentinos, que outrora eram os mais temidos nas Liga das Américas e Sul-Americano, fracassaram - até porque sempre sediar as fases decisivas das competições. Gimnasia, vice-campeão argentino e um dos líderes da Liga Nacional, foi eliminado logo na primeira fase.

23 comentários:

Anônimo disse...

Uma dúvida? Agora como ficam as semis? Dois grupos de 4 com 2 de melhor campanha em cada grupo? Se for assim poderemos ter um Fla x Bauru ou Fla x Brasília ( já estou Classificado eles em primeiro) ?

Barreto disse...

A característica pedominante do Nico antes de chegar ao Flamengo não era a agressividade no ataque e expressiva pontuação, o que me foi confirmado em conversa que tive com o José Neto no dia da apresentação do elenco para este tempoprada. Segundo José neto os próprios técnicos argentinos admitiam que o basquete do Nico mudou bastante após a sua fase no Flamengo. Será que isto também está acontecendo como Ramon devido ao trabalho dele no Flamengo? No Limeira, Ramon sempre foi um grande arremessador de 3 pontos e muito forte marcador, mas praticamente não utilizava as infiltrações. No jogo de ontem além de ter póntuado muito, foi muito bem nas infiltrações. Será que isto já este reflexo do trabalho da comissão técnica do Flamengo? Tomara.
O que observei destes 3 jogos foi o baixo desempenho dos nossos pivÔs, o que vem acontecendo desde o jogo contra o Franca. Além disso houve uma quantidade enorme de turovers. Apesar de ter sido o melhor jogador do Fla o Marquinhos também errou bastante propiciando diversos turovers. Também não entendi porque o Marquinhos ficou tanto tempo no banco, principalmente no último jogo. O Marcelo teve um desempenho muito ruim neste 3 jogos. Não é apenas nas derrotas que deve-se procuraar acertar o time e, agora, mesmo com as últimas vitórias, é necessário fazer isso. o ùltimo jogo convincente foi contra o Baurú. Ainda bem que a defesa está funcionando como nunca.

Joanilson Silva disse...

Gostei dos jogos o Flamengo adora colocar emoção em tudo, não gosta de nada facil.

Tbm gostei do desempenhos dos 3 citados, Ramon, Marquinhos e Mineiro.

Acho q Neto vai ter q cobrar mais no ataque, pois como sempre fomos um time de atacar e não defender ele sempre trabalha defesa, agora temos q manter essa defesa e forçar o ataque, pois temos muita qualidade para pontuar, so precisa trabalhar.

Pelo q o Bira falou nas transmissões serão 2 grupos de 4 com 2 campeões em cada grupo, então podemos ter a fase final somente com brasileiros, apesar da CBB existir é uma boa para o basquete nacional e tenho certeza q nossa torcida vai invadir qualquer ginasio no Brasil em busca do Bi.

Gustavo disse...

Que maravilha de começo!!!

Três vitórias em três jogos!!! No segundo jogo, primeiro quarto equilibrado, segundo quarto, o tal do Tunja abriu 8 pontos. Aí vem o terceiro quarto. Quinteto todo novo: Rafa Luz, Marquinhos, Robinson, JP Batista e Rafael Mineiro.

Com cinco minutos de jogo, Marquinhos já meteu 2 bolas de três, Robinson outras duas ( já são 12 pontos ), Rafa Luz não deixou o armador deles jogar, mais uma brilhante atuação, JP Batista entrou no garrafão marcado por dois, recebeu um tijolo, agarrou com força, arredondou o tijolo, transformou em uma bola de basquete, fez a cesta mesmo empurrado e recebeu a falta. E Rafael Mineiro ajudou na defesa não deixando mais eles pontuarem. No quarto período eles também não conseguiram jogar com Olivinha, Ramon, Marcelinho, Gegê, Meyinsse em quadra garantindo mais uma vitória!!!

Terceiro jogo Ramon brilhante, "Game Hero" segundo o site da FIBA, com 20 pontos, 80% de aproveitamento, Marquinhos também destaque!!!

