segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Votação da concessão do Morro da Viúva marcada para às 19h

O Conselho Deliberativo vota na noite dessa segunda-feira a concessão do Morro da Viúva para a empresa de Eike Batista. O Flamengo receberia R$ 18 milhões, teria perdoado uma dívida de R$ 13 milhões, mais dois andares para servir de concentração, evitando gastos com hotel antes dos jogos e ainda teria 1,5% do faturamento em forma de royalties a partir de 2013.

Nesse ponto que precisa ficar bem claro, porque o índice precisaria ser ajustado para não ficar defasado. Andou circulando um email onde estão projetando um contrato de 50 anos, quando na verdade seriam 25 anos de contrato inicial podendo renovar ou não. Se lá no futuro quem estiver no poder não quiser, teríamos um hotel cinco estrelas limpinho na mão do Flamengo. Nos últimos 25 anos o Morro da Viúva foi 100% prejuízo. Daqui 25 anos o Flamengo terá um hotel cinco estrelas limpinho na mão. Ruim, né?

É fato que o ideal seria o Flamengo ter grana pra investir ele mesmo no seu patrimônio, mas não tem e existem outras prioridades.

Esse caso lembra muito as privatizações. O Estado sem dinheiro pra investir e tendo outras prioridades, vende, cria agências reguladoras pra controlar e hoje temos várias empresas dando lucro exemplar, coisa que não daria com o Estado no comando e sem capital para investimentos.

Depois de tanta dívida, simplesmente deixar de ter prejuízo - e teremos lucro, diga-se, já seria um alento. O problema é que daqui a pouco começa a campanha eleitoral e os planos malucos de como utilizar o Morro da Viúva e a Mansão de São Conrado e nada sairá do papel. E assim vamos ficar mais 50 anos tendo com um patrimônio sem uso, IPTU atrasado.

Agora é engraçado ver conselheiro se arvorando como defensor do patrimônio, mas nunca fez nada para impedir esses 30 anos de fracasso e prejuízo do patrimônio Rubro Negro. Parece até aquele discursinho populista que estão dando bens do Brasil para empresa privada, mas quando está nas mãos do Estado, vira cabide de emprego, ao invés de cargos técnicos são criados cargos políticos e a estatal não consegue se sustentar sem aportes governamentais.

Além do mais, a grana que entraria dessa concessão seria utilizada para oxigenar as obras do CT. Um patrimônio que hoje é 100% prejuízo e dívidas seria transformado em hotel cinco estrelas e ajudaria uma obra tão importante como é o Centro de Treinamento. Vamos ver qual será o resultado dessa deliberação extraordinária.

2 comentários:

Marcio disse...

O problema é que o voto é secreto. De toda forma, se não for aprovada a concessão, agente critica todos eles, sem exceção.

A única coisa boa que eu vejo no Flamengo esse ano, é que a paciência já está se esgotando antes do começo dos campeonatos. Ano passado, a torcida só foi cobrar um pouquinho, no fim do ano.

A pressão contra tudo o que estiver errado, tem que ser grande e imediata.

Pra não dizer que não citei nomes, pressão grande em: Henrique Brandão-Marketing, Wrobel-Patrimônio, Veloso-Vice de Futebol, Luxemburgo-Treinador, Patrícia Amorim-Presidente, Michel Levy-Finanças, Capitão Leo, Conselho Fiscal......e se sobrar tempo Pressão no André Amaral, hehehe.

José disse...

Concordo que é um excelente negócio para o CRF. Quanto às privatizações, na verdade houve foi 'doação' do patrimônio público. O jornalista Aloysio Biondi descreve muito bem esse processo em ''O Brasil privatizado - Um balanço do desmonte do Estado''. SRN.