quinta-feira, 15 de novembro de 2012

O modelo de contrato do Cruzeiro com o Mineirão e o que pode servir de base para o Flamengo

O Cruzeiro assinou contrato com a "Minas Arena", empresa que venceu o consórcio do Mineirão. O time mineiro ganhou alguns benefícios por assinar contrato onde garante que jogará todas as partidas como mandante por lá.

Por essa fidelidade, o Cruzeiro terá mais camarotes, não pagará aluguel e terá espaços exclusivos para seu torcedor, como loja oficial e bar temático.

A exemplo da licitação do Maracanã que impede a exclusividade, no contrato do Mineirão também existe essa mesma cláusula, porém não há privilégio ao Cruzeiro, uma vez que outros clubes poderão fechar o mesmo acordo de fidelização com o estádio.

O problema é que o Atlético-MG não pode assinar nesses mesmos termos, pois tem contrato com a BWA, que administra o Independência. A solução seria assinar contrato por partida, mas sem todas essas regalias, como apenas um camarote e tendo que pagar 10% de aluguel em cima da bilheteria.

Já no caso do Cruzeiro, os benefícios me parecem excelentes, e podem servir de modelo para um futuro contrato do Flamengo com a empresa que ganhar a licitação do Maracanã.
  • O Cruzeiro não pagará aluguel
  • Terá direito a três camarotes por partida para vender
  • Loja oficial
  • Bar temático em dia de jogos no lado do setor da torcida cruzeirense
  • Museu
  • Exploração comercial em dia de jogos
  • Lucro da receita de bilheteria
  • Percentual da receita do estacionamento dos seus jogos
  • Customização do estádio com as cores do Cruzeiro em dia de jogos
Claro que vão surgir várias dúvidas, como por exemplo: nos jogos de pequeno porte do Estadual valerá a pena jogar no Maracanã? Se quiser jogar algumas partidas em outra cidade, quanto será a multa? Se alguém no Flamengo ainda pensa em ter seu próprio estádio ou ampliar a Gávea, qual seria a solução? 

Que a chapa eleita dia 03 de dezembro, e espero que seja a Fla Campeão do Mundo, tenha já planejado o que vão fazer na questão do estádio.

Que os sócios pensem direitinho e analisem qual chapa tem condição de fazer uma análise tão criteriosa, tão decisiva para o futuro do Flamengo, o contrato do Cruzeiro, por exemplo, é de 25 anos.

Agora vejam bem, se fizeram essa lambança milionária com o contrato de Ronaldinho, imagine o que Patrícia Amorim, Leonardo Ribeiro, Michel Levy não farão no tocante à licitação do Maracanã.

Ou alguém acredita que a equipe de marketing dessa gestão que passou em branco durante três anos poderá explorar toda a potencialidade do novo Maracanã?

Um comentário:

Fabio Bispo disse...

Concordo em tudo o que disse, principalmente o final pois essa foi a mais mal gerenciada liderança, se é que o termo "liderança" se aplica, do Fla em todos os tempos. SRN Chapa Azul, Bandeira neles!!