Estão todos de parabéns!!! Mas, não ganhamos nada ainda. Apenas experiência, ritmo de jogo!!! Falta pouco. Vamos manter o foco!!!

Quinta-feira tem jogo no Tijuca. É com o Paulistano, às 20:00hs!!! Estaremos lá para mais um grande jogo!!! Muito obrigado equipe vencedora, comprometida, maravilhosa!!! Uhúúúúúú!!!

Uma semana feliz para todos!!!

Antônio Neto disse...

Sobre o desempenho do Flamengo na competição, penso que ofensivamente principalmente o time jogou mal em vários momentos das três partidas, mas para a nossa sorte a forte defesa da equipe junto com a qualidade da rotação foi fundamental para as vitórias e a classificação como líder do grupo.


Antônio Neto disse...

Alguém viu a matéria do GE da partida de ontem? Achei ridículo e vergonhoso a maneira como eles abordaram a vitória do Flamengo. Lamentavelmente focaram apenas na péssima atuação ofensiva da equipe.

Ricardo disse...

Eu gostei dos três jogos, pois o Flamengo venceu!!! Teve o domínio quase completo nos dois últimos quartos em todos os três jogos!!! A estratégia do José Neto fazendo o time sofrer nos enlouquece!!!

Mas, dá certo!!! risos.

O nosso treinador tem sangue frio!!! Sabe vencer!!! Confia no time, no grupo!!! Sabe o grupo que tem!!!

Anônimo disse...

Foi interessante ver o Ramon de armador ontem, comandando os picks que têm ficado ausentes na temporada.
Acho que era a saída que faltava para esse time. Um armador comandar mais jogadas de pick and roll para desestabilizar a defesa adversária. Rafa tem sido excepcional na defesa, mas não realiza tanto e tão bem essa jogada.

A chegada do Ramon foi muito boa para aumentar a rotação e as opções de ataque. Acho que o Barreto está certo quanto ao papel do Neto nessa mudança de característica. Com o Nico foi assim, e não tinha visto o Ramon jogar dessa forma por tanto tempo quanto ontem. Tomara! Se o Neto conseguir fazer o mesmo com o Rafa Luz, teremos um time fantástico.

Em relação ao time, outra característica que precisamos desenvolver é o "instinto assasssino". Quando o Flamengo consegue deixar o time adversário por 3 ou até 5 minutos sem pontuar, tem que abrir vantagem e matar o jogo. Quanto aos rebotes, acredito que o Neto tenha "sacrificado os rebotes" para pressionar mais a bola e contestar arremessos. Ele já fez isso em outros jogos. O que vocês acham?

Bcb disse...


Vi dois dos três jogos do Fla, os últimos dois.

Bem, o time parece ter incorporado o espírito de defesa forte, o que muito me agrada.

O Neto tem usado com inteligência o fato do Fla ter mais elenco que os adversários, normalmente abrindo uma vantagem definitiva no terceiro período.

Os rebotes foram bem ruins, em parte por que o Fla tem feito uma defesa muito forte na bola, forçando turnovers, e a tábua fica menos guarnecida.

Porém o trabalho ofensivo foi muito fraco.Parte atribuo a um momento ruim nos arremessos, a bola deixa de cair e isso acontece no basquete, mas boa parte pode ser atribuída a pouca movimentação ofensiva tanto dos jogadores como da bola.

O Fla foi muito mal no jogo de meia quadra.Bem, vencemos, fomos os primeiros e estamos invictos tem quase 2 meses, porém as atuações não foram no padrão que o time pode jogar.

Individualmente gostei do Marquinhos, do Ramon, do Mineiro, que parece estar encontrando seu espaço, da energia do Luz (haha) e da volta de um Olivinha em bom nível.

Marcelinho, mal.Jerome, mais ou menos, Robinson segue sem convencer.Tem muito basquete ainda por ser jogado, mas o Fla vai precisar executar seu ataque bem melhor nos jogos grandes, isso é certo.

