domingo, 9 de junho de 2013

Brasileirão 2013: Criciúma 0 x 3 Flamengo


Por motivos particulares não vi o jogo ontem, mas se olhasse a escalação ficaria bem assustado: Wallace e Samir na zaga, Diego Silva como primeiro volante e Carlos Eduardo de titular.

Entretanto, dentro de campo, os comentários foram de que o time assumiu uma bela postura. Méritos para o interino Jayme que na base da conversa arrumou o time para conseguir um surpreendente 3 x 0 contra o Criciúma fora de casa.

Claro que a expulsão no começo do jogo favoreceu o Flamengo, que depois disso cresceu no meio de campo, com destaque para Elias e criou as melhores jogadas. Vendo os melhores momentos, os lances principais foram criados na direita com Léo Moura. Carlos Eduardo também caiu por lá e, segundo comentários, fez uma partida razoável, mostrando que Pelaipe tem razão quanto à sua suposta titularidade forçada.

Hernane fez seu gol após a péssima partida contra o Náutico. Gabriel marcou dois, e poderia estar com quatro gols se marcasse os que perdeu na estréia contra o Santos. Paciência.

Na zaga o incrível Samir de apenas 18 anos, terminando o jogo com: 9 desarmes, 26 passes certos, 3 passes errados e 1 falta cometida. Sensacional!

A pergunta que todos fazem: o time queria derrubar o Jorginho? Eu acho que não. Até por que o Flamengo criava inúmeras chances todo santo jogo. O time andava mal por que Jorginho tirava todos os atacantes e terminava jogo com 4-6-0 e não aproveitou o tempo disponível.

Mas quem viu o jogo, conte-me como foi. Há esperança no Carlos Eduardo? Como foi o Diego Silva? Paulinho? Léo Moura?

E que venha o Mano Menezes!

7 comentários:

André Monnerat disse...

Ao contrário de quase todo mundo que li nas redes sociais, eu gostei da escalação assim que li.

Anônimo disse...

o Cadu joga muito é só questão de tempo pra ele mostrar isso ontem ja foi um pouco do q ele pode render fez uma partida boa cadenciando a bola nos momentos certos.

Erivaldo disse...

Muita bom o jogo. A escalação foi inteligente, onde o treinador colocou os bons nas posições certas, nada de invenção. En todo jogo o Renato Santos entregou um gol. Tinha que sair. Samir foi um dos melhores em campo, e até Wallace jogou bem. Pra mim, a defesa titular, já que Gonzalez é lento. Diego Silva é um volante marcador e que sabe tocar a bola. Dupla de volantes titular: Elias e Diego Silva. Carlos Eduardo jogou um bom primeiro tempo, trocando passes, abrindo o jogo e armando. Com preparo físico e confiança será nosso armador. Ele vem de uma longa parada e grande contusão, mas acho que vai nos ajudar. Só falta mesmo é rescindir o contrato com o Renato Canelada, senão ele estraga tudo. Foi um grande jogo.

Anônimo disse...

erivaldo concordo com tudo não aguento mais o ranato canela desse time colocaria o marcelo moreno quando ele voltar

André Amaral disse...

O Jayme surpreendeu, mas não inventou.

Renato Santos falhou nos últimos três gols sofridos. Só restava o Samir mesmo.

Luiz Antônio só deu certo como um inédito primeiro volante na estreia contra o fraco Santos. Mas poderia ter voltado com o Amaral. A entrada do Diego Silva foi uma boa novidade.

Colocar o Carlos Eduardo de titular com toda carga de pressão foi corajoso.

O Flamengo nunca se deu bem jogando lá. Jayme fez várias alterações e ganhamos o jogo. A pressão era absurda. Futebol é foda mesmo.

Ruy Moura disse...

O Pelaipe esta falando na vinda de três reforços de alto nível para serem titulares. Um zagueiro, um meia e um atacante. O time tende a ser bom, com Felipe, Marcos Gonzales, Victor Caceres, Elias, Gabriel, Carlos Eduardo, Marcelo Moreno e os três reforços. Só não sei quem escalar nas laterais.

Anônimo disse...

André Amaral, o Amaral é horroroso, só sabe marcar e erra passe muito fraco, só serve para com suspensões e ausências não acrescenta nada, não sei porque você fica lembrando ele. Diego Silva foi discreto e eficiente e acertou os passes(fantástico). O time teve um posicionamento muito melhor, com Paulinho, gabriel e Carlos Eduardo caindo pelo meio ocupado espaço e servindo de opção para os volantes e a jogada sendo aberta então para as pontas.
Com o time arrumado e bem distribuído o Carlos Eduardo foi participativo, nada de excepcional mais já muito melhor do que a inutilidade que ele apresentava diante de um time todo desarrumado.