quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

Câmara autoriza Corinthians a construir sua arena olímpica na sede. Enquanto isso no Rio...

São essas notícias que deixam qualquer um irritado pelo baixo nível da política do Rio de Janeiro.

Notícia da Folha de São Paulo: "Câmara autoriza Corinthians a fazer arena multiúso no Parque São Jorge".

É isso mesmo. Uma emenda do vereador Milton Leite (DEM) que foi incorporada à lei de zoneamento permite que o Corinthians possa construir uma arena multiúso em sua sede social.

Os amigos do blog sabem que o Flamengo tem um projeto de sua arena multiúso na Gávea. O clube já conseguiu uma das licenças mais dramáticas, que é a do IPHAN. E agora depende da boa vontade da prefeitura em fazer o projeto tramitar internamente pela Secretaria de Meio-Ambiente.

Novamente: é hora do Rubro Negro usar a eleição municipal a seu favor, ou vai ficar a ver navios. Não tenho notícia de bastidores, mas é evidente o desleixo da prefeitura pelo projeto.

Está na hora do clube se manifestar publicamente, com coletiva, notas oficias e atletas da Gávea fazendo uma peregrinação na sede da Prefeitura até o projeto sair de lá.

É um troço revoltante!

2 comentários:

Allan Fechine disse...

Lamentável como um projeto desse porte leva tanto tempo para uma solução, já tem mais de 3 anos!!! Desde o final do mandato da Patrícia Amorim se falava em Arena McFla e até agora nada, isso porque se trata de uma arena para 3 mil pessoas, imaginem se fosse a nossa tão sonhada arena para o futebol para 30, 40 ou 50 mil. É impressionante como as coisas no Flamengo são sempre arrastadas, vejamos:

- Arena McFla (O que falta para sair do papel)
- Piscina Myrtha (Não já deveria ter sido inaugurada? Quando será?)
- Estádio de Futebol (Quantos projetos de estádio ficaram no papel, existe alguma previsão?)
- CT (Será que esse ano finalmente sai?)
- Plano Diretor da Gávea (Existe? Porque nunca foi apresentado?)
- Prédio do Morro da Viúva (Onde estão os interessados?)
- Casa de São Conrado (Vai continuar abandonada?)
- Patrocínios (Quando vai se definir isso?)

Nestes últimos anos vimos o Corinthians conseguir seu estádio e agora aprovação para sua arena multiuso. Palmeiras, Internacional, Grêmio e Atlético-PR terem seus estádios reformados, Atlético-MG encaminhar seu estádio, isso sem falar que todos esses times já possuem seus CT-s de primeiro mundo.

Gosto muito da administração do Bandeira de Mello e seus pares, e estou certo que eles não tem culpa de o Flamengo estar tão defasado em relação a outros clubes, mais ainda, sem eles a situação atual provavelmente seria pior do que a anterior a eles, mas fica a pergunta, apesar da evolução dos últimos anos, quando o Flamengo terá prioridade em investimento na sua estrutura? Tenho a impressão de que estamos sempre dependendo muito de terceiros...

Marcelo disse...

Caros amigos,

a Prefeitura do Rio de Janeiro é responsável pela administração das bibliotecas públicas. São pequenas casas antigas em bairros do RJ que foram muito utilmente transformadas em bibliotecas para uso gratuito dos cidadãos. Nelas nos temos livros para consultas, internet gratuita e as pessoas também podem levar seus livros para estudarem lá.

Pois bem,

no dia 24 de janeiro desse ano houve uma chuva forte aqui no RJ o que ocasionou um buraco no telhado de uma dessas bibliotecas e a mesma ficou com atendimento suspenso para reformas.

Você carioca, brasileiro, acredita que, 1 mês depois, SEQUER taparam o tal buraco com uma lona ou coisa qualquer????????? Ou seja, continua chovendo dentro da biblioteca deteriorando ainda mais uma situação que seria de simples solução. Quem é o responsável, o secretário que responde por isso? Onde ele está? O que ele faz no seu horário de trabalho?

Detalhe: a referida biblioteca passou por ampla reforma há pouco tempo, por sinal, ficou muito boa. Mas, esqueceram de consertar o telhado.

Endereço: Rua Guapeni, Tijuca. Solicitamos o conserto urgente, grato.

Eu ouvi dizer que a biblioteca do Rio Comprido, também na Tijuca, foi fechada. Parece que educação não é a prioridade dos governantes.