Anônimo disse...

O time teve uma preocupação "Defesa", o ataque foi muito mal, o time parece ter sentido as defesas mais pressionados e ficou tentando passes muito arriscados que aqui no NBB parecem funcionar, mas lá não funcionou. O time precipitou um pouco os arremessos com ansiedade com o placar tão baixo. Mais o trabalho defensivo foi fantástico e pelo menos no final dos jogos o Flamengo soube fechar todos eles.

Antônio Neto disse...

O problema na parte ofensiva na minha opinião se deve que o time joga acelerado demais e as vezes acaba jogando de maneira errática, nesses momentos o ideal é cadenciar e trabalhar melhor as jogadas.

Outra coisa que precisa ser revista é o tempo de quadra do Marcelinho, um jogador de 40 anos não pode atuar 20 minutos nessa intensidade absurda que o Flamengo vem jogando.

Anônimo disse...

Paulo Jr.
Esqueci de assinar o comentário anterior, de 01/02, 19:24.

Concordo com o Antonio Neto que o tempo de quadra do Marcelinho tem me parecido excessivo.
Para 40 anos ele está até muito bem fisicamente, mas na defesa (que nunca foi o seu forte) os efeitos da idade dele começam a ser pesados demais para o time.

Nesses três últimos jogos o Marcelinho até se esforçou no ataque, mas ele não estava acertando nem as bolas de 3 nem as assistências. No último jogo acho que o Marcelo perdeu um pouco da confiança e parou de chutar. Acredito que o Neto também tenha dado uma poupada no Marquinhos no último jogo. De qualquer maneira, se você pegar um ranking de minutos no NBB, o Marcelinho está entre os que jogaram mais tempo. Acho compreensível no início da temporada, em que nosso ataque estava um pouco mais estagnado, mas agora acho que os minutos dele tem que diminuir, para o próprio bem dele e do time. Se eu entendi bem, o Neto parece estar alternando o Marquinhos e o Marcelinho em quadra, o que acho bem interessante, porque não ficamos tão vulneráveis assim na defesa.

Não tenho os dados, é apenas uma impressão, mas me parece que quando o Marcelo joga uma partida atrás da outra o aproveitamento do arremesso dele tem caído. Aquela performance na LDA de 2014 foi o canto de cisne. Depois daquela final, a eficiência dele tem sido proporcional ao tempo entre um jogo e outro.

Rafaela Albuquerque disse...

Paulo Jr

Não tenho os números, mas tenho quase certeza que o desempenho do Marcelo cai muito quando o intervalo entre os jogos diminui. Seu tempo de quadra deve ser diminuido. Para a próxima tempoprada não sei não . Isto deve ser analisado com cuidado.

O Flamengo precisa movimentar mais a bola no ataque para fazer a defesa adversária se movimentar de um lado para o outro até achar o momento melhor do arremesso. Outro problema, é o Olivinha. Precia avisar ao Olivinha que o percentual de acertos dos seus arremessos usando o "fadeaway" é quase zero. Ou ele treina esta jogada para melhorar o desempenho ou para de executá-la.

Barreto disse...

Paulo Jr

Meu comentário anterior saiu com o nome errado
Não tenho os números, mas tenho quase certeza que o desempenho do Marcelo cai muito quando o intervalo entre os jogos diminui. Seu tempo de quadra deve ser diminuido. Para a próxima tempoprada não sei não . Isto deve ser analisado com cuidado.

O Flamengo precisa movimentar mais a bola no ataque para fazer a defesa adversária se movimentar de um lado para o outro até achar o momento melhor do arremesso. Outro problema, é o Olivinha. Precia avisar ao Olivinha que o percentual de acertos dos seus arremessos usando o "fadeaway" é quase zero. Ou ele treina esta jogada para melhorar o desempenho ou para de executá-la.

Paulo Teti disse...

E realmente com o elenco que temos não da pra entender , porque o Marcelinho esta ficando tanto tempo em quadra. Esta certo que ele foi importante na restruturação do basquete no fla , a alguns anos atrás , mas não da para ficar jogando só com o nome, infelizmente a idade esta pesando para ele, e as bolas já não caiem com a mesma frequência. Não da pra entender porque o Marquinho esta jogando tão pouco tempo , ele é o craque do time . Tem q jogar um pouco mais que os outros. Assisti aos outros jogos no Tijuca , e o marquinhos parecia um pouco contrariado por ficar tanto tempo sentado no banco, espero que isso não se torne o problema futuro para o grupo.

Barreto disse...

Não vejo o Marquinhos chateado
O único jogo em que ele ficou mais tempo fora foi o último , talvez sido poupado. Lembremos que o Fla já estava classificado. É fato que o Marcelo não pode ficar muito tempo em quadra e isto precisa ser analisado. Para a próxima temporada a diretoria terá uma decisão difícil. Renovar ou não o contrato do Marcelo.

Ruy Moura disse...

Barreto. Entendo que o Marcelinho, pela história que tem e como principal jogador que foi de sua geração, pós Oscar, Marcel e Cia., é quem tem de tomar esta difícil decisão: parar ou não!

Barreto disse...

Acho que está decisão tem que ser do Vido/Póvoa junto com a comissão técnica, apesar de toda imporrtância do Marcelo na história do basquete do clube.

Ruy Moura disse...

Barreto. Apesar da idade é difícil dispensar o Marcelinho. Por isso seria melhor que ele decidisse a hora de parar.

Barreto disse...

O Flamengo está acima de qualquer jogador e interesse. O Flamengo não pode esperar que o Marcelo venha decidir se para ou não. Se a direção e a comissão técnica decidirem que não è mais viável a renovacao , devem tomar a decisão. É lógico que não é uma decisão fácil

Paulo Teti disse...

Barreto,

Sobre o Marquinhos , posso estar enganado , mas foi essa a percepção que tive porque fiquei próximo ao banco, isso ocorreu no jogo contra Franca e Liga Sorocabana.

O Marcelo acho que a diretoria , deve avaliar o custo beneficio ,o atleta tem que receber proporcional ao que ele produz para a equipe , se o jogo dele e menos efetivo e decisivo atualmente , na hora de avaliar a renovação de contrato isso deve ser levado em conta. Não da pra ele ganhar hoje em dia , o que ganhava quando carregava o time nas costas. ( Ao meu ver a situação do Marcelinho , pode ser comparada a do Leo moura no Futebol), apesar do Marcelo ter sido muito mais importante para história do basquete do Fla do que o Leo para o futebol.

Abs,

Barreto disse...

Paulo Teti, qual foi a percepção que VC teve junto ao banco?

Anônimo disse...

Paulo Jr.
Eu não tenho achado o Marquinhos contrariado não, nem no NBB nem na LDA. Acho que na LDA ele foi poupado no último jogo mesmo, os outros jogadores estavam correspondendo e o flamengo já estava classificado.
Quanto ao Marcelo, a forma física dele tem até me surpreendido, mas na idade que ele se encontra isso tem que ser avaliado semana a semana.
Ele já se manifestou que pretende encerrar a carreira no final desta temporada OU no final da próxima, mas isso é muito tempo, significa jogar até julho de 2017.

Para o flamengo, acho que a avaliação para a próxima temporada levará em conta a sua condição de contribuir em alto nível, num time forte como o Flamengo, e o custo do salário. Imagino que ele sofrerá uma redução grande de minutos ao longo do ano e, consequentemente, de salário.
Se fosse hoje, acho que valeria à pena, considerando sua experiência e a liderança mais tranquila que ele tem exercido ultimamente, depois daquela questão na temporada passada, desde que houvesse concordância quanto ao papel exercido e o salário.

Na NBA é muito comum ex estrelas em final de carreira aceitarem contratos menores e papéis reduzidos em grandes times. Lembro da importância de um Ray Allen em fim de carreira para o Miami. Nem sempre essas experiências dão tanto resultado, mas costumam ser importantes para o grupo.